Oscar de ‘Uma Mulher Fantástica’ acelera projeto de lei de cidadania trans no Chile

O projeto de identidade de gênero do Chile, que entrou no Congresso em 2013, deverá ser abordado no Senado ainda esta semana

O primeiro filme estrelado por uma mulher trans a vencer o Oscar de melhor filme estrangeiro, o chileno Uma Mulher Fantástica, repercutiu na questão trans do país. A presidente Michelle Bachelet decidiu na última terça-feira que o projeto de lei para garantir o reconhecimento jurídico de pessoas trans seria de “suma urgência”.

Staff de "Uma mulher fantástica" no red carpet do Oscar 2018
Staff de “Uma mulher fantástica” no red carpet do Oscar 2018

No Chile, a legislação atual não contempla explicitamente a mudança de gênero nos registros e documentos.

“O crescente consenso de que o Chile tenha uma lei de identidade de gênero deve se transformar em fatos concretos. Por isso, decidi dar suma urgência ao projeto que está em sua última etapa no Congresso. As pessoas transgênero não podem continuar esperando!”, tuitou a presidente Bachelet.

Tuíte
Tuíte da presidente do Chile

O projeto de identidade de gênero entrou no Congresso em 2013 e foi aprovado pela Câmara de Deputados em janeiro. provavelmente será abordado no Senado ainda esta semana – a última do governo de Bachelet, que passará o cargo ao conservador Sebastián Piñera.

“É uma honra receber em La Moneda, a casa de todos, a equipe de Uma Mulher Fantástica. Como outras grandes expressões de nossa arte, este filme tem impulsionado conversas sobre avanços sociais que o Chile demanda”, completou a presidente.

Cidade natal da atriz trans desiste de entregar o título de “cidadã ilustre”

O Conselho Municipal de Ñuñoa, cidade natal de Daniela Vega, havia preparado uma cerimônia de entrega do título na segunda-feira, um dia após o Oscar. Todavia, o prefeito, que tinha lançado a ideia, voltou atrás.

“A quem estaremos entregando o prêmio? Se temos a identidade de um homem, não podemos entregá-lo a uma mulher”, disse o prefeito Andrés Zarhi em entrevista na televisão, na última terça-feira.

Para compensar, a municipalidade criou outro prêmio para a atriz, nomeado de “Premio Comunal a las Artes” (prêmio municipal às artes).

A problematização com os atores héteros em ‘Me Chame Pelo Seu Nome’

Anúncios