Coletivo Revolta da Lâmpada ocupa a região da Av. Paulista neste sábado

A Revolta da Lâmpada, grupo ativista que reúne vários movimentos, faz marcha artística com falas, músicas e performances coletivas neste final de semana

Revolta da Lâmpada é um protesto artístico e político que acontece em São Paulo desde 2014 e alia as lutas LGBTI+, negra, feminista e de pessoas vivendo com HIV. O coletivo em surgiu após o episódio de LGBT+ serem agredidos com lâmpadas fluorescentes na Avenida Paulista, em 14 de novembro de 2010, ao saírem da boate Tunnel.

Sob o tema “O fervo do fim do mundo“, a marcha da RDL (Revolta da Lâmpada) faz sua quinta edição neste sábado, 8 de fevereiro, com concentração às 15h na Praça do Ciclista e segue até o Largo do Arouche.

Queremos gerar a seguinte reflexão: ‘quais corpos tem direito a um mundo melhor?’ Antes a gente lutava era para evitar o fim do mundo, hoje lutamos para sobreviver em meio a ele. Para nós, o fim do mundo já chegou e senta na cadeira presidencial e nos principais gabinetes do país. A precarização do trabalho, da educação e da saúde, a destruição do meio ambiente, a manipulação desonesta da informação, o uso político oportunista da fé, a crescente falta de moradia e infraestrutura básica, a volta da fome, o terrorismo de estado, o genocídio nas periferias e aldeias, a afinidade de nossos governantes e parlamentares com ideais nazi-fascistas, o controle dos corpos, a censura às artes e o incentivo à violência contra a diversidade instauram cenários de fim do mundo para muitas populações”, contam os artivistas do coletivo.

A Revolta da Lâmpada, grupo ativista que reúne vários movimentos,
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Programação do “apocalipse”

O cortejo acontece em três atos: o antigo mundo, um culto de transição e o novo mundo.

Concentração a partir das 15h
– oficinas de cartazes;
– rodas de rimas & poesias do apocalipse (com Transarau);
– apresentação da dupla Norma e Cistema (com Magô Tonhon e Gabriel Lodi)
– performance: “O que você quer atirar da borda da Terra Plana?”, com a drag queen @divinakaskaria.

Às 16h30, começa o Cortejo Rumo ao Novo Mundo com
– Ritual de Lavagem na Avenida Paulista;
– Desfiles das ‘corpas’ livre;
– Sambada na cara das inimigas;
– Coreografias do Apocalipse dissidente com: chuca ácida, furacão sapatão, terremoto preto, tsunami trans, gordas sísmicas, tornado bixa, explosão bi&pan, incêndio positHIV e buraco na camada d’OZOMI.

Na sequência
– Culto Travesti, com as artistas Alice Vilas Boas & VENI, que vão decretar o fim deste mundo para o início do novo.
– Arrastão Dionisíaco Rumo ao Novo Mundo.
– Túnel das “7 pregas do apocalipse” (portal para o novo mundo)
– Baile do Novo Mundo, no Largo do Arouche (com os coletivos Animalia e Marsha!)
+ hasteamento de bandeiras
+ projeções com Sladka Jerônimo Jerônimo,
+ performances e intervenções.

A programação completa pode ser vista no evento do Facebook. O ato acontece através da colaboração coletiva e é possível  ajudar o evento monetariamente através do site de doações com recompensas. Veja fotos de edições passadas aqui e aqui.

https://www.facebook.com/events/113682590015775/

SERVIÇO

Evento: A Revolta da Lâmpada na Rua 2020 O fervo do fim do mundo

Data: 8 de fevereiro, sábado
Concentração: 15h.
Endereço: Praça do Ciclista – Avenida Paulista, 2444.
Evento no Facebook:
neste link

Para saber mais sobre o histórico de ações do coletivo, visite a página do Facebook.

1 COMENTÁRIO