GAY BLOG BR by SCRUFF

No dia 25 de outubro, domingo, às 14h, será realizada a 1ª Parada Virtual do Orgulho LGBT de Vinhedo, vindo para respeitar as normas de isolamento social devido a pandemia do coronavírus. O evento conta com o apoio da Associação da Parada do Orgulho LGBT de  Vinhedo – Bianca Niero e o apoio do programa +Orgulho. Você pode assistir através das plataformas de plataformas como YouTubeFacebook e o site do Cultura em Casa.

O +Orgulho é um programa criado pelo Museu da Diversidade Sexual (MDS) via Amigxs da Arte, organização Social de Cultura responsável pela gestão do Museu através do Programa de Apoio à Cultura LGBTQIA+, órgão da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

A 1ª Parada Virtual do Orgulho LGBT de Vinhedo será apresentada por Dafiny Mullers e Alexandrite Moonsuan. Participam também as Drag Queens Thalita Petrovanni, Stefanni Gardeni e Joyce Meirelles, além das cantoras Drag Queens Luiz Kingsman e Jasmyne, do cantor Viktor Huggo e da cantora Luciana Cândido. O encerramento será com discotecagem do DJ Cris Negrini.

“A Parada Virtual é um novo cenário que encontramos em 2020 para obedecer à recomendação dos órgãos públicos e respeitar as famílias enlutadas para as quais levaremos nossa constante luta pelas pautas LGBTs. Ainda que de modo virtual, queremos causar o mesmo impacto social na sociedade para chamar atenção dos governantes em relação às pautas que defendemos”, diz Guilherme Looy, Diretor Presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de Vinhedo – Bianca Niero.

Vinhedo realiza a 1ª Parada Virtual com apoio do programa +Orgulho
Reprodução

Desde março o +Orgulho viabilizou a mostra digital Queerentena – com artistas de diversos estados, uma exposição de artes pela plataforma Google Arts & Culture, a celebração da Parada LGBTQIA+ paulistana e uma programação especial em agosto, mês da Visibilidade Lésbica. A ação das Paradas virtuais é fruto de uma parceria entre o Museu da Diversidade Sexual e o #CulturaEmCasa, plataforma de streaming de vídeos que reúne de forma gratuita o que há de melhor na programação cultural produzida por artistas e profissionais do setor.

O objetivo do programa é selecionar e apoiar projetos de Paradas do Orgulho da população LGBTQIA+ no interior e litoral do Estado de São Paulo. As atividades culturais e ações de visibilidade têm como base a promoção dos direitos humanos, o combate à discriminação e a visibilidade da população LGBTQIA+.

Além da celebração do orgulho de viver a diversidade e incentivar uma cultura de paz e convivência, o projeto também gera um impacto direto nas cidades contempladas ao fomentar o turismo e movimentar o calendário de atividades culturais, educativas e de lazer referente às Paradas.

O programa foi criado em 2017 e contemplou 10 municípios na sua primeira edição, doze na segunda e na terceira (2018 e 2019) e 25 no ano de 2020. Como forma de adaptação às modificações causadas pela pandemia da coronavírus, as cidades contempladas realizarão uma ampla coleta de testemunhos através do programa Memórias da Diversidade Sexual.

A seleção de cidades foi operada por uma comissão composta por integrantes de diversas secretarias do Governo do Estado e representantes da sociedade civil. Os quesitos para a escolha incluíram qualidade do projeto, localização geográfica, dados de sobre LGBTfobia no município, entre outros.

Serviço
Parada LGBTQIA+ de Vinhedo
25 de outubro, domingo, às 14h.
Transmissão: #CulturaEmCasa, Facebook e YouTube

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"