Barbara Hosking explica por que saiu do armário aos 91 anos: ‘meus pais não entenderiam’

A inglesa de 91 anos combateu o sexismo em toda sua carreira, tendo defendido equiparação salarial entre homens e mulheres e brigado para estar na mesma sala durante algumas reuniões.

Ex-funcionária pública, a inglesa Barbara Hosking trabalhou para os primeiros-ministros britânicos Edward Heath e Harold Wilson, e revelou aos 91 anos ser homossexual em seu livro Exceeding My Brief: Memoirs of a Disobedient Civil Servant (em livre tradução: Além do meu limite: Memórias de uma funcionária desobediente).

Barbara Hoskins. Foto: Antonio Olmos for the Observer
Barbara Hosking. Foto: Antonio Olmos for the Observer

Em entrevista ao vivo à Radio 5, Barbara Hosking contou que tem um relacionamento há 20 anos e explicou o porquê de sair do armário só agora: “meus pais não entenderiam e ficariam chocados”. Ela ainda brinca “agora periga eu me tornar um ícone gay!”

Hosking em sua festa de 90 anos
Hosking em sua festa de 90 anos

Nascida em Cornwall em 1926, Barbara Hosking mudou-se para Londres com 21 anos para fazer carreira no jornalismo. Ela acabou indo trabalhar no escritório de imprensa do Partido Trabalhista e passou a servir como assessora de imprensa para Harold Wilson e depois Edward Heath. Ela também passou três anos na África Oriental dirigindo uma empresa de mineração e, no auge de sua carreira, trabalhou na TV, tornando-se a presidente executiva da Westcountry Television.

A inglesa de 91 anos combateu o sexismo em toda sua carreira, tendo defendido equiparação salarial entre homens e mulheres e brigado para estar na mesma sala durante algumas reuniões. Babara lembra de mulheres sendo convidadas a se retirar da sala após um jantar de alto nível em Bruxelas. “Eu respondi ‘Sinto muito, eu preciso voltar. Estou com meu ministro, sou sua secretária particular’. E eles disseram: ‘Você não pode fazer isso, as mulheres se retiram para os homens então poderem discutir’. E eu disse: ‘Ele não será capaz de fazer isso sem mim, eu fiz todo o trabalho para isso'”, conta. “Me disseram que eu viraria tema de conversa em Bruxelas no dia seguinte (por causa dessa postura).”

Homossexualidade era aceita no exército romano, mas com uma condição…

Anúncios