Evangélica, mãe de jornalista gay rebate comentário homofóbico: ‘o amo e aceito!’

Após sofrer ataques homofóbicos, a mãe de Matheus Ribeiro, gay que recentemente apresentou o JN, resolveu se posicionar perante.

O jornalista Matheus Ribeiro, que recentemente apresentou o Jornal Nacional e ficou conhecido no Brasil inteiro por ter sido o primeiro  abertamente gay a assumir a bancada do JN, sofreu alguns ataques homofóbicos na internet devido a sua exposição.

Um caso em específico foi de uma pessoa identificada como Luiza Alves que adicionou a mãe de Matheus, Katia Cinele, no Facebook e questionou “Você não liga de ele ser gay? Você é evangélica?”.

Katia Cinele rebate comentário homofóbico
Katia Cinele rebate comentário homofóbico. Foto: reprodução

Em resposta, Cinele disse:

Olha, eu aceitei sua amizade aqui e nunca perguntei se você é ou deixa de ser alguma coisa. