Disfunção erétil em jovens: condição está comumente relacionada à ansiedade

Conhecida como impotência sexual, a condição consiste na dificuldade em alcançar e manter a ereção do pênis, podendo ser causada pela quantidade insuficiente de sangue na região

Entre as diversas doenças que acometem a saúde sexual masculina, a disfunção erétil é uma das que mais preocupa homens em diferentes faixas etárias. Conhecida como impotência sexual, a condição consiste na dificuldade em alcançar e manter a ereção do pênis, podendo ser causada pela quantidade insuficiente de sangue na região. De acordo com Dr. Emilio Sebe Filho, cirurgião especialista em urologia, rins, próstata e prótese, e fundador da Lifemen, rede de clínicas que reúne serviços especializados na área de saúde sexual masculina, entre os mais jovens, a condição está comumente relacionada aos sentimentos de ansiedade e insegurança, mas a investigação não deve excluir questões biológicas.

Segundo o National Survey of Sexual Attitudes and Lifestyles, maior estudo sobre hábitos relacionados à saúde sexual na Grã-Bretanha, mais de 30% dos jovens enfrentam problemas sexuais comumente relacionados às pessoas mais velhas. Entre os jovens sexualmente ativos, 34% dos homens e 44% das mulheres disseram ter tido pelo menos um problema sexual que se prolongou por pelo menos três meses.

Diante desse cenário, Dr. Emilio esclarece que ansiedade e insegurança em relação ao desempenho sexual são extremamente comuns entre jovens que biologicamente estão saudáveis. “Existe um medo muito grande de falhar e decepcionar outra pessoa dentro do relacionamento. Tal comportamento pode, muitas vezes, boicotar os estímulos do corpo e causar o problema de disfunção erétil psicogênica, ou seja, disfunção ligada às questões que vão além do físico”, explica.

O especialista orienta que o problema seja tratado a partir de dois caminhos – é preciso aliar o acompanhamento de um psicólogo, com sessões de terapia sexual, ao trabalho de um urologista.

Os objetivos da terapia sexual para a disfunção envolvem redução de ansiedade diante do desempenho, promoção de educação psicológica sexual, trabalho e identificação dos obstáculos que causam abandono de tratamento médico. “São conquistas que podem beneficiar não apenas a performance sexual, mas também desenvolver confiança, auto estima e responsabilidade dentro das relações”, comenta Dr. Filho.

O médico lembra a importância de acompanhamento de um médico de confiança caso seja identificada alguma condição biológica. “A terapia de ondas pode ser uma grande aliada nesse processo. O tratamento consiste em uma onda acústica que aumenta a circulação sanguínea local, promovendo processos de neovascularização e reparação do tecido”, explica.

O especialista recomenda, ainda, acompanhamento anual com um médico de confiança para checagem de pressão arterial, níveis de glicose no sangue, relação entre peso e altura, níveis hormonais e qualidade do sono, uma vez que são disfunções desencadeadoras de problemas sexuais.

Sobre a Lifemen

Fundada pelo Dr. Emílio Sebe Filho, a Lifemen é uma rede de clínicas que reúne serviços especializados na área de saúde sexual masculina. Há 10 anos no mercado, possui nove unidades nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Santo André, Campinas, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Rio de Janeiro e Brasília, e cerca de 120 colaboradores. Com um serviço personalizado para cada paciente, a Lifemen conta com profissionais e tratamentos de alta qualidade, além da garantia de sigilo e privacidade.

https://www.lifemen.com.br

2 COMENTÁRIOS

Comente