GAY BLOG BR by SCRUFF

Os Youtubers Tiago Fabri e Alexandre Duarte ganham a internet com o canal “Virou Festa“, onde abordam temas como cultura pop, reality shows e celebridades – quase  sempre com humor ácido.

Com quase 900 mil inscritos no YouTube, a dupla é sinônimo de sucesso também no Instagram, onde muitas vezes se tornam alvo de polêmicas; uma delas envolvendo um reality show da TV Record, que eles comentaram nessa entrevista exclusiva para o GAY BLOG BR.

foto
Tiago Fabri e Alexandre Duarte – crédito: Reprodução

O canal Virou Festa surgiu em 2016 e, em pouco tempo, obteve destaque e hoje está com quase 900 mil inscritos. Como surgiu a ideia de criar o canal?

A gente trabalhava com coisas que não gostávamos e estávamos o infelizes: eu em uma agência de publicidade e o Xan em uma escola. Um dia, ele de “saco cheio” do emprego, disse que iria começar a gravar gameplays (jogar jogos eletrônicos) para o YouTube e tentar fazer um dinheiro. Eu, que sou jornalista e já tinha tido uma pequena experiência como apresentador, curti a ideia. Na época, não tínhamos câmera, então convidamos uma amiga que tinha o equipamento para fazer parte do nosso canal. Os dois primeiros vídeos são com ela, mas ela não acabou levando tão a sério quanto nós, querendo apenas se divertir e jogar Pokémon Go. A gente lembra que ela falava “ai, vamos ficar tão famosos!”, porém, vivia ‘furando’ com a gente. Aí resolvemos comprar uma câmera nossa para podermos gravar mesmo quando ela não aparecia. Não tínhamos grana, então parcelamos em 12x uma que nem era tão boa. E começamos a gravar sobre coisas que nos interessavam, tipo games, música e TV. Eventualmente, gravamos o nosso primeiro “Fofocando Sobre Masterchef”, em 2018, sendo o primeiro “sinal” de que o projeto poderia dar certo. A partir daí começamos a entender que as pessoas gostavam mais de ver a gente falando sobre reality shows, fofocas etc. Foi quando começamos a pesquisar, estudar, “xeretar” e nos conectar mais com os principais reality shows, ficar atento a todas as novidades de todos os canais de TV, etc. Antes éramos só fãs, hoje somos praticamente especialistas nesses assuntos.

Falando sobre vida pessoal, há quanto tempo vocês estão juntos e como se conheceram?

Eu fazia uma festa de música pop aqui na região de Campinas e o Xan foi em uma das edições. Nos conhecemos alí e passamos a conversar pelas redes sociais. Depois de sete meses de papo, a gente marcou um encontro e, desde então, estamos juntos. Em novembro completamos oito anos.

Já sofreram homofobia fora do ambiente virtual?

Na vida real foram poucas vezes que sentimos algum desconforto por conta de preconceito. No entanto, teve uma vez que passamos por uma situação bem constrangedora em uma loja de eletrônicos de um shopping em Campinas. Eu queria um celular sofisticado para ajudar em nosso trabalho e a gente estava disposto a gastar uma “boa grana”. Um menino veio nos atender, mas notamos que ele começou a “zombar” da gente com outros colegas em um momento posterior quando ele percebeu que nós eramos um casal. Na hora decidimos nos retirar, porém, só naquela loja a gente encontrou o modelo que queríamos e tivemos que voltar lá, e acabamos pedindo ajuda a outro atendente. Depois de fecharmos a compra, pedimos para esse segundo vendedor avisar ao colega que ele tinha perdido uma ótima comissão por ser babaca e preconceituoso. Jamais saberemos se o recado chegou desse jeitinho para aquele idiota, mas ficamos satisfeitos.

E como vocês lidam com os haters? 

O Xan é mais de boa, ele simplesmente não se importa. Eu, durante tempos, me chateava mais, mas de uns tempos pra cá passei a ignorar também. E se [o hater] “enche muito o saco”, a gente bloqueia e acabou. A vantagem é que, como somos três perfis na internet (Virou Festa, Tiago e Alexandre), tem pessoas que são bloqueadas por comentários ofensivos nas redes do Virou Festa e acabam indo em nossos perfis pessoais para pedir desculpas e para serem desbloqueadas. É engraçado ver essas pessoas que criticam tanto nosso trabalho e personalidades não vivem sem o conteúdo que a gente cria, e que até precisam colocar o rabinho entre as pernas para pedir para voltar a ter acesso a ele. E detalhe, jurando que vão se comportar bem de agora em diante (risos).

foto
Tiago Fabri e Alexandre Duarte – crédito: Reprodução

Como vocês lidam com as comparações com o Diva Depressão, criado três anos antes?

