Marcada para o domingo (28/06), a ação +Orgulho é uma parceria entre o Museu da Diversidade Sexual (MDS), instituição vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, e o #CulturaEmCasa, plataforma de streaming e vídeo que reúne de forma gratuita o que há de melhor na programação cultural produzida por artistas e profissionais do setor. A iniciativa garante apoio às Paradas LGBTQIA+ realizadas no interior e no litoral do Estado de São Paulo. Neste ano, foram selecionadas 20 cidades por meio de um edital.

mds museu diversidade liniker silvero

Em um cenário que ainda exige o isolamento social para o enfrentamento da pandemia da Covid-19, o +Orgulho foi levado para o meio virtual. A partir dessa nova realidade, o MDS se empenha na continuidade das ações para garantir a celebração de uma data tão expressiva como o Dia do Orgulho LGBTQIA+.

O evento será composto por lives com artistas LGBTQIA+; pelas exposições Queerentena e O Orgulho Ocupa a Rua (acervo fotográfico do Museu da Diversidade Sexual sobre Paradas LGBTQIA+ disponível no Google Arts & Culture) e pela Série Memórias, entrevistas feitas com personalidades relacionadas à luta LGBTQIA+. As ações acontecem a partir das 16h, no www.culturaemcasa.com.br.

A abertura da programação será feita por Tchaka Drag Queen, personagem criada pelo ator Valder Bastos e que completa 20 anos de carreira neste ano. Considerada a Rainha das Festas, Tchaka é conhecida por suas apresentações em eventos que já ultrapassam a marca de 5 mil realizações. Consolidada na cena LGBTQIA+, a artista também é apresentadora de vários blocos de carnaval da cidade de São Paulo e tem presença garantida em programas televisivos de humor e em documentários e filmes.

Alguns dos destaques do +Orgulho são a apresentação das peças Uma flor de dama, com Silvero Pereira; e Deus Me Live! A noviça mais que rebelde, de Wilson dos Santos, trabalhos que já existiam nos palcos e foram levados para o formato online. Também será feita a exibição do filme A Volta da Paulicéia Desvairada, de Lufe Steffen.

Em Uma flor de dama, inspirada no conto Dama da Noite, de Caio Fernando Abreu, o público é convidado a passar uma noite com uma travesti. A proposta é ampliar o olhar para a travestilidade, aproximando-a do humano. O desafio é encarar essa travesti sem estranhamentos, mas também testar nossos discursos libertários e desprovidos de preconceitos.

Deus Me Live! é o novo formato online da comédia A Noviça Mais Rebelde, que neste ano comemora 11 anos em cartaz. O espetáculo é um pocket show da irmã Maria José, adaptado para o formato digital. No final da apresentação, uma conversa com a produção mostra a transformação da sala da casa, no coração da Rua da Consolação (São Paulo), em um pequeno teatro.

Já o filme A Volta da Pauliceia Desvairada, produzido e dirigido por Lufe Steffen, é um documentário histórico e épico sobre a vertiginosa e incansável noite LGBT de São Paulo no início dos anos 2010.

Franco Reinaudo, diretor do MDS, conta que a ação on-line é necessária para reafirmar a luta cotidiana da população LGBTQIA+ pela equidade, paz e respeito à diversidade. “Por uma questão de saúde pública e empatia com as vítimas da Covid-19, as paradas que celebram o orgulho e remetem à revolta de Stonewall não vão acontecer presencialmente, mas organizações, ativistas e sociedade civil, como o Museu, vão continuar celebrando o Orgulho com as ferramentas virtuais”.

“Nosso objetivo é que o conteúdo cultural disponibilizado pelas plataformas nesta ocasião seja amplo e diverso. E o Museu da Diversidade Sexual contribui com essa iniciativa de forma criativa e emblemática”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte, Organização Social que gere a instituição.

Silvero Pereira, Liniker e Renan Quinalha são convidados da live do Museu da Diversidade Sexual
Silvero Pereira – Foto: Caíque Cunha

Programação completa do +Orgulho

Dia 28/6 (domingo)

16h Live de abertura com TchaKa a Drag Queen e entrevista com Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual

17h Live – Debate do Museu da Diversidade Sexual com Helena Vieira, Renan Quinalha e Rita Colaço. Mediação do professor Paulo Souto Maior

18h30 Lives Stonewall 50, Liniker, Edy Star e Maria Alcina

19h Deus me Live! A noviça mais que rebelde – Wilson dos Santos

20h Lançamento do filme A Volta da Pauliceia Desvairada (Lufe Steffen) na plataforma #CulturaEmCasa; Leonardo Oliveira indicando leituras – Museu Felícia Leirner, 6′; transmissão da projeção das fotos do Museu da Diversidade Sexual na plataforma #CulturaEmCasa e apresentação de trechos das lives de Rita Von Hunty e João Silvério Trevisan

21h30 Uma flor de dama, com Silvero Pereira.

Google Notícias