Deputada do PSL quer proibir meninos de usarem saia na escola

Fala do reitor contrapõe: “Tradição não é sinônimo de anacronia. Mas pode e deve significar nossa capacidade de evoluir e de inovar”.

Em setembro de 2016, o tradicional Colégio Pedro II, escola federal fundada em 1837 no Rio de Janeiro, oficialmente aboliu uniformes masculino x feminino. Na prática, o uso de saias está liberado para os meninos.

Colégio Pedro II, no Rio, libera saia para meninos (foto:LPMnews) saias
Colégio Pedro II, no Rio, libera saia para meninos (foto:LPMnews)

Em 2014, estudantes fizeram um “saiato”, depois que uma aluna transexual vestiu a saia de uma colega e teve de trocar o uniforme. Em maio de 2016, o Pedro II passou também a adotar na lista de chamada o nome social escolhido por alunos e alunas transexuais.

Repórter do jornal Extra sai às ruas com uniforme 'feminino'. Foto: GuilhermePinto
Repórter do jornal Extra sai às ruas com uniforme ‘feminino’. Foto: GuilhermePinto

Major Fabiana (PSL), deputada eleita pelo partido de Jair Bolsonaro, quer proibir alunos ‘homens’ a usarem saia dentro do colégio alegando que “essa falta de limite mínimo de autoridade reflete em comportamentos e traz resultados desagradáveis para os pais. O uso da saia acaba influenciando um adolescente ou pré-adolescente que esteja querendo se inserir em determinado contexto e molda a personalidade desse jovem no futuro. Escola não é lugar de se discutir ideologia de gênero, mas de estar com livro debaixo do braço”.

Reitor que soltou a portaria há dois anos, o reitor Oscar Halac  afirmou que “não se trata de fazer ou não distinção de gênero. Trata-se de cumprir resolução do Conselho Nacional de Combate à Discriminação LGBT (órgão ligado ao Ministério da Justiça). Eu apenas descrevo as opções de uniforme; deixo propositalmente em aberto, para o uso de acordo com a identidade de gênero”.

Alunos trajando saias para abordar identidade de gênero em “Malhação”

Com informações do Dia, Globo e Extra.