A juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, condenou o deputado Carlos Jordy, do PSL, a pagar indenização no valor de R$ 35 mil ao youtuber Felipe Neto. A ação foi motivada por Neto quando, em março de 2019, o deputado do PSL afirmou que os assassinos envolvidos no massacre de Suzano cometeram o crime após assistirem a vídeos do youtuber.

Na decisão, a juíza justificou a sentença afirmando haver “a ausência de comprovação de que o massacre de Suzano tenha sido causado por jovens seguidores de Felipe Neto, bem como que tenha sido cometido por conta e por influência do autor e por não haver nexo de causalidade no alegado”. A magistrada também determinou que Jordy faça uma retratação pública.

No Twitter, Felipe Neto, que ganhou o Poc Awards 2019 pelo voto popular na categoria “Iniciativa do Ano“,  comentou sobre o caso. “Essa vitória é importantíssima para que esses agentes do governo percebam que não estão acima da lei, não estão protegidos para fazerem o que bem entenderem. A derrota de Carlos Jordy é prova de que o sistema judiciário não está entregue ao executivo. Há esperança.”

Felipe também aproveitou a publicação para explicar como o dinheiro da indenização será utilizado. “Os 35 mil reais que o Deputado Carlos Jordy terá que me pagar de indenização serão integralmente doados para o Instituto Marielle Franco e o projeto Ocupa Sapatão. (esse valor pode até subir caso ele recorra).”

Monica Benício, viúva de Marielle Franco, tomou conhecimento da atitude e agradeceu ao youtuber publicamente no microblog: “Recebemos hoje a notícia de que o querido Felipe Neto @felipeneto destinará o dinheiro recebido em ação contra o deputado Carlos Jordy para o Instituto Marielle Franco e a Ocupa Sapatão, organização formada após a defesa do PL da Visibilidade Lésbica por Marielle em 2017”.

Como a condenação foi em 1ª instância, a decisão ainda cabe recurso. Jordy afirmou que vai recorrer, pois acredita que a juíza “julgou errado, atropelando todo rito, sem audiência de conciliação nem instrução” e que ele teria alguma prerrogativa como deputado.

Por voto popular, Felipe Neto vence a categoria “iniciativa do ano” no POC AWARDS 2019

Google Notícias