Kasino, nome do projeto musical criado pelo carioca Fher Cassini (Fernando Ninô) e Mister Jam, chegou aos charts em 2005 com Can’t Get Over, tendo a faixa sido escolhida como tema da novela América, da Rede Globo.

GAY BLOG BR by SCRUFF

Cassini não estava fadado a um hit só e logo veio Shake it, que teve uma boa repercussão e foi tema de Páginas da Vida.Sexy Baby, que foi lançada inclusive antes de Can’t Get Over, entrou na trilha sonora de Sabor da Paixão

Em entrevista ao GAY BLOG BR, Kasino comenta sobre a carreira e também sobre a sucessão de informações falsas que apresentador Gilberto Barros deu quando o cantor participou do programa.

Reprodução

Como surgiu o projeto musical Kasino?

Surgiu como um projeto de estúdio, onde os produtores Fábio Almeida (Mister Jam) e Ian Duarte me convidaram pra fazer um teste e então nasceu a Can’t Get Over. A princípio era um single normal, mas que ao tocar na novela “explodiu” e aí nasceu o projeto.

Você despontou no cenário musical após a febre da Eurodance no Brasil, que foi em meados da década de 90. Quais eram os seus ídolos na Eurodance?

Meus ídolos na Eurodance eram Lasgo, a Evi Goffin, que também me inspirou muito e Scooter, que sempre ouvi muito. Também tenho influências de New Order e Pet Shop Boys.


A Eurodance teve o seu ápice nos anos 90, acredita no retorno da Eurodance como o ritmo da vez?

Acho pouco provável, a Eurodance enfraqueceu ao longo dos anos, e a música eletrônica mudou muito.

Reprodução

E o que você acha da música brasileira atualmente?

Acho que tem ótimos nomes surgindo e artistas nacionais se destacando lá fora. Aqui no Brasil, a música eletrônica está muito bem representada com nomes de peso como Alok, Vintage Culture, Dubdogz e Cat Dealers entre outros.

Recentemente você fez um post de repúdio em relação às declarações homofóbicas do apresentador Gilberto Barros. O que te motivou a se manifestar a respeito?

Primeiramente porque sou contra a qualquer tipo de preconceito e achei que devia me posicionar por conta do meme. Muitos fãs e amigos me falavam que devia explorar isso; fazer live com ele me apresentando, entre outras coisas, mas sempre fui contra. Foi um alívio saber que eu estava certo todo esse tempo.

É verdade que você já teve um problema com ele (apresentador Gilbero Barros) em uma ocasião em que você se apresentou no programa dele? Como foi isso?

Não foi bem um problema com ele, o que me incomodou foi a falta de preparo para receber  artistas em seu programa. Ele falava o tempo todo durante minha apresentação e depois falou mentiras, dizendo que sou de Santos, depois da Zona Leste de São Paulo. Não sei de onde ele tirou essas informações.

Reprodução

Eu li algo que você teve depressão por causa disso, verdade?

Mentira. Inclusive tenho esclarecido isso em lives e entrevistas. Foi um perfil falso que postou essas fake news e depois virou matéria no IG, onde falam que fui procurado, mas nunca me procuraram. Só pude desmentir depois de um tempo em uma entrevista ao site Não Salvo.

Pouco se sabe a respeito da sua vida particular, mas este post de repúdio foi também uma forma de você sair do armário? Você é gay?

Então, eu não vejo dessa forma. Eu nunca me escondi. Sou um cara livre para amar e me relacionar com quem eu quiser.

Reprodução

Uma vez surgiu um boato que você havia cancelado um show numa boate após descobrir que se tratava de uma casa noturna gay. Isso aconteceu?

Nunca. A única vez que tive de cancelar um show foi por problema de saúde, mas que logo foi remarcado. Eu fiz shows em várias boates GLS, Metrópole em Recife, Le Boy no Rio de Janeiro, Friends em Londrina. E em festas também.

Sua voz é muito parecida com o cantor italiano do projeto Magic Box. Já te disseram isso?

Não, só dizem que a música Can’t Get Over lembra If You, mas a voz não acho parecida.

Você gravou diversas músicas, inclusive algumas foram temas de novelas, mas era a sua voz mesmo nas canções ou era lipsync (como a Corona)?

Fazer playback principalmente em programas de TV é normal. A maioria das TVs solicitam essa forma pela praticidade.

E como foi participar do show Planet Pop, que virou DVD?

Foi mágico, porque sempre sonhei em fazer parte e depois por estar no festival com pessoas que admiro. Como disse antes, sou fã de Lasgo, Ian Van Dahl e Double You. Foi o melhor momento da minha carreira.

Sua música “Can’t Get Over” foi a 18ª canção mais tocada no Sul do Brasil em 2006 e a 6ª canção mais tocada no Norte no mesmo ano. Deu para ganhar muito dinheiro com o projeto Kasino? 

Sim, deu uma grana legal, mas os shows eram mais lucrativos até porque os lucros eram divididos igualmente por todos envolvidos no projeto.

Quais são seus próximos projetos?

Em breve lançaremos alguns remixes e teremos música nova, logo logo.

Kasino posa com as cores da bandeira LGBTIQ+
Reprodução: Kasino

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.