GAY BLOG BR by SCRUFF

A apresentadora do SBT, Christina Rocha, concedeu uma entrevista ao Splash comentando um pouco sobre o fim do programa “Casos de Família” após 18 anos no ar na emissora de Silvio Santos, e entende que a atração serviu para que as pessoas refletissem sobre pautas importantes como homofobia e machismo.

“Abri portas para as pessoas refletirem sobre homofobia e machismo na TV. Para as pessoas refletirem: ‘qual é o pecado do meu filho ser homossexual ou transexual?’ A Anahy (D’Amico), minha amiga psicóloga, e eu tentamos mostrar que o mais importante é o caráter, é o amor que a gente tem… Graças a Deus, sou super querida no meio LGBTQIA+ por abrir portas. Quando digo eu, estou falando de toda a equipe do programa”, diz.

“É diferente de você fazer uma reportagem sobre a homofobia, isso é bacana, mas no ‘Casos de Família’, a gente batia de frente com os conflitos o tempo todo. Ficava cara a cara com o homem machista que acreditava ser o dono da mulher. O Casos de Família mostrava todo dia as pessoas abusadas e quem abusava. Tinha meme, a parte engraçada, mas era pesado para quem fazia. Era porrada e eu fazia terapia por isso”, completa.

"'Abri as portas' para as pessoas refletirem sobre homofobia e machismo", diz Christina Rocha sobre fim do Casos de Família
Reprodução

Segundo Christina, os memes e as brincadeiras não a incomodavam, mas sim as acusações de que as histórias eram forjadas. “O que me incomoda é dizer que o programa é armado, é menosprezá-lo. Tem gente que gosta de ver só programa leve, de ver as Kardashians, e não ter contato com os problemas do dia a dia. E respeito quem não gosta desse tipo de programa, mas me incomodava a falsidade e demagogia de pessoas que diziam que as situações não aconteciam. Mas acontece independente da classe social”, diz.

O SBT afirmou que o “Casos de Família” pode retornar ao SBT em 2023, mas Christina Rocha diz que quer se reinventar e que é possível que ela crie um podcast. “Quero fazer outras coisas. Além da TV, quero fazer podcasts e ter o meu. Estou vendo com o pessoal que me assessora. Não quero ficar fazendo a mesma coisa o tempo inteiro. Ficar muito tempo na TV é legal, mas me sentia acomodada”, diz.

 




Únete a nuestra comunidad de más de 15 millones de chicos

Encuentra exactamente los chicos que te gustan usando los filtros de búsqueda poderosos de SCRUFF. Hazte Embajador SCRUFF Venture para ayudar a los miembros que vienen de visita a tu ciudad. Busca una agenda actualizada de los mejores festivales, fiestas, orgullos y eventos gay. Aumenta tus posibilidades con SCRUFF Pro y desbloquea más de 30 funciones avanzadas. Baja la app SCRUFF aquí.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"