GAY BLOG BR by SCRUFF

This article is also available in: English Español

Em Indiana, nos Estados Unidos, um homem chamado David Werking (42) processou seus pais, Paul e Beth Werking, por terem destruído sua extensa coleção de filmes pornôs e acabou ganhando nos tribunais. Com isso, os pais terão de pagar uma multa cujo valor não foi divulgado, mas a estimativa do prejuízo de David é de US$ 25 mil (cerca de R$ 127 mil).

A ação foi movida por David em abril de 2019, alegando que seus pais “destruíram ilegalmente” seus itens em 2018. Na ocasião, ele precisou se mudar para a casa dos pais após o divórcio com seu ex-marido.

A coleção de David cabia em um total de 12 caixas e ele informou as autoridades a lista detalhada, incluindo 1.600 títulos pornôs em DVD, além de filmes em VHS e 50 brinquedos sexuais.

Segundo o site Holland Sentinel (via UOL), David tem até 16 de fevereiro de 2021 para apresentar petições por escrito sobre o valor correspondente dos materiais pornográficos destruídos, para que seja determinado o valor da multa para os pais pagarem ao próprio filho.

Pais vão pagar indenização a filho por terem destruído coleção de filmes pornôs
Reprodução

Mulher reconhece o marido em filmes pornôs gay

Uma mulher de 26 anos nos Estados Unidos assistiu a um filme pornô gay e descobriu que um dos atores era seu marido. Na gravação, o ator estava usando a aliança de casamento e tinha relações sexuais com vários parceiros. Ela fez um post no Reddit (via UOL) expondo o caso e pedindo ajuda.

“Vou tentar não deixar isso muito explícito, mas cliquei em um vídeo aleatório e, definitivamente, era meu marido. O rosto dele estava plenamente visível, várias tatuagens específicas. Era ele. Eu sabia, sem sombra de dúvidas, que aquilo aconteceu depois de nos casarmos, porque ele estava com a droga da aliança”, disse a mulher, cujo nome não foi relevado.

“Eu fiquei furiosa e enjoada. Ele fez sexo sem proteção com vários homens. A única coisa em que eu pensava era nas ISTs. Eu não consegui dormir à noite. Pedi para sair do meu trabalho também. A primeira coisa que fiz foi procurar uma clínica grátis e passar por exames. Não voltei para casa desde então. Não consigo nem olhar para ele”, desabafou.

Segundo a mulher, ela chegou a conversar com o marido e ele justificou o desejo por outros homens quando usa a droga metanfetamina. Além do filme pornô, ela descobriu que ele também usava o Grindr para se encontrar com outros homens.

“Não foi um evento isolado. Estou arrasada. Ele disse que vai para uma reabilitação. Eu disse para ele que estamos muito longe de onde estávamos e que eu queria o divórcio. Ele disse que faria o que fosse preciso desde que eu não contasse nada a ninguém – porque dane-se nosso casamento, dane-se a vida que temos. Quem se importa com isso? Tudo se baseia na imagem. Eu sou só um efeito colateral”, disse ela, afirmando também que se vingou do marido enviando o vídeo para a família e para o chefe dele.

This article is also available in: English Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".