Zé Celso vive contrabandista gay apaixonado em ‘Horácio’, filme que estreia esta semana

Elenco do filme conta com nomes como Maria Luisa Mendonça, Marcelo Drummond e Eucir de Souza

Horácio”, que estreia nesta quinta-feira (11) nos cinemas, é o longa-metragem do cineasta franco-brasileiro Mathias Mangin, que decidiu inserir na trama uma temática que colocasse em discussão o universo das pessoas LGBT em diversas esferas.

O filme marca a estreia de Zé Celso como protagonista (sim, o Zé Celso que é diretor do Teatro Oficina e uma das figuras centrais da cena teatral do país). No enredo, Zé vive um contrabandista de cigarros que fantasia e nutre um amor – não correspondido – por seu capanga Milton, interpretado pelo ator Marcelo Drummond.

Ao mesmo tempo, o capanga vive um amor platônico por Roberta, uma mulher jovem e misteriosa interpretada pela atriz transexual Glamour Garcia, que somente revela a sua identidade de gênero nos momentos derradeiros da trama.

horácio
Mathias Mangin, na pré-estreia do filme. Foto: Paulo Freitas

Diferenças – A escolha da sexualidade como marco das diferenças entre os personagens do filme foi feita de maneira proposital por Mathias Mangin. “Escolhi a sexualidade como marco das diferenças no filme, mas poderia ter escolhido a origem social ou a cor da pele. Preferi abordar a questão sexual, pois é muito difícil ser LGBT, sobretudo no Brasil, por conta do forte machismo da nossa sociedade. Quis mostrar que a sexualidade não deve prevalecer na hora de lidar com alguém, o que vale são as escolhas morais da pessoa, as suas qualidades intrínsecas”, explica o diretor, que além da direção também assina o roteiro, edição e produção.

Ele completa, ressaltando que “quando Horácio, o chefe, assedia Milton, o capanga o rejeita. Ele não faz isso por nojo à homossexualidade, e sim por não ama-lo. Ao romper com Horácio, Milton foge com a pessoa que ele verdadeiramente ama, Roberta, uma mulher transexual e se libera do ciclo vicioso do crime”.

Comente