Lançada em 1975 por Fagner no disco “Entre Amigos” com participação de Ney Matogrosso, a canção “Postal de Amor” ganhou releitura eletrônica com Daniel Peixoto e Filipe Catto.

O single “Postal de Amor” é o primeiro do projeto DP, idealizado por Daniel Peixoto para apresentar músicas em roupagens criadas por DJs e produtores da cena eletrônica. DP será terceiro álbum de Peixoto e será produzido pelo DJ Gorky e previsto para ser lançado no segundo semestre deste ano de 2020.

A gravação de 1975:

Meu amor, sem cor
Velho postal, amor banal
Sem nenhum
Sem nenhum valor
Nessa noite
Meu pobre amor de papel
Esqueça a cor
Do anúncio lá do céu
Na arcada principal
Secreto mal
Numa noite de neon
De papel crepom
Na arcada principal
Secreto mal
Numa noite de neon
De papel crepom
O mar vai e volta
Com um gosto
Do licor que ficou
Na tua boca
Do suor que ficou
Na minha boca
Vai deixando minha
Parda voz, parda voz
Parda voz, parda voz
Parda voz de louca
Louca, louca, louca
Louca, louca
Muito louca, muito louca
Louca, louca, louca
Louca, louca
Muito louca
O mar vai e volta
Com um gosto
Do licor que ficou
Na tua boca
Do suor que ficou
Na minha boca
Vai deixando minha
Parda voz, parda voz
Parda voz, parda voz
Parda voz de louca
Louca, louca, louca
Louca, louca
Muito louca, muito louca
Louca, louca, louca
Louca, louca
Muito louca

Compositores: Fausto Nilo / Raimundo Fagner Lopes / Ricardo Bezerra
Letra de Postal de amor © Sony/ATV Music Publishing LLC, Warner Chappell Music, Inc