No último sábado, o ex-jogador de futebol Geovânio Bonfim Sobrinho, conhecido como Wando nos times do Vasco e Benfica, usou uma arma branca contra o síndico gay de seu condomínio. Tiago Teles Felinto, 35 anos, funcionário do Condomínio Mirante do Parque, na Quadra 3 do Park Way, em Brasília, registrou um boletim de ocorrência na 11ª Delegacia de Polícia.

Antes do acontecimento, o síndico já havia gravado um vídeo onde o ex-jogador diz que “não gosta de viado, não gosta de boiola” e chama o funcionário de “boiola” e “baitola”.

As imagens do circuito de segurança do condomínio obtidas pela coluna Grande Angular, do Metrópoles, mostram que no dia 04 de julho, por volta das 10h44, Wando pegou um facão de seu carro e correu em direção ao funcionário.

Assista ao vídeo:

Segundo o síndico, Wando é inadimplente desde 1997 e por este motivo não foi convidado para a reunião de condomínio. “Quando ele apareceu, começou a me agredir verbalmente. A intenção dele era fazer essa ameaça, algo para me amedrontar, mas não imaginei que ele fosse pegar um facão e correr atrás de mim”, contou ao portal Metrópoles.

Felinto conta ainda que um policial civil e a esposa presenciam a cena e se omitiram da situação: “A minha revolta foi de ter um policial civil na hora que não fez nada e se omitiu”, lamentou.

VERSÃO DO WANDO

O ex-jogador, segundo o Metrópoles, disse que teve “diversas divergências e troca de ofensas” com o síndico e sente que “é tratado de maneira diferente em relação aos demais moradores”. Na delegacia, o ex-jogador homofóbico deu a entender que sofria de “heterofobia” e que apenas falou “Você tem que respeitar homem” ao funcionário gay.

Por que o “orgulho hétero” não existe e nem deve existir?

Google Notícias