Há exatos 30 anos, em 17 de maio de 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) excluiu a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças, assegurando que este comportamento é apenas um traço da personalidade humana.

Desde então, esta data tornou-se um símbolo de resistência, pautada na luta por direitos humanos e pela diversidade sexual. Por conta deste marco histórico, a organização da III TRANSFORMA – Festival de Cinema e Diversidade de Santa Catarina lançou em suas redes sociais uma campanha potente, com o protagonismo de gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros, com narrativas diversas e inspiradoras, alicerçadas pelo espectro da cultura e do ativismo político.

Eu Transformo: Campanha virtual expõe vivências da comunidade LGBTI+ no Brasil, com protagonismo de personagens inspiradores
17 de maio: Dia de Combate à LGBTfobia
17 de maio: Dia de Combate à LGBTfobia
17 de maio: Dia de Combate à LGBTfobia

A ação “Eu Transformo” conta com a participação de rostos conhecidos e anônimos, como Linn da Quebrada (cantora, atriz e apresentadora), Léo Fressatto (cantor), Jup do Bairro (cantora, atriz e apresentadora), Matheus Negro (DJ), Lirous Kyio (ativista e DJ), Malcon Bauer (ator, dramaturgo e roteirista), Suzaninha Richthofen (atriz e ativista) e Duda Dello Russo (atriz), entre outros personagens inspiradores. “A campanha proposta pela III Transforma apresenta corpos LGBTI+ do país que transforma a vida, a arte, a sociedade e os espaços por onde passam”, afirma Arthur Gomes, produtor do festival.

O calendário da campanha segue até o próximo dia 23 de maio, com três interações diárias. Além disso, todo o material da campanha será ressignificado em “lambes” que serão colados em espaços públicos de cidades catarinenses, a fim de reafirmar as vivências da população LGBTI+. “Com rostos que narram a resistência da comunidade no meio artístico, a campanha EU TRANSFORMO é um respiro de potencialidades em meio as narrativas genocidas contra corpos dissidentes, ressignificando o ser e o existir diante da arte. O Brasil é o país no mundo que mais apaga e negligencia histórias e vidas LGBTI+ e nós transformamos os índices”, reitera Thomas Dadam, organizador da campanha.

Há de destacar, que mesmo com a destituição da normativa pela OMS em 1990, as populações gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros continuam sob forte ataque de grupos fundamentalistas e instituições retrógradas. Segundo dados do Grupo Gay da Bahia (GGB), de 2000 a 2009, quase cinco mil pessoas foram assassinadas no Brasil em razão de sua orientação sexual.

Para acompanhar a campanha, basta conectar-se às redes da Transforma no Instagram (@transformafest) e no Facebook (@transformafest).

Transforma Festival
Maior festival de cinema LGBTI+ de Santa Catarina, a Transforma – Festival de Cinema da Diversidade de Santa Catarina, destaca-se como uma importante vitrine nacional para a divulgação e fomento de conteúdos audiovisuais, com ênfase nas histórias das populações gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. Sua terceira edição acontece no próximo mês de setembro, em Florianópolis (SC)

Google Notícias