GAY BLOG BR by SCRUFF

O participante de No Limite 6, Matheus Pires, foi hospitalizado após apresentar sintomas da doença viral conhecida como “Monkeypox” no início da semana. A infecção foi divulgada neste dia 7 de julho. Por conta da internação, o participante ficará de fora da grande final do reality show.

Em comunicado publicado no Instagram oficial dele , é dito que o quadro de Matheus Pires é estável. “No início da semana, Matheus começou a apresentar alguns sintomas da varíola dos macacos e prontamente fez o exame. Ontem foi confirmada a infecção pela varíola. Com isso, ele precisou ser internado e não vai comparecer à final do programa No Limite”, diz um trecho.

A infecção apresenta sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, calafrios, exaustão, dor de cabeça e fraqueza muscular. Posteriormente, os gânglios linfáticos apresentam inchaço e surgem erupções na pele pelo rosto e corpo.

Matheus Pires está hospitalizado com "monkeypox" e ficará ausente da final de "No Limite"
Reprodução

“Varíola dos Macacos” é uma designação errada

De acordo com Margarida Tavares, infectologista e coordenadora da Direção-Geral da Saúde de Portugal, o termo Monkeypox se refere a “uma nomenclatura científica universal”, logo, “não deve ser traduzida para nenhuma língua”.

Em entrevista ao jornal português Visão, a médica afirma ainda que uma tradução aproximada seria “exantema dos macacos”, mas ressalta que os primatas não são reservatórios da doença, mas sim hospedeiros acidentais, como acontece com os seres humanos. “O vírus Monkeypox recebeu esse nome porque foi isolado e estudado, pela primeira vez, em um macaco”, afirma o microbiologista e professor da Universidade Federal de Alfenas (Unifal) Luiz Felipe Leomil Coelho.

“Os hospedeiros naturais desse vírus são os roedores, principais responsáveis por manter a circulação do Monkeypox em regiões da África Central.” Sendo assim, a designação “varíola dos macacos” é duas vezes incorreta. Em primeiro lugar porque “iguala” dois vírus diferentes, embora da mesma família (os orthopoxvirus). Em segundo, porque estigmatiza as pessoas recém afetadas pela doença, considerando o histórico recente e agressivo da varíola em diversos países.




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"