Com planos de ser a “Netflix das lutas sociais”, a plataforma Bombozila reúne cerca de 500 documentários independentes sobre justiça social e luta por direitos e disponibiliza  gratuitamente documentários como “Transbaixada”, “O que te torna viril?”, “Rebeca” e “Dame Candolle”.

Plataforma Bombozila disponibiliza gratuitamente 31 documentários sobre identidade de gênero + LGBTQ
“Eu não sou ele, eu sou uma Diva, eu sou uma Dame” – Luana Muniz em Dame Candolle.

Criada em 2016, no Rio de Janeiro, por iniciativa da radialista e pesquisadora chilena Sabina Alvarez e do documentarista independente brasileiro Victor Ribeiro, o site reúne documentários produzidos nos últimos 20 anos, sobre diversos temas, como luta pela terra, diáspora africana, indígenas, feminismo, LGBTQ+, movimento estudantil entre outros.

Disponibilizado em três idiomas – português, espanhol e inglês –, o portal reúne também curadorias temáticas como ‘5 Anos de Ayotzinapa’, ‘25 Anos de Zapatismo’, ‘Mulheres Indígenas’, e 4 canais com conteúdos temáticos: Extrativismo, Guerra às Drogas, Resistência Popular e Cultura.

O usuário pode fazer seu cadastro como em qualquer plataforma de streaming, organizar suas playlists e assistir depois. A plataforma ainda disponibiliza as #MaratonasBombozila em que diversos documentários são organizados em sequência para que a audiência possa se aprofundar em temas relevantes do momento.

“A proposta tem entre seus objetivos ampliar o alcance de filmes de baixo orçamento, produções comunitárias e de realizações relevantes, que atendem à urgência social de territórios em luta e resistência”. “No cenário político em que vivemos, com fake news, desinformação, ataques aos agentes culturais e ao cinema propriamente, os documentários retomam a importância de apresentar outras narrativas dos fatos e contestar a verdade oficial”. Victor Ribeiro, um dos fundadores da plataforma de filmes.

Bombozila também realiza suas próprias produções documentais, séries de projeções em espaços públicos, oficinas de formação audiovisual para democratizar o acesso à comunicação e fomentar a produção audiovisual popular, em diversas comunidades da América Latina.