Hoje em dia não nos comparam mais e creio que já entenderam que se tratam de canais diferentes. Mesmo que façamos um vídeo abordando o mesmo assunto, o resultado sempre é diferente. Porém, no início a gente enfrentou muitas críticas. As pessoas achavam que queríamos ser o Diva Depressão, e esse nunca foi o objetivo. Acreditamos que muita gente julgava e comparava apenas pelo fato de também sermos um casal gay fazendo um canal no YouTube. É um preconceito estranho, afinal, se uma menina vai lá e faz um canal de maquiagem no YouTube, todas que vierem em seguida estão imitando ela e querendo ser igual? Não. O primeiro menino que fez gameplay no YouTube é plagiado por todos os outros que fizeram isso depois dele? Óbvio que não. Felizmente o tempo foi responsável por essas comparações sumirem, por fazer as pessoas entenderem as diferenças e, principalmente, mostrar que existe espaço tanto para o Diva Depressão, quanto para o Virou Festa e também para todos os canais de casais gays debochados e “super antenados” que aparecem por aí.

Vocês são amigos do Edu e Fih, do Diva?

Infelizmente, não! Acreditamos que por morarmos no interior de São Paulo e eles na capital, além de que nunca os encontramos e eventos, isso ainda não ocorreu.

foto
Tiago Fabri e Alexandre Duarte – crédito: Reprodução

O foco do canal é comentar sobre os programas e reality shows da TV. Atualmente, o que há de mais bizarro na TV? 

Embora a gente deboche de quase todos os programas que comentamos, tudo que trazemos para o “Virou Festa” é porque a gente curte, achamos graça, são produções e pessoas que geram comentários bons e divertidos. Mas tem muita coisa ruim. As coisas mais bizarras da TV a gente prefere nem trazer para o canal. Tem uns apresentadores ignorantes que fazem desserviço e que não deveriam ter espaço e voz dentro da TV. Eles “enchem a cabeça” das pessoas de mentiras e absurdos que só fazem a nossa sociedade “caminhar para trás”.

Há alguns meses, vocês fizeram um vídeo a respeito do reality show “Hair”, da TV Record, que através de um equívoco entregou o prêmio para o candidato errado. Vocês gravaram um vídeo e logo ele foi bloqueado pela emissora. Como ficou essa história?

Essa foi a primeira polêmica que a gente comentou e que acabamos fazendo parte dela (risos). O Hair foi um reality show de competição de cabeleireiros que contou, ao longo da temporada, com jurados considerados “feras” no meio da beleza, como Celso Kamura e Wanderley Nunes, mas teve sua decisão final feita totalmente pelo público, através de votos no site da Record. Porém, quando a Ana Hickmann foi entregar o prêmio para o ganhador, rolou um erro da produção e ela acabou entregando o troféu e o cheque de R$ 30.000,00 à participante Amanda, quando na verdade o público tinha escolhido em sua maioria o participante Emerson, que na ocasião ficou em 2º lugar. A gente achou o resultado estranho, porque não era compatível com o comportamento do público nas redes sociais, e a porcentagem de votos que foi absurdamente redonda, 70% a 30%. Aí fizemos um vídeo comentando tudo isso, óbvio. Porém, ele ficou cerca de 2 horas no ar e depois foi bloqueado no YouTube a pedido da Record, que alegou que a gente estava usando conteúdo protegido por direitos autorais da emissora e, mesmo a gente alegando que não fizemos uso de trechos do Hair, exibindo apenas imagens ilustrativas, nós não conseguimos reverter a situação e a emissora não permitiu o retorno do vídeo. Em seguida saiu na imprensa uma nota oficial da própria Record confirmando que realmente aconteceu o erro e que a correção e a entrega dos prêmios ao participante que realmente foi escolhido pelo público seriam exibidos numa reprise do episódio. Ficamos “passados” que estávamos certos a respeito de tudo e entendemos que esse era o motivo que fez eles tirarem nosso vídeo do ar. Corremos para checar as redes sociais da própria Ana Hickmann pra ver se ela havia se pronunciado a respeito e, para a nossa surpresa, ela tinha bloqueado nossos perfis pessoais e o do “Virou Festa” no Instagram. Depois, resolvemos checar o perfil do Alexandre Correa, marido da Ana, que é famoso por tomar a frente de assuntos que envolvam ela na mídia, e também fomos surpreendidos pelo bloqueio dele. A sensação, até hoje, é de que a Rede Record foi injusta em tirar nosso trabalho do ar. Na época, fizemos um segundo vídeo, relatando todo o ocorrido de forma aberta aos nossos seguidores, e obviamente nosso público não aprovou a postura tomada pela Ana, seu marido e, principalmente, a da Record TV, que foi contra todo e qualquer senso de liberdade de expressão. Muita gente ali disse que só conheceu o reality show e passou a acompanhá-lo depois da gente comentar sobre ele no Virou Festa.

