Eletricista gaúcho teve que abandonar a profissão para trabalhar como modelo

"Já tomei muito choque na vida e ganhava cerca de R$ 1.500", comenta o agora ex-eletricista Rafael Breier, da cidade de Rolante

Rafael Breier, 30, até pouco tempo atuava como eletricista em Rolante, Rio Grande do Sul. Para quem não conhece, Rolante é a Capital Nacional da Cuca. Também é conhecida por ser a terra natal do ex-tenista Larri Passos e do saudoso cantor Teixerinha. O município faz parte do Vale do Paranhana e desde 2010 faz parte da Região Metropolitana de Porto Alegre. A população é de aproximadamente vinte mil habitantes, formada basicamente por descendentes de imigrantes luso, teuto e ítalo-brasileiros.

Eletricista
Oiê!

Rafael nunca foi muito ligado no mundo fashion. Filho de mãe comerciante, pai encanador e sobrinho de eletricista, ao concluir o ensino médio fez um curso técnico e seguiu carreira na área elétrica.

“O dia a dia era bom: eu trocava fiações elétricas, instalava redes novas e fazia muitas trocas de chuveiro e lâmpadas. Eu fazia o trabalho com facilidade. As pessoas têm medo de tomar choque, não passam nem perto de um fio elétrico”, disse em entrevista para o  UOL. “Já tomei muito choque na vida e conseguia fazer R$ 1.500 por mês”, lembra.

A descoberta de Breier foi durante o Festival Planeta Atlântida, onde recusou o convite de um olheiro para fazer carreira nas passarelas. Só aceitou porque os amigos insistiram. Depois de uns dois meses se viu mudando para São Paulo e seguiu para Milão e Paris, onde fez campanhas de grifes como Michael Kors e Ralph Lauren, esfiles para Giorgio Armani, Vivienne Westwood e a alta-costura da Dolce & Gabbana.

Atualmente mora em NYC. Para acompanhar a vida dele via Instagram, neste link.

Anúncios