GAY BLOG BR by SCRUFF

No espetáculo de teatro “Cuidado com Neguin”, o ator, diretor e dramaturgo carioca Kelson Succi expôs nos palcos o “corre” de um preto, pobre e favelado no “quadrado branco” da cidade do Rio de Janeiro. Na última cena da peça, ele enfatiza: “Eu gostaria de falar de amor”. Agora, anos depois, Succi se une ao ator e pesquisador LGBTQIA+ Vinicius Teixeira para traduzir esta frase e necessidade no primeiro projeto audiovisual do selo do Neguin: a série ficcional, afirmativa, LGBTQIA+, preta e periférica “Amor Natural”, que estreia no próximo dia 28 de maio, no YouTube do Sesc Rio.

Dividida em cinco episódios, a série é o novo projeto do selo artístico “Cuidado com Neguin” e relata uma trama de amor moderna, afirmativa e afrofuturista
Dividida em cinco episódios, a série é o novo projeto do selo artístico “Cuidado com Neguin” e
relata uma trama de amor moderna, afirmativa e afrofuturista

Dividida em cinco episódios curtos, de até 10 minutos, que serão lançados semanalmente, “Amor Natural” contará uma história de amor moderna e afrofuturista vivida entre os protagonistas Andrei (Succi), Guilherme (Teixeira) e Maria Júlia (interpretada pela atriz e influenciadora digital Érica Ribeiro), evidenciando temas como arte, violência, poesia, futebol, racismo, a efemeridade dos relacionamentos pela internet, música e, claro, amor.

Uma caótica e quente Zona Norte do Rio de Janeiro é o cenário dessa trama. Andrei é artista plástico, joga futebol, é morador do Complexo do Alemão e é a representação perfeita do preto livre. Guilherme é designer, apaixonado por arte e morador da Tijuca. Eles se conhecem num aplicativo de “pegação gay”. E o que era para ser apenas uma “fast foda” se torna um encontro profundo repleto de identificações, poesia e afeto.

Série LGBTQIA+, preta e periférica, "Amor Natural" estreia dia 28 de maio no YouTube do Sesc Rio
Série LGBTQIA+, preta e periférica, “Amor Natural” estreia dia 28 de maio no YouTube do Sesc Rio

Após se conhecerem, eles entendem que estão apaixonados. Porém, os dois precisam lidar com a realidade e com as diferenças entre seus mundos. Completando o time de protagonistas está Maria Julia, uma empresária ousada, cheia de coragem e sensibilidade que tem muito orgulho de onde veio e que trabalha com Andrei.

“Em tempos em que ainda precisamos lutar para ver nossas histórias nas telas,’Amor Natural’ se apropria da ficção para contar uma história real de amor que além de LGBTQIA+, preta e periférica, expõe as nossas visões desses temas e as mazelas que ainda enfrentamos como o racismo, o machismo, a homofobia e a transfobia, que atravessam as relações cotidianas e amorosas” – afirma Succi.

Tudo isso conduzido sob uma narrativa assertiva, documental e romântica com roteiro escrito por Kelson Succi – que também assina a direção – com colaboração de Vinícius Teixeira e Erica Ribeiro. Ainda integra o elenco o ator Reinaldo Junior, que viverá Carlinhos e a atriz trans Lux Nègre, escolhida numa convocatória pública via Instagram do projeto “Cuidado com Neguin”.

A trilha sonora também tem papel fundamental no desenrolar da história. A canção “afro futurista”, de Fran e Gilberto Gil, foi a escolhida para a abertura da atração, resumindo os encontros e desencontros desses personagens. A faixa “bateu forte”, também de Fran, é outro destaque. Já a trilha original é assinada pelo músico carioca Fenanu.

Série LGBTQIA+, preta e periférica, "Amor Natural" estreia no YouTube do Sesc Rio
bSérie LGBTQIA+, preta e periférica, “Amor Natural” estreia no YouTube do Sesc Rio
Como contar histórias que não são contadas

Para o idealizador Kelson Succi, “Amor Natural” é uma obra que dá voz às inquietações de muitos Andreis, Guilhermes e Marias Júlias, que não têm a chance de ter suas histórias contadas na dramaturgia contemporânea.

“Ao ambientar os acontecimentos na Zona Norte e com uma proposta para o YouTube, a série quer alcançar espectadores favelados, pretos, LGBTQIA+, suburbanos e fluminenses, chegando até mesmo em outras periferias pelo Brasil. Nossa intenção é que essas pessoas vejam as suas histórias e se sintam representadas”, afirma.

