“Ife” é uma história de amor, pura e simples, disse o produtor do filme. O título é retirado da palavra “amor” na língua iorubá da Nigéria. Mas essa história de amor entre duas mulheres, em uma sociedade onde a homossexualidade é largamente evitada e onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo é ilegal, é um pouco mais complicada. É o primeiro lançamento cinematográfico de uma nação que lidera a indústria cinematográfica do continente, conta o site Voice of America.

GAY BLOG BR by SCRUFF

O conselho de censura da Nigéria ameaçou “ir atrás” dos cineastas por “promover a homossexualidade” em uma indústria cinematográfica que, apesar de sua enorme produção, é amplamente conservadora em seus temas.

A ameaça levou os cineastas a não pressionarem pelo lançamento local. Em vez disso, eles planejam estreá-lo on-line em 10 de dezembro. Os espectadores podem acessá-lo por uma taxa no site centrado no LGBT nigeriano ehtvnetwork.com, disse a produtora Pamela Adie.

Reprodução

“Os cineastas daqui, os principais cineastas, geralmente se esquivam de contar histórias que se concentram nas pessoas LGBT”, disse Adie à VOA. “E mesmo quando as histórias são contadas, elas são contadas de um ponto de vista muito negativo. E lésbicas e gays são retratados geralmente como pessoas a serem temidas, pessoas que deveriam ser presas, pessoas que deveriam ser mortas, pessoas que não merecem direitos na sociedade nigeriana.”

Mais de 30 países africanos criminalizam relações não heterossexuais, e muitos outros têm opiniões contra as relações entre pessoas do mesmo sexo. Em 2018, o primeiro longa-metragem lésbico do Quênia, “Rafiki”, foi banido em casa, apesar de ter sido a primeira peça do país a estrear no prestigiado Festival de Cannes.

O filme também é uma história de dor, disse Adie, um sentimento com o que muitos membros da comunidade podem se relacionar.

“Ife” será lançado no Dia dos Direitos Humanos.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista pela Universidade Federal de MS, foi repórter de economia e hoje, além de colaborar para o Gay Blog, é servidor público em Joinville (SC). Escreveu ''A Supremacia do Abandono'', livro disponível em amazon.com.br.