foto
Virou Festa – crédito: Reprodução

O que estão achando sobre “A Fazenda 13”? Para quem estão torcendo?

A Fazenda 13 tinha tudo pra dar errado! Ela veio sem o Marcos Mion e depois de uma edição que fez muito sucesso na TV e bombou nas redes sociais. Porém, a Adriane Galisteu tá “arrasando” na apresentação, o elenco foi muito bem escolhido e só tem personagens bons para o jogo caminhar garantindo muito entretenimento pra gente. Eles entregam tudo e ninguém sai despercebido. Tem participante que a gente ama, tem os que a gente odeia, tem os crushes, tem tudo. E pra quem a gente está torcendo? Para a treta, é óbvio. A gente quer “mais fogo no feno” para poder comentar no Virou Festa.

Este ano, a edição apostou em alguns nomes desconhecidos, quem vocês substituiriam e por quem?

Agora que já passou alguns dias que o reality está no ar, a gente acha que não trocaria ninguém ali. Nos anos anteriores, a Fazenda se resumia em treta e baixaria. Esse ano ela veio mais complexa, com histórias, bagagens pesadas de passados que condenam, com gente já sendo julgada antes mesmo de entrar e sendo fiscalizada a todo momento por conta disso, como o Nego do Borel, por exemplo ou a Tati Quebra Barraco. Está surpreendente e gostoso de acompanhar, estamos “nos amarrando” nas histórias. Deixa do jeitinho que tá porque tá dando bom (risos).

Quem é o maior mala desta edição de “A Fazenda”?

Todo mundo é chato ali, né? Vamos falar a verdade?! Mas isso é ótimo! Porque aí eles se chateiam uns com as chatices dos outros e “explodem”, gerando muito conteúdo pra gente comentar.

foto
Tiago Fabri e Alexandre Duarte – crédito: Reprodução

Qual foi o pior reality show brasileiro realizado até hoje, na opinião de vocês?

O BBB19! A gente acha que aquela final e aquela campeã imperdoável.

Sendo vocês especialistas em TV, qual a opinião do “Virou Festas” sobre: A Tarde é Sua, Dudu Camargo, Rodrigo Xuxa, Mara Maravilha e Encontro com Fátima Bernardes?

A Tarde é Sua: a gente adora como a rodinha de fofoca da Soninha e sua turma pode ser tão aconchegante e graciosa e, ao mesmo tempo, tão sensacionalista, parcial, fúnebre e lucrativa. Afinal, quanto merchandising, meu pai.

Dudu Camargo: ele precisa urgentemente sair do armário e ser feliz.

Rodrigo Xuxa: um talento desperdiçado. O Brasil inteiro precisa conhecer esse apresentador. Ele poderia ser a nova Hebe!

Mara Maravilha: uma vida inteira perdendo a oportunidade de ficar quieta.

Encontro Com Fátima Bernardes: desde 2012 fazendo a gente sentir saudade da TV Globinho.

Quais são os projetos para o “Virou Festa”?

Desde 2020 a gente está com uma estrutura muito legal, com uma equipe boa e unida. Juntos a gente tem alcançado coisas incríveis. Dia desses o UOL nos convidou para criar conteúdo pra eles, mas infelizmente não pudemos aceitar. É hora de investir toda nossa energia e tempo no próprio Virou Festa, e alimentar direitinho o público que a gente tem conquistado com o conteúdo que a gente tem criado, cada dia com mais empenho, tanto para o canal quanto para as redes sociais, na busca de mais e mais qualidade e diversão para essas pessoas lindas que nos acompanham. Agora a ideia é fechar esse ano com a cobertura de A Fazenda e uma programação especial que estamos planejando. Tirar férias pra curtir as festas de fim de ano, pois, também somos filhos de Deus (risos) e iniciar 2022 com a cobertura do BBB22, na intenção de superar o sucesso absoluto que foi nossa cobertura da edição desse ano do reality, e, óbvio, alcançar a marca de 1 milhão de inscritos no YouTube.

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.