22.2 C
São Paulo
terça-feira, 15 outubro 2019
LOJA DAS POCS
funarte

Procuradoria pede esclarecimentos à Funarte acerca de censura a espetáculo

Fundação teria censurado exibição de obra de cunho político crítico. Espetáculo estrearia neste mês no Complexo Cultural da Funarte em SP
LGBTfobia da mobilização que foi feita em torno da ADO26 no dia que fizemos história.

Bancada evangélica tenta manobra contra a criminalização da LGBTfobia

Mais grave do que a exclusão de injúria/difamação, o projeto deixaria de fora os discursos de ódio ("injúria coletiva") e discriminações, que não são crimes no Código Penal, só na Lei Antirracismo.

Ministério Público do RJ abre inquérito contra Marcelo Crivella por censura

Após toda a polêmica relacionada à HQ "Os Vingadores: A Cruzada das Crianças" na última Bienal do Livro, o Ministério Público do Rio de...
[SSEX BBOX] realiza conferência reunindo ativistas e militantes para discutir sobre ameaças públicas e perseguições a políticos brasileiros

Conferência em Paris abordará ameaças e perseguições no cenário político-social atual do Brasil

[SSEX BBOX] realiza conferência reunindo ativistas e militantes para discutir sobre ameaças públicas e perseguições a políticos brasileiros
Após a notificação de Crivella, decidimos aumentar a exposição de livros LGBT+', diz editora que participou da Bienal

‘Após a notificação de Crivella, decidimos aumentar a exposição de livros LGBT+’, relembra editora...

"Um dia que deveria ser marcado pela intolerância, serár lembrado como o dia em que as pessoas decidiram por valorizar mais os livros", comemora a editora
Evento discutirá políticas e cultura LGBTI+ em Londrina

