O youtuber e ativista Felipe Neto, que recentemente viralizou ao dar “unfollow” nas pessoas que, segundo ele, apoiam o fascismo através da omissão, vai participar na próxima segunda-feira, dia 18 de maio, do programa Roda Viva, na TV Cultura, às 22h.

A sabatina contará com a apresentação da jornalista Vera Magalhães, e será transmitida pela TV, nas redes sociais e também no canal do YouTube da emissora. Entre os temas que serão abordados estará o atual cenário político brasileiro, a importância de ser um influenciador digital e também assuntos relacionados a pandemia. Especula-se que temas ligados ao universo LGBT, incluindo as iniciativas que ele tomou ao longo de sua trajetória como o caso da Bienal do Livro, serão abordados.

No Twitter, Felipe Neto disse: “Espero conseguir manter a serenidade, porque tá difícil”. Provavelmente ele tentará manter a calma ao se referir a gestão de Jair Bolsonaro, considerando que ele é uma das personalidades mais críticas contra o atual governo e seus apoiadores.

Felipe Neto também fez uma “carta-vídeo” pedindo que artistas se manifestem contra Bolsonaro.

“Acabou a passada de pano. Influenciador que não se manifesta agora é cúmplice. Estamos oficialmente contra um regime fascista e quem se cala perante o fascismo é fascista. Ponto final”.

Ele diz também que deu “unfollow” em todo mundo que ficou calado este tempo contra o fascismo, fazendo duras críticas a eles.

“Para mim é uma cambada de covardes. Para mim estão mais preocupados com a quantidade de seguidores e dinheiro que ganha do que com sua pátria, com sua nação, e com sua própria liberdade.”

“Quem se cala diante do fascismo é cúmplice” – diz Felipe Neto (Foto: Reprodução)

Felipe Neto doará indenização de deputado do PSL para instituições LGBT+

A juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, condenou o deputado Carlos Jordy, do PSL, a pagar indenização no valor de R$ 35 mil ao youtuber Felipe Neto. A ação foi motivada por Neto quando, em março de 2019, o deputado do PSL afirmou que os assassinos envolvidos no massacre de Suzano cometeram o crime após assistirem a vídeos do youtuber.

Na decisão, a juíza justificou a sentença afirmando haver “a ausência de comprovação de que o massacre de Suzano tenha sido causado por jovens seguidores de Felipe Neto, bem como que tenha sido cometido por conta e por influência do autor e por não haver nexo de causalidade no alegado”. A magistrada também determinou que Jordy faça uma retratação pública.

Por voto popular, Felipe Neto vence a categoria “iniciativa do ano” no POC AWARDS 2019

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".