Casa Natura terá competição de voguing com performance de Jup do Bairro

Com apresentação da multi-artista Jup do Bairro,"Pajuball – Corpos em Performance" propõe programação paralela na Casa Natura Musical

Casa Natura Musical oferece, com entrada gratuita, o Pajuball – Corpos em Performance, no dia 21 de junho, sexta-feira, a partir das 23h. O evento acontece no mesmo dia da 2ª Marcha do Orgulho Trans de São Paulo e antecede a 3ª Parada Preta. Idealizado pelo Coletivo Amem, o evento propõe a união da cultura Ballroom e o dialeto Pajubá, comunicações verbais e corporais criadas pela comunidade LGBTI+.

A noite será composta por mesa de debate, competições (Ball) e performance da artista trans Jup do Bairro.

jup do bairro

As Balls são bailes que surgiram em meados dos anos 60, realizados pela comunidade LGBTI negra e latina de Nova Iorque, dando origem à cultura House Ballroom, que traz em sua essência possibilidades de performances baseada em identidades de gênero, raça e sexualidade. O Pajubá é uma linguagem em códigos criada pela comunidade LGBTI+ como uma forma de resistência e comunicação que utiliza termos de origem nagô e iorubá.

O começo da noite será composto por uma mesa de discussões encabeçada por artistas e performers sobre a cultura Ballroom, trazendo questões presentes nos dias de hoje, como as diferentes identidades de gênero e o protagonismo das travestis, pessoas trans e negras em movimentos políticos e sociais como o Stonewall, muitas vezes referenciados como conquistas apenas da população masculina e branca.

“Neste sentido, a Ball é um espaço acessível e democrático que propõe um contraponto à Parada LGBTI. É um convite para celebrar a participação das outras siglas nos processos e progressos da comunidade”, comenta Félix Pimenta, pai da House of Zion e membro do Coletivo Amem.

A conversa será seguida por uma performance da multi-artista Jup do Bairro, que faz a abertura da Ball (competição aberta ao público) com doze categorias, que incluemmelhor desfile, melhor vestimenta, categorias de voguing (estilo de dança surgido nas Balls inspirado pelas posições das modelos nas capas da revista Vogue), entre outras possibilidades de performance.

A ideia do evento, segundo Flip Couto, um dos idealizadores do Coletivo Amem, surge como uma forma de continuar fomentando a cultura do Ballroom no Brasil. “Desde o seu início, a cultura Ballroom criou espaços seguros como estratégia de sobrevivência e teve enorme importância no acolhimento da comunidade LGBTI negra e latina de NYC. Durante o auge da epidemia da AIDS, membros da comunidade desenvolveram modos criativos de ‘intravenção’ (intervenções criadas para e pela comunidade, em vez de intervenções específicas promovidas por autoridades de saúde pública)”.

Félix e Flip também apontam a importância de propor uma celebração não-hegemônica à comunidade LGBTI+, trazendo à cena representantes de todas as suas siglas. As doze categorias do baile terão as competidoras e competidores de diferentes cidades do Brasil avaliados pelas juradas Simone Demoqueen West (DF), Luna Akira (BH) e Bonnie (SP), acompanhadas pelas chanters (Mcs) Félix Pimenta e Zaila B. e a DJ EVEHIVE.

Jup do Bairro

Multi-artista, em meados de 2007, encontrou nas artes a possibilidade de externar suas vivências. Durante sua trajetória, atuou como educadora, palestrante, styling, atriz, cantora, performer e produtora de eventos, tudo de forma autodidata e sempre colocando em pauta narrativas que atravessam seu corpo, de travesti, preta, gorda e periférica. Jup do Bairro tem acompanhado Linn da Quebrada nos vocais nas turnês de Pajubá e Trava Línguasdentro e fora do Brasil, além de intercalar seu tempo o projeto Bad do Bairro, apresentação que faz acompanhada da DJ BadSista. Em breve, Jup também estreará ao lado de Linn da Quebrada no programa transMissão, do Canal Brasil.

Categorias

 Hands Performance

  • Joga a Raba
  • Runway OTA*
  • Best Dressed
  • Team Realness
  • Face
  • Vogue Virgin
  • Vogue Old way
  • Vogue New way
  • Vogue Drag Performance
  • Vogue Femme Soft
  • Vogue Femme Dramatic OTA*

*OTA (Open to All – Aberto para todxs)

SERVIÇO

Pajuball – Corpos em Performance
Dia 21 de junho – sexta, 23h. Abertura da casa: 21h30
Ingressos: Gratuito
Classificação: 18 anos.
Duração: 120 minutos.
Capacidade: 710 lugares
Mais informações: https://www.facebook.com/events/659661671128822/

CASA NATURA MUSICAL
Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo, tel: (011) 3031-4143
Ingressos sem taxa de conveniência na bilheteria da Casa
Ingressos podem ser pagos com dinheiro, cartões de crédito e débito
Horário da bilheteria: de terça a sábado, das 12h às 20h. Segundas e domingos, quando houver show. Em dias de espetáculo, a bilheteria fecha mais tarde, até uma hora após o início da apresentação.
Venda de ingressos: www.casanaturamusical.com.br
Venda para pessoas com deficiência: 4003-6860
https://www.facebook.com/CasaNaturaMusical
https://www.instagram.com/casanaturamusical/
www.twitter.com/casanaturamus

***

Casa Natura Musical

Inaugurada em maio de 2017, a Casa Natura Musical celebra dois anos como um dos espaços mais relevantes e antenados do circuito cultural de São Paulo, tendo sido eleita como a melhor casa de shows de grande porte da capital paulista (O Estado de S. Paulo, em 5/10/18) e o Melhor Espaço Para Shows (Blog do Arcanjo / UOL, em 2/01/19). Com total visibilidade de qualquer ponto da plateia, a Casa oferece uma combinação de conforto e qualidade musical, configurando o palco ideal para abrigar nomes consagrados, novos talentos e projetos especiais. Localizada em Pinheiros, o empreendimento soma os esforços dos empresários Paulinho Rosa e Edgard Radesca aos da cantora e compositora Vanessa da Mata. O patrocínio é da Natura, empresa que há 12 anos destaca-se pela atuação na valorização da produção contemporânea e da identidade musical brasileira por meio da plataforma Natura Musical.

Comente