Evento discutirá políticas e cultura LGBTI+ em Londrina

O encontro faz parte da programação formativa da Terceira Parada LGBTI+
Pais que formam uma família por meio da adoção de crianças muitas vezes têm dúvidas em relação aos direitos que o filho adotivo terá a partir da oficialização de todo o processo. Isso inclui, também, questões sobre a obtenção da cidadania italiana caso algum dos pais tenha vínculo com familiares vindos da Itália que imigraram para o Brasil. Especialista em processos de cidadania italiana para brasileiros, o Dr. Domenico Morra, advogado italiano que chefia o departamento jurídico na Itália da RSDV & Avv. Domenico Morra – Cidadania Italiana, afirma que esta é, ainda, uma dúvida frequente de pessoas que o procuram para a dupla cidadania, inclusive casais homoafetivos, tendo em vista que a legislação difere de país para país. “Não são poucos os casais que chegam para iniciar o processo de cidadania italiana com esses questionamentos”, revela o advogado italiano. De acordo com Domenico Morra, a norma brasileira que dispõe sobre os requisitos para a adoção de crianças e adolescentes (Lei nº 13.509/2017) dá ampla segurança jurídica aos pais tanto aqui como na Itália. “Como no Brasil o processo legal de adoção tem como documentação lavrar uma nova certidão de nascimento para os filhos adotivos, transformando os pais adotivos em pais de direito com respaldo na Lei brasileira, então toda a requisição de dupla cidadania também é válida na Itália mediante essa nova certidão”, explica o especialista. Processo de cidadania para filhos adotivos Pouca gente sabe, mas é possível obter a cidadania italiana por meio da adoção. A cidadania italiana por adoção não se baseia no conceito do jus sanguinis, que é o direito de sangue, porque, nesse caso, o filho não é biológico. Existe uma certa burocracia que deve ser superada para o reconhecimento, mas de todo modo, a notícia é boa: é possível fazer. Como ainda existe distinção na lei, é importante dizer que os tribunais italianos têm dado passos significativos para o reconhecimento da adoção por casais homoafetivos. Recentemente, a Suprema Corte di Cassazione decidiu que uma sentença estrangeira de adoção completa por um casal, cujo casamento foi registrado na Itália, pode ser reconhecida. Sendo assim, um casal homoafetivo de cidadãos estrangeiros casado no Brasil e com filho(a) adotivo(a) registrado oficialmente no País pode ter o reconhecimento de sua cidadania italiana, seguindo os trâmites legais. “O sistema jurídico italiano reconhecerá o casamento e a adoção, uma vez que ambos não são atos contrários à ordem pública e que, em qualquer caso, no que diz respeito à adoção, é uma questão de dar status legal a uma relação afetiva agora criada entre a criança e pai social, tendo os melhores interesses da criança como um ponto de referência”, explica Morra. 1) Para menores de idade (no momento da sentença de adoção) Por lei, o processo de adoção precisa ser feito por meio de sentença judicial, ou seja, é necessário que o pedido de adoção seja feito perante a um juiz e ele deve aprovar o processo de adoção por sentença. Sendo assim, para o reconhecimento da cidadania italiana, é necessário que essa sentença que homologou a adoção no Brasil seja também homologada na Itália. Para isso, é necessário entrar com uma ação judicial na Itália. Somente após a homologação na Itália é que o adotado pode dar início ao processo de reconhecimento da cidadania italiana. Vale dizer que, para que seja possível, os pais do adotado já precisam ser italianos reconhecidos, portanto o caminho será esse: após os pais se tornarem italianos, é realizada a homologação da adoção do filho na Itália, para depois haver o reconhecimento do filho como cidadão italiano. DICA: Se os pais não fizerem a cidadania antes da homologação da adoção, a ação será julgada improcedente, ou seja, o requerente perderá tempo e dinheiro. 2) Para maiores de idade (no momento da sentença de adoção) Se a adoção se deu por sentença judicial brasileira quando o adotado já tinha mais de 18 anos, será da mesma forma necessário homologar a sentença na Itália. Há, no entanto, aqui, mais um obstáculo a ser superado: neste caso não há o reconhecimento da cidadania italiana, mas, sim, a naturalização somente após (i) a homologação da sentença e (ii) cinco anos de residência legal na Itália. 3) Adoção sem sentença Foi muito difundido no Brasil, no passado, o registro do filho diretamente no cartório de registro civil pelos pais, como se seu filho biológico fosse. O procedimento era adotado para evitar o longo processo de adoção, visando o bem-estar da criança, mas ainda assim, sob o ponto de vista jurídico, o ato é ilegal. Para esses casos de adoção sem sentença, a menos que o adotado se declare assim em algum momento do processo, o reconhecimento da cidadania pode ser feito como jus sanguinis, sendo possível ser feito administrativamente. Isso porque o registro é idêntico ao de um filho biológico e é praticamente impossível para os consulados e/ou comune identificarem tal fato. No entanto, se em algum momento após o reconhecimento administrativo a autoridade local descobrir que o filho foi reconhecido italiano por meio de fraude (sem sentença judicial), a cidadania na Itália pode ser cancelada e os envolvidos ainda responderem a um processo criminal. Por essa razão, não é recomendável a terceira hipótese de adoção. Processo de cidadania dos pais ou filhos maiores de idade Agora, se nenhum dos pais tiver o reconhecimento da cidadania italiana ou mesmo o filho adotivo já for maior de idade, então terão que passar pelo processo habitual de dupla cidadania. Como explica o Dr. Domenico Morra, atualmente é possível obter a cidadania de três formas: pela Comune (processos por residência) na Itália, onde o processo é administrativo; por meio do Consulado italiano no Brasil; ou pela via da Justiça local, quando individual ou coletivamente é movida uma ação judicial junto ao tribunal em Roma, na Itália. Segundo o advogado italiano, que há cerca de dez anos atua com os processos de reconhecimento a partir do Brasil de brasileiros como cidadãos italianos, a via judicial, hoje, é a que apresenta mais garantias contra as fraudes recém-descobertas pela Justiça italiana. Porém o especialista faz um alerta: “como qualquer ação, o processo estará baseado nos documentos apresentados pelo requerente para a análise do juiz competente, que poderá deferir ou indeferir o pedido”, ressalta. Se a documentação estiver correta e o grau de parentesco for legitimado, o juiz decide de forma favorável. “Quando a ação judicial na Itália for considerada transitada em julgado, ou seja, com decisão final, o brasileiro terá a homologação oficial expedida por um juízo, o que torna o processo irrevogável, conferindo maior segurança do que os outros meios”, esclarece. Para iniciar o processo via Justiça, o requerente deve juntar o máximo de documentos possíveis – certidões de nascimento, de casamento, etc. – do antenato (ascendente) italiano/a da família. “É importante frisar que o governo da Itália não exige um grau mínimo de parentesco entre o requerente brasileiro e o antenato”, explica o especialista. Desta forma, brasileiros que possuem avós, bisavós, tataravós ou outros parentes consanguíneos na “árvore genealógica” reconhecidamente nascidos na Itália estão aptos a serem considerados cidadãos do país. Porém, há alguns casos em que a cidadania não é permitida. “Se o parente vindo da Itália para o Brasil tiver obtido naturalização brasileira antes do nascimento do primeiro filho, automaticamente os requerentes não poderão ser reconhecidos como italianos na linha familiar para fins de dupla cidadania”. Depois da juntada das certidões – do ascendente italiano e dos requerentes –, a documentação é enviada para um advogado na Itália. Como representante legal, ele irá mover a ação judicial no tribunal de Roma, aguardando a apreciação do juiz. De acordo com o Dr. Morra, não existe tempo para a ação ser julgada. “Hoje, em média, os processos enviados do Brasil e abertos na Itália têm levado de 12 a 18 meses para obter a sentença transitada em julgado”, diz. Após a decisão, será necessário esperar de três a quatro meses para que a Comune transcreva a acórdão para homologar o requerente como cidadão italiano. “Pode-se afirmar que o processo todo, da ação judicial ao documento em mãos que permite tirar o passaporte italiano, leva em média, atualmente, de 21 a 24 meses”, finaliza o especialista Dr. Domenico Morra, advogado italiano que chefia o departamento jurídico na Itália da RSDV & Avv. Domenico Morra – Cidadania Italiana.