Vinícius Teixeira, também idealizador e protagonista, revela ainda que muitas das histórias e olhares presentes na série são inspirados nos próprios atores. “Sou gay e filho de militar. Durante muito tempo reprimi os meus afetos e a minha sensibilidade. Tive essa barreira e descobri na arte uma saída para me transformar e ver como essas relações eram naturais e possíveis. A comunidade LGBTQIA+ cresce sem poder viver e entender o que, de fato, é o afeto, o amor. Muito disso, desse nosso olhar, dessas nossas experiências, também estão na série, que vai abordar muito essa questão que a própria comunidade carrega por não poder se desenvolver numa sociedade heteronormativa. Estamos falando sobre a gente e para a gente”, diz Vinicius Teixeira.

Vivendo Maria Júlia na trama, a influenciadora baiana Érica Ribeiro frisa a importância de ampliarmos as narrativas e os espaços – especialmente na internet – para atrações audiovisuais como “Amor Natural”.

“Ainda é muito limitada a participação de negros na teledramaturgia e no audiovisual. É um espaço extremamente branco e que não amplia as narrativas. Se não positivarmos nossas histórias e trajetórias, não teremos espaço. Precisamos entender que podemos existir para além dessas narrativas limitadas” – conclui.

A série “Amor Natural” tem patrocínio do Sesc Rio e promoveu um financiamento coletivo para a sua realização, que contou com 89 apoiadores. Toda a equipe de profissionais é formada por pessoas negras, trans e/ou LGBTQIA+.

Série LGBTQIA+, preta e periférica, "Amor Natural" estreia dia 28 de maio no YouTube do Sesc Rio
Série LGBTQIA+, preta e periférica, “Amor Natural” estreia dia 28 de maio no YouTube do Sesc Rio

SERVIÇO

SESC RIO: https://www.youtube.com/portalsescrio
‘CUIDADO COM NEGUIN’: https://www.instagram.com/cuidadocomneguin/

SINOPSE

“Amor Natural” se passa no subúrbio do Rio de Janeiro. Andrei é morador do Complexo do Alemão e Guilherme, morador da Tijuca. Eles se conhecem num aplicativo de pegação gay. O que era para ser apenas uma fast foda, se torna um encontro profundo repleto de identificações, poesia e afeto. No dia seguinte, que geralmente é estranho, eles entendem que estão apaixonados. Porém, os dois precisam lidar com a realidade do mundo, que é diferente da estabelecida entre eles no apartamento. Vivendo em uma sociedade em que o amor e o romance se tornam secundários diante do prazer instantâneo das redes sociais, a série se propõe a ir contra a maré e resgatar o real sentido de amor natural, construindo relações de troca, honestidade e conexão.

FICHA TÉCNICA:
Idealização: Kelson Succi e Vinicius Teixeira
Direção: Kelson Succi
Assistência de direção: Priscila Clementino
Roteiro: Kelson Succi em colaboração com Vinicius Teixeira & Erica Ribeiro.
Fotografia: Larissa Brujin e DPK
Assistente de fotografia: Guilherme Fogaça
Direção de Produção: Vanessa Noronha
Produção Cuidado com Neguin: Brenno Erick
Produção Executiva: Helcimar Lopes e Clark Succi
Direção de arte e figurino: Pedro Azevedo e Vinicius Teixeira
Design de produção e redes sociais: Ronieri Gomes
Fotos de divulgação: Aloysio Araripe
Trilha original: Fenanu
Montagem e Pós-produção: Rafael Ribeiro
Assessoria de Imprensa: Mario Camelo

Elenco

Kelson Succi como Andrei – https://www.instagram.com/kelsonsucci/
Vinicius Teixeira como Guilherme – https://www.instagram.com/vinitei/
Erica Ribeiro como Maria Júlia – https://www.instagram.com/eraribeiro/
Reinaldo Junior como Carlinhos https://www.instagram.com/reiblack/
Lux Nègre – https://www.instagram.com/luxnegre/

KELSON SUCCI

Premiado no Grande Prêmio de Cannes (2019) com Bluesman, de Baco Exu do Blues, Kelson Succi é cria do Complexo do Alemão (RJ). Diante da falta de oportunidade, pela falta de representatividade e uma vontade enorme de protagonizar uma história preta, potente e bela, Kelson idealizou, escreveu, roteirizou, atuou e dirigiu a obra “Cuidado com Neguin”, sucesso de bilheteria em duas temporadas no Rio de Janeiro (Casa Rio 2018/ Memorial Getúlio Vargas 2018) e foi destaque do “Dramaturgias 2” (2019) do Sesc Ipiranga em São Paulo. Em 2017, foi artista convidado da People’s Palace Projects para integrar a residência “Creative Lab”, em Londres, desenvolvida em parceria com a Queen Mary University Of London. Protagonista do premiado longa “Selvagem” (Pietá Filmes – 2019), dirigido por Diego da Costa, Kelson Succi foi indicado na categoria “Melhor Ator” no Festival Guarnicê. Em 2019, foi artista convidado do festival Arte Core (MAM – Rj), onde realizou a obra “Isso Não É Uma Obra do Jackson Pollock” uma instalação performática em um carro fazendo crítica a tragédia dos 80 tiros. Estudou no Teatro O Tablado (2010 – 2016) e no Coletivo Brecha (2017). Protagonizou, junto com Vinicius Teixeira, o último episódio da série “Cinema de Enredo”, dirigida por Luiz Antonio Pilar (Lapilar Produções, 2019). Foi ator convidado em “Filhos D Medea”, peça dirigida por Marco André Nunes (Sesc Copacabana 2019). Fez parte do núcleo de protagonistas da série “Fim De Comédia” (2020), que teve suas gravações interrompidas por causa da covid-19. Foi ator convidado em “Álbum em Família” (Raccord Produções, 2020), longa-metragem filmado em casa e dirigido por Daniel Belmonte. Em 2020, foi convidado para apresentar o festival de música brasileira Coala Virtual, entrevistando grandes nomes da música brasileira como Gilberto Gil, Novos Baianos, Gilsons, Rico Dalasam, Mc Tha, Nego Bala, Mariana Aydar e Mestrinho.

