GAY BLOG BR by SCRUFF

A partir desta terça-feira, 25 de maio, a Prefeitura de São José, em Santa Catarina, vai contar com o ambulatório trans (AmbulaTrans), visando acolher e orientar pessoas transgênero de todas as idades. As informações são do site oficial da prefeitura.

O serviço de atendimento funcionará todas as terças-feiras, exceto feriados, das 18h às 22h, no segundo andar da Policlínica localizado no bairro de Campinas. A Secretaria de Saúde solicita que seja atualizado o cadastro da pessoa na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua residência.

O agendamento pode ser realizado via Whatsapp pelo número (48) 98468-3260 ou pelo e-mail: ambulatranssj@gmail.com.

Os atendimentos ofertados são: consulta médica, com queixas clínicas e aconselhamento em hormonioterapia; consulta de enfermagem com preventivo e testes rápidos; orientação e aconselhamento psicológicos e apoio sócio-familiar no contexto de atenção primária à saúde.

O AmbulaTrans fica localizado na Avenida Gov. Jorge Lacerda nº 193.
Nesta terça-feira, São Jose (SC) inaugura ambulatório especial para pessoas trans

PL em Florianópolis visa pelo menos 2% de vagas de empregos para pessoas trans

Um projeto de lei de autoria da vereadora Carla Ayres (PT) quer garantir pelo menos 2% das vagas de emprego para pessoas travestis e transexuais nas empresas que prestam serviço para o poder público municipal de Florianópolis.

 

O PL também determina que sejam reservadas cotas permanentes para travestis e transexuais em programas de emprego e de formação profissional promovidos ou apoiados pela administração direta, indireta, autarquias, fundações públicas, empresas públicas e sociedades de economia mista controladas pelo município.

O projeto também inclui garantir às travestis ou transexuais, desde o processo seletivo e durante todo o período do vínculo empregatício, do contrato ou programa de emprego ou formação profissional: o uso do nome social; a identidade de gênero em toda a sua especificidade; o uso do banheiro ao qual o gênero se identifica e; as demais garantias ou expressões de identidade.

O objetivo do PL é combater a exclusão social das travestis e transexuais em Florianópolis, garantindo não só a qualificação como também a inclusão no mercado de trabalho.

“Os indicadores sociais e de violência contra pessoas trans são os mais alarmantes dentre toda população LGBTI+. Segundo o Observatório de Mortes de LGBTI+ no Brasil, em 2020, 71% das mortes decorrentes de homotransfobia foram perpetradas contra homens e mulheres trans. Segundo a ONG Internacional Transgender Europe, o Brasil é o país que mais ocorrem assassinatos desse grupo. Nós não podemos ignorar esta situação dramática vivida por essa população e cabe ao Poder público Municipal agir para assegurar a dignidade e a cidadania das pessoas trans na nossa cidade”.

A Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), estima que cerca de 70% das pessoas trans não concluiu o ensino médio e que apenas 0,02% encontram-se no ensino superior. Entre os principais motivos estão a convivência doméstica e familiar violenta e a ausência de oportunidades. Ainda de acordo com a ANTRA, 90% das pessoas trans se prostituem, muitas vezes pela ausência de qualquer outra oportunidade, correndo o risco de vida diariamente.

“É urgente que se desenvolvam políticas públicas de inclusão dessa população ao mercado de trabalho e à formação profissional, de modo a romper com esse ciclo de violência e exclusão. Nosso mandato tem trabalhado em defesa das diferentes identidades de gênero no sentido de reduzir as desigualdades e a marginalização da população LGBTI+”, conclui a vereadora.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"