Filhos adotados por casais gays têm direito à dupla cidadania italiana

A informação é do Dr. Domenico Morra, advogado italiano que chefia o departamento jurídico na Itália da RSDV
Deputado 'ex-gay' que ofendeu Daniela Mercury indenizará comunidade LGBT+ com 25% de seu salário

Deputado ‘ex-gay’ que ofendeu Daniela Mercury indenizará comunidade LGBT+ com 25% de seu salário

Pastor Manoel Isidório de Santana Júnior, que se declara "ex-homossexual", gravou um vídeo com palavras não muio bíblicas
Um dia após abrir inscrições para o primeiro vestibular voltado a pessoas transexuais no país, a Unilab decidiu cancelá-lo, segundo informou Bolsonaro Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

Ação pede indenização de R$ 1 milhão por vestibular cancelado por Bolsonaro

A ação foi protocolada pelo advogado Paulo Iotti, autor da matéria sobre criminalização da homofobia e transfobia no Supremo Tribunal Federal
Licença parental nas empresas: um caminho para a equidade de gênero

Licença parental nas empresas: um caminho para a equidade de gênero

Cris Kerr, CEO da CKZ Diversidade e idealizadora dos Fórum Mulheres em Destaque e Gestão da Diversidade e Inclusão, disserta sobre o tema
Lei Maria da Penha pode ser aplicada a casais LGBT+?

Lei Maria da Penha pode ser aplicada a casais LGBT+?

Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) divulga nota afirmando que é possível a analogia com a Lei Maria da Penha para casais do mesmo sexo
Nesta quinta-feira, David Miranda aborda rumos dos direitos LGBT+

Nesta quinta-feira, David Miranda aborda rumos dos direitos LGBT+

O centro de compras será palco de uma programação especial na semana da Parada LGBT de Brasília com bate-papo, pocket show e desfile
Políticas

Saiba quais são as articulações da Coordenação de Políticas para LGBTI da Prefeitura de...

Este ano, deve ser inaugurado a quinta unidade do Centro de Cidadania LGBTI, na Zona Oeste
Comentário homofóbico em redes sociais passa a ser crime

Comentário homofóbico em redes sociais passa a ser crime

Advogada Tiziane Machado, da plataforma "Oi Advogado", esclarece com alguns exemplos o que se deve fazer em algumas situações
homofobia brasil Getty Images/iStockphoto

É oficial: STF decidiu por 8 votos a 3 que homofobia é crime

Nesta quinta-feira, o Brasil se torna 43º país a criminalizar homofobia. Por oito votos a três, o STF (Supremo Tribunal Federal) aprovou nesta noite...
Sexual Minorities oab

OAB proíbe exercício da advocacia para agressores de LGBT+

Com decisão unânime, o pedido de inserção desta medida pelo Conselho Federal da OAB vai passar a valer já nos próximos dias.
Plataforma viabiliza assessoria jurídica gratuita para pessoas LGBTQIA+

Plataforma viabiliza assessoria jurídica gratuita para pessoas LGBTQIA+

"Aliança Plural" conecta voluntários a pessoas precisem de suporte jurídico e/ou psicológico em casos de abuso e agressão
homofobia

6 dos 11 ministros já votaram a favor da criminalização da homofobia

Até o momento, 6 dos 11 ministros votaram a favor de enquadrar homofobia como crime. A análise será retomada no dia 5 com os votos dos outros 5 ministros
homofobia

Criminalização da homofobia é aprovada na CCJ do Senado

Quem restringir manifestação de afeto poderá ser punido com penas de um a três anos de reclusão. Projeto contra homofobia é de autoria de Weverton Rocha
propaganda Comercial do Banco do Brasil que fala sobre diversidade foi vetada pelo governo Bolsonaro

Governo responderá por censura, racismo e homofobia por vetar propaganda do BB

Ajuizado pelo MPF do RS, ação pede a retomada da propaganda e que a União pague, por dano moral coletivo, indenização de R$ 51 milhões
damares alves

Procuradoria Federal investiga Damares Alves sobre paralisação de 12 conselhos de direitos humanos

Damares Alves recebe prazo de dez dias para informar sobre efetivo funcionamento de conselhos na área de direitos humanos
facebook gays

Ministério Público investiga dois atos de injúria e discriminação contra gays no YouTube e...