VINICIUS TEIXEIRA

Ator, cantor e produtor, Vinicius Teixeira protagonizou o longa “Turvo”, de Murillo Sued, filmado em dezembro de 2020 e com lançamento previsto para 2021. No momento, aguarda o início das filmagens da série “MALVIDAS”, da Netflix, onde interpretará Décio, e das filmagens do curta “NÓS QUE ESTÁVAMOS SOB O MESMO SOL”, de Caio Scot. Além disso, faz parte do elenco dos longas “A TORRE”, de Sérgio Borges (Interpretando Vinicius), “ANNA” de Heitor Dhalia (Interpretando Gregório) e “TRÊS VERÕES” de Sandra Kogut (Interpretando Caio) e das séries “CINEMA DE ENREDO”, protagonizando o último episódio ao lado de Kelson Succi e com estreia prevista para 2021 no Prime Box, “CARCEREIROS”, da Rede Globo, “FERAS” da MTV e do núcleo protagonista das duas temporadas de “RIO HEROES” da Fox (Starchannel). Além disso, fez parte do elenco das novelas “Babilônia” e “ROCK STORY”, da Rede Globo. Também esteve no elenco da série Teatro no ato, dirigida por João Falcão para o canal Arte 1. No teatro, escreveu, produziu e atuou no seu primeiro solo teatral “ADUBO”, muito bem recebido pelo público e pela crítica. Adaptou o texto de Fonte Ovejuna, espetáculo que também atuou e produziu ao lado da Fricta Cia. Fez parte do elenco do espetáculo “Gabriela”, de João Falcão, e por seu papel, ganhou o Prêmio Aplauso Brasil de 2017 na categoria ator coadjuvante e foi eleito o melhor ator coadjuvante do ano pela revista Drops Mag. Além disso, participou de outros espetáculos no eixo Rio – SP nos últimos anos.

ÉRICA RIBEIRO

Érica Ribeiro é atriz, roteirista, figurinista e criadora de conteúdo. Formada pela Escola de Teatro Célia Helena, desde 2007 atua em diversos espetáculos, entre eles: “A Infinita Comédia”, direção de Ulisses Cohn, aprofundando-se na Comédia Dell ́art através de uma pesquisa de máscaras com Marina Quinan. Participou das peças “O Santo Parto”, dirigida por Bárbara Bruno, “Bumba-Meu-Fusca”, dirigida por Ednaldo Freire, “Olerê! Olará”, direção de Dionísio Neto, entre outras. Em 2009 estreou no audiovisual com o longa-metragem “Estamos Juntos”, de Toni Venturi. É cantora e sob os cuidados de Claudia Noemi desenvolve técnicas vocais para teatro musical e canto popular. É formada em Cenografia e Figurino pela SP Escola de Teatro. Como locutora e apresentadora, integrou o time de apresentadores do programa VVV Brasil e Acontece na Vevo da Vevo Brasil, direção de Julio Piconi. Desde 2015 integra o elenco principal da série “O Zoo da Zu”, direção de Fernando Gomes. Com participações ainda nas séries “Assédio”, de Amora Mautner. Integrou o elenco do musical jovem “Os Recicláveis”, de Toni Brandão e direção de Flavia Garrafa, “Livro de Ouro”, de Geraldo Rodrigues. Participou também dos filmes “A Comédia Divina”, de Toni Venturi, “Como Nossos Pais”, de Laís Bodanzki e da segunda temporada da série “PSI” também dirigida por Laís. Ainda no cinema participou do curta-metragem “Sample”, de Ana Julia Travia e dos filmes “Hebe”, de Maurício Faria e “Selvagem”, de Diego da Costa. Em 2020, assinou como uma das roteiristas da série “Casa da Vó”, da plataforma de streaming Wolo TV. Em seu canal do YouTube, vai trazendo com muito humor e sagacidade questões raciais e sociais.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.