Quebrada Queer e Preta-Rara fazem show empoderado no Centro Cultural da Juventude neste sábado

O Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso fica na Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha – a 20 minutos do Terminal Barra Funda

Quebrada Queer é o primeiro grupo de hip-hop LGBT do Brasil. Formado por cinco jovens (Guigo, Harlley, Lucas Boombeat, Murillo Zyess e Tchelo Gomez), faz do hip-hop/rap a base para seus sons, a fim de somar com outros estilos de origem negra como afropop, trap, r&b, soul e dancehall. Com letras de empoderamento de gênero, periférico e negro, já se apresentou no Circuito SESC e na Virada Cultural de São Paulo.

Primeiro grupo de rap LGBT do Brasil, Quebrada Queer busca representatividade
Primeiro grupo de rap LGBT do Brasil, Quebrada Queer busca representatividade. Foto: reprodução

A convidada especial da noite, que acontece no dia 23 de fevereiro, das 19h às 21h, é Preta-Rara. Joyce Fernandes nasceu em 13 de maio de 1985. Além de rapper, Preta-Rara é turbanista, professora de História, modelo plus size, poetisa e proprietária da marca ‘Audácia Afro Moda’. Sua trajetória é marcada por sua atuação e militância na cultura negra, especialmente no empoderamento das mulheres negras.

preta rara
Preta Rara. Foto: divulgação

A sua poesia versa, principalmente, sobre o feminismo e a desigualdade racial, porém o seu primeiro single disponível na internet, Conto de Fadas, foi inspirado em relacionamentos amorosos do passado. As rimas certeiras apontam traços machistas ainda presentes nas relações amorosas contemporâneas. Iniciou sua carreira em 2006 no extinto grupo de rap Tarja-Preta, e durante sete anos abriu diversos shows e ganhou prêmios. Há cerca de dois anos a cantora segue carreira solo, e a inciativa de lançar seu primeiro álbum nasceu após uma participação no show do rapper Criolo no SESC/Santos, em maio de 2013.

SERVIÇO
23 de fevereiro, das 19h às 21h
O Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso fica na Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha – a 20 minutos do Terminal Barra Funda e ao lado do Terminal Cachoeirinha.

Sobre o Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso

O CCJ é o maior centro público dedicado aos interesses da juventude da cidade de São Paulo. Inaugurado em 27 de março de 2006, fruto da mobilização da comunidade no Orçamento Participativo, inspira outros centros de referência de juventude pelo Brasil e pelo mundo. Proporciona a transversalidade das diversas temáticas relativas à vivência da condição juvenil por meio da cultura, buscando o empoderamento e o protagonismo da juventude a partir de uma programação cultural gratuita e diversificada, tendo o jovem não somente como espectador, mas como sujeito promotor, organizador e realizador dos Programas e Projetos realizados tanto no espaço como difundidos pela cidade. Entre as várias atividades, destacam-se apresentações e oficinas teatrais, shows de música, aulas e espetáculos de circo e de dança, cinema, debates, encontros e saraus e núcleos de comunicação comunitária e de produção audiovisual.

O CCJ tem 8.000 m² de arquitetura moderna e arejada, reunindo biblioteca, anfiteatro, teatro de arena, sala de projetos, laboratório de pesquisas, ateliê de artes plásticas, sala de oficinas e galeria para exposições, além de uma ampla área de convivência e com computadores com acesso à internet.

Comente