This article is also available in: Español

GAY BLOG BR by SCRUFF

Segundo uma matéria publicada pela Folha de São Paulo, diversas torcidas LGBTs de clubes de futebol brasileiros esperam alcançar mais visibilidade para suas pautas em meio à participação das torcidas denominadas antifascistas nos recentes protestos pró-democracia e contra o governo de Jair Bolsonaro.

Onã Rudá, líder da Torcida LGBTricolor do Bahia, antes de jogo da equipe em março - Raphael Muller - 7.mar.20/Folhapress
Onã Rudá, líder da Torcida LGBTricolor do Bahia, antes de jogo da equipe em março – Raphael Muller – 7.mar.20/Folhapress

“A luta antifascista é sobretudo uma luta contra a intolerância, então é natural que os torcedores LGBTQ endossem esses atos”, diz Onã Rudá (29), fundador da torcida do Bahia LGBTricolor e um dos idealizadores do Canarinhos Arco-Íris, que reúne 14 clubes.

A ideia original era para que, em 2020, o Coletivo Nacional de Torcidas LGBTQ Canarinhos Arco-Íris atuassem como redes de sociabilização e proteção para que os LGBTs se sentissem protegidos nos estádios. No entanto, com a quarentena provocada pelo Covid-19, os planos mudaram, e houve uma ampliação no escopo das ações.

Rudá defende que a união dos clubes trará aspectos positivos para as torcidas LGBTs nos estádios, ampliando a participação dos membros da comunidade nos clubes, além de combater também o discurso homofóbico dentro do ambiente futebolístico.

Uma série de medidas contra a LGBTfobia foi apresentada a clubes e entidades, como a CBG, STJD, MPF e Secretaria Especial do Esporte, entre outros órgãos. Entre elas estavam proposições contra a transfobia, assim como o respeito ao nome social de pessoas trans nos registros de associados dos clubes e a garantia de que mulheres trans sejam revistadas por policiais mulheres nos estádios.

Eduardo Cruz, Lívia Ferreira e Onã Rudá, da LGBTricolor, antes de jogo da equipe em março - Raphael Muller - 7.mar.20/Folhapress
Eduardo Cruz, Lívia Ferreira e Onã Rudá, da LGBTricolor, antes de jogo da equipe em março – Raphael Muller – 7.mar.20/Folhapress

Também foi proposto a elaboração de campanhas contra a LGBTfobia por parte dos organizadores, assim como a criação de um aplicativo para denúncia de homofobia dentro dos estádios. No entanto, a reivindicação só teve respostas oficiais de dois clubes: o Bahia, que desde 2018 tem um núcleo de ações afirmativos, e o Internacional, que também conta com uma diretoria de inclusão social.

“O Bahia, quando traz discussões como as causas LGBT, por exemplo, sabe que é um enfrentamento pioneiro e corajoso” – diz o presidente Guilherme Bellintani.

 

“O clube está atento e à disposição para resolver eventuais conflitos e minimizar a questão da LGBTfobia” – diz Najla Diniz, diretor de inclusão social do Internacional.

Já a CBF também se posicionou, dizendo que as ideias serão analisadas para ajudarem no combates aos casos de LGBTfobia, como uma vertente da campanha “Todos Iguais” que procura focar na luta contra o racismo.

A própria CBF já recebeu diversas multas da Conmebol e da Fifa por gritos homofóbicos vindo dos torcedores em jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 e na Copa América de 2019.

O próprio medo da violência homofóbica leva os torcedores a encarnarem personagens distintos do que são. Segundo o depoimento de William de Lucca, 34, que também atua no Canarinhos, caso a pessoa fique “no armário” e tenha “passabilidade de hétero”, os homossexuais ou bissexuais podem permanecer nos estádios sem ter problemas.

Foto: Reprodução

Torcidas LGBTs que integram o Canarinhos Arco-Íris:

Orgulho Vermelho (Internacional)
Fundação: Abril de 2019
Membros: 50 torcedores
Facebook: 1.003 seguidores
Twitter: 156 seguidores

Furacão LGBT (Athletico)
Fundação: Setembro de 2019
Membros: 93 torcedores
Twitter: 2.734 seguidores

Coxa LGBTQ+ (Coritiba)
Fundação: Dezembro de 2019
Membros: 21 torcedores
Twitter: 504 seguidores

Paraná LGBTQ
Fundação: Maio de 2020
Membros: 2 torcedores
Twitter: 398 seguidores

Fiel LGBT (Corinthians)
Fundação: Dezembro de 2019
Membros: 25 torcedores
Twitter: 1.766 seguidores

Palmeiras Livre
Fundação: Abril de 2013
Membros: 50 torcedores
Facebook: 10.956 seguidores
Twitter: 549 seguidores

FlaGay (Flamengo)
Fundação: Maio de 2016
Membros: 10 torcedores
Facebook: 622 seguidores
Instagram: 494 seguidores

Marias de Minas (Cruzeiro)
Fundação: Maio de 2019
Membros: 67 torcedores
Twitter: 442 seguidores
Instagram: 1.081 seguidores

LGBTricolor (Bahia)
Fundação: Novembro de 2019
Membros: 351 torcedores
Facebook: 625 seguidores
Twitter: 2.425 seguidores
Instagram: 2.798 seguidores

Orgulho Rubro-Negro (Vitória)
Fundação: Dezembro de 2019
Membros: 30 torcedores
Twitter: 361 seguidores
Instagram: 203 seguidores

Coral Pride – Camisa 24 (Santa Cruz)
Fundação: Março de 2020
Membros: 12 torcedores
Twitter: 505 seguidores
Instagram: 938 seguidores

Sport Recife LGBTQ
Fundação: Abril de 2020
Membros: 2 torcedores
Twitter: 193 seguidores

Vozão Pride (Ceará)
Fundação: Janeiro de 2020
Membros: 5 torcedores
Twitter: 1.730 seguidores

Papão Livre (Paysandu)
Fundação: Maio de 2017
Membros: 18 torcedores
Facebook: 1.697 seguidores

Clube de Futebol Bahia ganha camisa com as cores do arco-iris

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".