A Pixar, subsidiária da Disney famosa por seus filmes de animação como Toy Story, Carros e outros, lançou no último dia 22 seu primeiro curta-metragem com protagonistas gays, “Out“, que também chama a atenção por ser um romance inter-racial.

O curta tem menos de dez minutos e já repercutiu no Twitter sob a hashtag #PixarOut, com muitos elogiando a produtora de animação, sendo que muitos disseram que até mesmo choraram ao assistir.

Escrito e dirigido por Steven Clay Hunter (Procurando Nemo), a história gira em torno de um jovem que se questiona se deve ou não contar para a família que é gay, já que ele pretende sair do interior para a cidade grande para morar com seu namorado. Há cenas de beijo entre os dois apaixonados.

A animação está disponível no serviço Disney+ dos EUA, que é bem rígido quanto suas políticas de produção voltada para a família.

Anteriormente, já haviam personagens gays em produções da Pixar, porém eles sempre faziam papeis secundários, como é o caso de Procurando Dory e também Dois Irmãos – Uma Jornada Fantástica.

Mais recentemente, o filme “Onward”, conta com a presença de uma lésbica, que chega a comentar sobre sua namorada. Além deste, a série de comédia Andi Mack, do Disney Channel, também teve um romance LGBT na última temporada.

Primeiro beijo gay em desenho animado.

O primeiro beijo entre dois homens em um desenho da Disney apareceu na animação “Star Vs. As Forças do Mal”, indo ao ar pelo canal Disney XD.

No episódio, intitulado de “Just Friend”, os personagens do desenho estão em uma apresentação musical quando, durante uma música, vários casais são formados e começam a se beijar. Entre os casais formados, a cena mostra um beijo entre dois homens e na sequência duas mulheres também se beijam.

Nos Estados Unidos, onde o episódio já foi ao ar, a repercussão do primeiro beijo gay foi positiva e muitos telespectadores elogiaram a iniciativa por meio das redes sociais.

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".