A Comissão LGBTQI+ do Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal (CRP 01/DF) soltou uma nota de posicionamento se solidarizando e se disponibilizando a auxiliar as pessoas próximas às vítimas de violência neste período de carnaval. É possível fazer denúncias e ajuda através dos seguintes canais:

GAY BLOG BR by SCRUFF

Disque Denúncia
Telefone 197, Opção 0 (zero)
E-mail: denuncia197@pcdf.df.gov.br
WhatsApp (61) 98626-1197

DECRIN
Setor Policial – Brasília
(61) 3207-4242

Defensoria Pública do DF
Núcleo De Assistência Jurídica de Defesa dos Direitos Humanos
Os agendamentos de atendimentos ocorrem no período da tarde (12h às 18h).
Endereço: SIA, Trecho 17, Rua 7, Lote 45, Brasília.
Telefone: 2196-4480.
E-mail: direitoshumanos@defensoria.df.gov.br

Confira a nota na íntegra:

“O carnaval brasileiro está entre as maiores festas do mundo, marca registrada de nossa cultura. Reconhecido como uma comemoração democrática, grande parte dos festejos ocorre em áreas urbanas, abertas para a pluralidade humana. Estão entre aquelas raras ocasiões no país em que as diferenças de cores, idades, afetos, crenças e classes sociais coexistem nos mesmos espaços harmoniosamente. Embora no Brasil observemos uma moralização dos costumes em ascensão, nota-se que o carnaval ainda permanece protegido sob o símbolo de uma paixão nacional. Entre os grupos beneficiados por esse armistício cultural está a população sexo-gênero diversa, que tem ampliado o número de blocos carnavalescos voltados para a celebração da diversidade em várias cidades do país.

Em Brasília, o Projeto “Carnaval de Todas as Cores” – uma realização da Associação Artística Mapati com o apoio do IMAC, da Sala Produções e da Campanha Folia Com Respeito da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC) com recursos de uma emenda parlamentar de autoria do Deputado Distrital Fábio Félix (PSol/DF) -, além da proposta de expandir os espaços de diversão para a população LGBTQI+, também gera empregos para esse segmento social, que apresenta obstáculos maiores na empregabilidade, em decorrência do preconceito e da discriminação LGBTfóbicos. Por isso, a valorização desta iniciativa é uma forma de impulsionar benfeitorias para todas, todos e todes que almejam participar desse projeto: seja como prestador de serviço, seja como folião.

Contudo, em decorrência do trágico evento ocorrido em um bloco de carnaval no último fim de semana, é preciso apontar que nesses espaços de divertimento plural sempre haverá sujeitos dispostos a interromper a alegria, através de ações e posturas que distorcem a proposta da festa. São as inconveniências machistas, que não respeitam o corpo e a decisão das mulheres; as provocações e violências LGBTfóbicas; as banais incitações de brigas; os furtos e assaltos que podem culminar em latrocínios. Portanto, diante da sordidez de quem converte cenários de alegria em morte e tormento, é preciso reafirmar o nosso compromisso com a manutenção de uma cultura de paz, que celebra a vida e também se protege das mazelas de condutas destrutivas que podem se manifestar nesses ambientes.

A Comissão LGBTQI+ do Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal (CRP 01/DF) se solidariza e se disponibiliza a auxiliar as pessoas próximas às vítimas de violência neste pré-carnaval e carnaval. Nesse sentido, relembramos a importância de evitar o revide perante atiçamentos, que visam a criação de contextos para a expressão covarde da agressividade. Ademais, estamos cientes de que, em muitos casos, a omissão de mais esforços do Estado no asseguramento da proteção de minorias sociais e políticas possa ser interpretada como uma via de exercício da necropolítica, ou seja, uma política de morte agenciada pelo Estado. Por isso, é preciso contar com os espaços de apoio, que ainda servem de proteção frente às ameaças e práticas de violência contra dissidências sexuais e de gênero. Dentre esses canais, citamos o Disque Denúncia, a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra A Pessoa Idosa ou com Deficiência (DECRIN) e a Defensoria Pública do DF.

Que neste período carnavalesco, seja ainda mais possível celebrarmos a nossa diversidade de afetos, de corpos e de formas de ser no mundo. Que tenhamos o direito de ocupar nossas cidades livremente, afirmamos nossa liberdade de amar e de sermos amados em nossa alteridade.”

Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal (CRP 01/DF) | Comissão Especial LGBTQI+

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.