As manifestações dos demandados não restringiram-se ao exercício do direito de crítica, revestindo-se de inequívoco caráter ofensivo à honra e à dignidade
estudante homofobia são paulo

Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de SP dá respaldo a estudante que...

Em nota oficial, a Coordenação de Políticas para LGBTI, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo declara apoio ao estudante
crime homofobia

E o projeto de lei que define homofobia como crime?

Depois de passar pela CDH, o PL 860/2019 será analisado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) em decisão terminativa.
hiv transporte

Após ação da Defensoria Pública, TJ-SP determina isenção em transporte público a portadora de...

A ação em face do Metrô, CPTM, SPtrans e Estado de SP pleiteava a concessão de isenção tarifária para que a mulher pudesse se locomover ao hospital

Startup ‘Bicha da Justiça’ oferece assessoria jurídica para a comunidade LGBTI+

O Bicha da Justiça representa a luta pelos direitos da comunidade LGBTI+, através de um portal online que oferece assessoria jurídica livre de LGBTfobia.

Após jogadores LGBT+ relatarem ameaças dentro de clube, estabelecimento reage com mais ameaças

"Alguns dos comentários postados na página [são] atentatórios contra a honra e a imagem do AÇAÍ CLUBE, de seu Corpo Diretivo e de seus sócios", dizem
stf gay

STF julga nesta quarta-feira ação para criminalizar a homofobia no Brasil

Após quase 6 anos, a corte deve julgar uma ação protocolada pelo PPS em 2013 para criminalizar a violência contra LGBT+ no país
coordenador

Conheça Marcelo Gallego, novo Coordenador LGBT no governo de São Paulo

Marcelo Gallego tem 41 anos, paulistano, filho de advogada com um professor de música, formado em Direito pela Universidade São Marcos, e pós graduado...
Madonna visita favela do Rio de Janeiro e posa com policiais

Policiais são treinados para atender LGBTQ em delegacia do Rio de Janeiro

No ano passado, o então programa Rio Sem Homofobia registrou 231 atendimentos de vítimas de violência contra a população LGBT.
116,428FãsCurtir
36,282SeguidoresSeguir
6,234SeguidoresSeguir
22,000InscritosInscrever
Tempero da Carne foto Julio Leão 9

Museu da Diversidade Sexual recebe exposição ‘Tempero da Carne’

A exposição faz parte da 3ª Mostra Diversa, que acontece a cada dois anos e tem como objetivo abrir espaço para novos artistas e suas propostas
Família demonstra apoio a homem trans que pretende fazer cirurgia

Família demonstra apoio a homem trans que pretende fazer cirurgia

No churrasco de domingo, homens da família sem camisa e de costas surpreenderam Richard Alcântara ao usarem fitas adesivas no tórax
Londrina

Parada LGBT+ de Londrina acontece neste domingo, 13 de outubro

O evento, em sua terceira edição, contará com diversas atrações culturais e estima colocar nas ruas mais de dez mil pessoas.
Hopi Hari fará edição Pride em novembro com Pabllo Vittar, Gloria Groove, Pepita, Lia Clark e muito mais

Hopi Hari fará edição Pride em novembro com Pabllo Vittar, Gloria Groove, Pepita, Lia...

Pabllo Vittar, Gloria Groove, Lia Clark, Aretuza Lovi, Pepita, Mateus Carrilho e Karol Conka são nomes confirmados para o 4º Hopi Pride
Label party TOKKA confirma próxima edição em novembro em São Paulo

Label party TOKKA confirma próxima edição em novembro em São Paulo

A TOKKA, com ares de festival, tem nova edição marcada para 9 de novembro no Parque Estaiada
MIS homenageia Da Vinci com experiências imersivas e interativas

MIS Experience homenageia Leonardo da Vinci em novembro

Um novo espaço cultural do Governo do Estado, o MIS Experience, será aberto ao público a partir do dia 2 de novembro com a exposição...
36,3k Seguidores
Seguir