GAY BLOG BR by SCRUFF

Kwarahy Tazyr“, primeiro disco completo de Kaê Guajajara, lançado em 2021, ganha agora mais palcos pelo Brasil com a turnê patrocinada pela Natura Musical. No dia 09 de setembro, Recife (PE) abre os shows e recebe a cantora indígena no Teatro do Parque

Nos dia 10 e 11 de setembro, Kaê se apresenta em São Luís (MA), na Casa d’Arte e Chão SLZ, respectivamente. Já em Manaus (AM),o show ocorre nos dia 16 e 18 de setembro, no Casarão de Ideias e no Te Encontro na Barroso. Em cada apresentação, um artista local será convidado pela cantora. Novas datas serão anunciadas, ainda este ano, no Rio de Janeiro e São Paulo

Kaê Guajajara (Foto: Tayná Sampaio)

O show “Kwarahy Tazyr”, totalmente acessível em libras, apresenta um formato inédito para a compreensão do público surdo, onde todas as canções foram gravadas pela intérprete de libras Leid Alves. “Com a interpretação em libras em um telão, todo público surdo será verdadeiramente contemplado na experiência ao vivo“, pontua Leid.

Kaê ainda apresentará, em algumas cidades, o show sincronizado ao seu recente lançamento: o primeiro álbum visual indígena da música brasileira, com direção de Kandú Puri e realização do selo artístico indígena Azuruhu

A artista, que nasceu em Mirinzal (MA) e se mudou para o complexo de favelas da Maré (RJ) ainda criança, é um expoente da Música Popular Originária (MPO). “A circulação nacional da Música Popular Originária é essencial para celebrar a vida e a arte dos povos indígenas, ainda homenageados como folclore, mas pouco reconhecidos como potência contemporânea para um diálogo primordial que é o do bem viver coletivo“, diz Kaê. 

Kaê Guajajara em “Kwarahy Tazyr” (Foto: Tayná Sampaio)

O termo “Kwarahy Tazyr” significa “Filha do Sol” em zeeg’ete, língua do povo indígena Guajajara, e oferece uma nova perspectiva sobre a colonização a partir de composições oriundas dos sonhos de Kaê – uma técnica ancestral de se receber os cantos. Nas composições, a vivência dos povos indígenas cresceram sem-terra por conta dos conflitos com invasores ganham protagonismo.

Este projeto, assim como os demais selecionados pelo edital Natura Musical, tem a potência de gerar impacto positivo no ecossistema onde está inserido. Isso se traduz em ações de inclusão, sustentabilidade, apoio à diversidade e educação. São pilares fundamentais para as mudanças que desejamos vivenciar no mundo”, afirma Fernanda Paiva, Head of Global Cultural Branding.

Kaê Guajajara em “Meu Respirar” (Foto: Tayná Sampaio)




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista gaúcho formado na Universidade Franciscana (UFN) e Especialista em Estudos de Gênero pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)