Quando Bruno Santana (33) decidiu gravar um vídeo homenageando sua figura paterna, ele não imaginava que o post acabaria viralizando. Infelizmente, a orientação sexual ainda é um obstáculo entre pais e filhos. No caso do assessor de imprensa, a sexualidade foi apenas um plus em uma relação que já era distante desde que o rapaz era criança.

- CURTA A PÁGINA DO FACEBOOK -

Assista ao vídeo:

Divergências superadas, Santana conta que de uns dois anos pra cá, aconteceu uma proximidade maior com o pai, criando um laço entre eles, fazendo com que ambos esquecessem o passado, e construíssem juntos uma nova história, baseada em amizade, respeito e afeto.

Você gravou um vídeo dedicado ao seu pai, que teve um grande número de acessos, o que te motivou a dar aquele sensível depoimento?
.
Eu e o meu pai não éramos muito próximos. Em 33 anos, eu nunca tinha dado feliz Dia dos Pais a ele. Fui criado pelo meu padrasto, dos quatro anos até o seu falecimento, quando eu tinha 23 anos. Com isso, eu sempre comemorei o Dia dos Pais com meu padrasto. Neste ano, como eu e o meu pai estamos bem há uns dois anos, senti uma necessidade muito forte dentro de mim de expressar para ele como um presente, tudo que eu tenho sentido, desde o perdão, todo amor e a amizade que estamos construindo. Esse vídeo foi um presente para ele, ao mesmo tempo, foi para mim também! Foi algo libertador.
.
Assistindo ao vídeo, dá a entender que no passado houve um afastamento virtude da sua orientação sexual, quando isso de fato mudou?
.
Na verdade, eram muitos problemas, a minha orientação sexual foi só um plus… Quando me assumi pra minha família inteira, ele falou para minha mãe que eu precisava de terapia e que isso era uma fase. Na época, isso só fez me afastar mais dele. Eu namorei por 11 anos, ele conheceu meu ex, mas nunca foi nada muito próximo, nossa relação só começou a mudar de dois anos para cá, depois da minha avó conversar muito com ele, mostrar quem eu sou de verdade e fazer ele enxergar que ele não precisa me mudar. Eu continuo sendo filho dele, e que o importante é o amor que nós sentimos. Hoje em dia, como eu falei no vídeo, ele fala para mim das namoradas, eu falo para ele dos boys e temos uma relação muito boa, divertida e respeitosa.
.
pai
Bruno Santana – Acervo pessoal
E como tem sido o feedback das pessoas em relação ao vídeo?
.
Tem sido muito bom ver o quanto esse vídeo está ajudando as pessoas. Eu fiz sem pretensão nenhuma, totalmente para dar de presente a ele. E agora está tomando proporções muito maiores. Isso me deixa muito feliz, pessoas estão se sensibilizando e se enxergando nessa história. Tenho recebido bastante DMs no Instagram de garotos e garotas, contando para mim um pouco das suas histórias e como isso acaba sendo uma troca. eu acabo falando um pouco das minhas experiências, e eles das deles. Eu, como LGBTQIA+, fico muito feliz em poder ajudar pessoas que passam pela mesma situação que eu passei. Nem todo mundo tem alguém da família como eu tive me apoiando o tempo todo. Então eu sei que qualquer gesto como esse vídeo pode ajudar sim muitas pessoas.
.
E como ele reagiu quando viu o vídeo?
.
O meu pai ele é muito engraçado. Por ele ser artista plástico, ele é um pouco no mundo dele. Então, no Dia dos Pais, ele só foi ver o meu vídeo muito à noite. Um dos meus tios mostrou pra ele e na mesma hora ele me mandou uma mensagem de voz muito feliz, falando que queria me encontrar em breve, para nós matarmos a saudade, conversar e dar risada. Esse vídeo também deixou uma pessoa que eu amo muito feliz, que é a minha avó, ela já tem 86 anos e, para ela, ver a nossa reconciliação é algo muito importante. Ela me mandou uma mensagem emocionada, onde eu também me emocionei muito. Apesar de eu ser distante da família paterna, eu sei o quanto eles me amam e o quanto eu tenho meu espaço dentro do coração de cada um deles.
.
Para acompanhar mais sobre o Bruno no Instagram: @brunofsantana
.
Google Notícias