Stephen Rhodes, o primeiro piloto de stock car abertamente gay

"Tanto na NASCAR quanto na sociedade como um todo, certamente há muito mais progresso a ser feito", diz em relação ao preconceito no esporte

Em 1992, aos 8 anos, Stephen Rhodes ficou frente ao volante de um carrinho de kart pela primeira vez e começou a dirigir. Mal sabia ele que, anos depois, aquele mesmo menino com afeição por rodas acabaria por crescer e se tornar o primeiro piloto abertamente gay da NASCAR (National Association for Stock Car Auto Racing).

piloto
Reprodução/Instagram
stock car
Reprodução/Instagram

Em entrevista ao Queerty, o piloto diz que a sensação de ser o primeiro piloto abertamente gay da NASCAR é incrível. “Eu não sei quão grande ou pequena a realidade realmente é, mas tudo que posso fazer é fazer uma mudança positiva na sociedade. Isso não só dá o tom do que pode ser feito [em nome do progresso], mas também mostra para outras pessoas LGBT+ do ramo que não há nada a temer”, diz.

Reprodução
Reprodução

Rhodes se assumiu gay aos 17 anos, em 2001. “O ruim durante esse tempo foi lidar com familiares e amigos, aqueles que não me apoiaram, que não concordaram ou aceitaram. Os tempos eram muito diferentes, mas, de alguma forma, 2001 foi o pior e melhor ano da minha vida”, relembra. 

Sobre a NASCAR estar pronta para o primeiro piloto abertamente gay, Stephen Rodhes diz que tanto na NASCAR quanto na sociedade como um todo, certamente há muito mais progresso a ser feito. “O que mais importa é que cada um de nós tenha a coragem de ser aberto e honesto sobre quem somos, especialmente em situações difíceis. Todos nós enfrentamos o preconceito e a ignorância, que só podem ser mudados desafiando as expectativas e suposições das pessoas”, finaliza

NASCAR

A National Association for Stock Car Auto Racing (‘em português: Associação Nacional de Automobilismo Stock Car; abreviação oficial: NASCAR’) é uma associação automobilística norte-americana que sanciona e controla múltiplos eventos de esporte a motor, em especial competições de “stock cars” (“automóveis de fábrica”). As três principais séries organizadas pela NASCAR são a Monster Energy NASCAR Cup Series, a Xfinity Series e a Camping World Truck Series. A empresa também supervisiona a denominada NASCAR Local Racing, o Whelen Modified Tour, Whelen All-American Series e NASCAR iRacing.com Series.

A NASCAR tem sua sede oficial em Daytona Beach, Flórida, e também mantém escritórios nas cidades da Carolina do Norte de Charlotte, Concord e Conover. Os escritórios regionais estão localizados em Nova York e Los Angeles, com escritórios internacionais na Cidade do México e Toronto. Devido às raízes do sul dos EUA que a NASCAR possui, praticamente todas as equipes que disputam suas principais divisões ainda estão baseadas na Carolina do Norte, especialmente perto da cidade de Charlotte. A NASCAR é o segundo esporte profissional, apenas atrás da NFL em termos de telespectadores e fãs nos Estados Unidos. Internacionalmente, suas corridas são transmitidas pela televisão em mais de 150 países.

A particularidade destas competições é baseada, principalmente, em que são geralmente executadas em circuitos ovais e sempre em carros de série, ou seja, carro cujo silhueta é de um carro que saiu da fábrica. Atualmente, carros são fabricados por especialistas com base em perfis e especificações detalhadas pela NASCAR e motores são fornecidos pela Toyota, Ford e Chevrolet, garantindo um nível constante de concorrência para todos os participantes.

As marcas concorrentes hoje são: Ford com Ford Fusion na Monster Energy NASCAR Cup Series e Ford Mustang na Xfinity; Chevrolet com o Chevrolet Camaro na Monster Energy Cup Series e Xfinity Series com o Chevrolet Camaro; Toyota com o Toyota Camry em ambos. A Pontiac e Dodge também participavam na competição, no entanto declinaram depois de registrar resultados pouco favoráveis.