GAY BLOG BR by SCRUFF

A (até então) fã da cantora Anitta, dona Ilza de Azevedo, moveu um processo contra a cantora e a Netflix por ter aparecido no documentário “Anitta: Made In Honório”. De acordo com a coluna de Fábia Oliveira, do jornal carioca O Dia, a idosa não sabia que suas imagens seriam utilizadas para a série e só soube do ocorrido quando parentes e vizinhos telefonaram para ela satirizando sua participação e questionando sua sanidade mental. Além disso, Ilza esteve internada no CTI com Covid-19 e, segundo ela, enfermeiros a reconheceram e também debocharam.

Os advogados da idosa argumentaram que o documentário dá a entender que Maria Ilza teria entrado na mansão de Anitta sem autorização, como uma intrusa, passando posteriormente a ridicularizar sua imagem.

“Para piorar, a atitude nefasta, covarde, mesquinha, das rés (Anitta e Netflix) acaba criando um mal estar na equipe de produção, que discute uma suposta falha na segurança em relação a presença da Autora (Maria Ilza)”, diz o processo.

“A Autora (Ilza) vira o motivo da indignação e o quadro do qual ela aparece passa a ter grande importância no documentário, dando a entender que sua entrada na casa, devidamente autorizada, foi uma ingrata surpresa – um erro – do qual a Autora aproveitou-se para burlar regras, de forma clandestina, tanto é que esta chega a discutir com seus funcionários. Neste momento a Autora é transformada em uma ‘cara de pau’ que conseguiu entrar na casa da famosa Anitta, passando a ser achincalhada pelo mundo a fora, tendo em vista que Anitta é uma ‘estrela global’.” – argumenta os advogados.

Os advogados também argumentam que ela teve um grande abalo psicológico no hospital, sendo um momento em que ela deveria ter tranquilidade para conseguir realizar o tratamento com mais eficiência.

Como o processo foi ajuizado no dia 18 de dezembro, no plantão noturno do recesso do judiciário, o juiz decidiu, em liminar, que a ação não tinha caráter urgente. Já no dia 24/12, dona Ilza desistiu da ação, mas apesar disso, ela ainda não foi extinta.

O vídeo abaixo contém spoiler:
.

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"