Presença de Anitta no Jimmy Fallon

Antes decidir se a gente gostava ou não de “Show das Poderosas”, a Anitta já havia resgatado algo que achamos que nunca mais iria mais acontecer: um cantor não precisar usar sobrenome. Saudades imensas da Rosana, Patrícia e todos oitentistas! Eu ficava preocupado se alguém com o meu nome não iria fazer sucesso antes de mim e se apropriar do meu próprio nome.

Enfim, com a presença de Anitta no Jimmy Fallon apareceu um monte de especialistas em carreiras internacionais pra lembrar de outros cantores que já foram sucesso lá fora e, principalmente, para julgar a qualidade musical de cada um que saiu do Brasil.

Só é preciso focar no fato que muita gente mortal se sentiu orgulhosa ou representada por ela estar no palco do The Tonight Show – e se você não consegue ao menos ficar feliz pela felicidade alheia, tem algo muito errado aí dentro de você.

Vai me dizer que nunca se sentiu assim:

Ou passou por isso:

Então tome e receba:

SOBRE JIMMY FALLON

Fallon nasceu no Brooklyn, Nova Iorque, filho de Gloria e James Thomas Fallon Sr., veterano do Vietnã. Mais tarde sua família foi para Saugerties, Nova Iorque, enquanto seu pai trabalhava para a IBM na vizinha Kingston. Quando criança, ele e sua irmã Gloria representavam as “partes decentes” do Saturday Night Live que seus pais haviam gravado para ele. Fallon era tamanho fã de Saturday Night Live que fazia do ato de assisti-lo no alojamento da universidade um evento semanal. Na adolescência, impressionou seu pais com diferentes imitações, sendo a primeira de James Cagney. Tinha também inclinação para a música, e começou a tocar violão aos 13 anos. Viria a misturar música e comédia em concursos e shows.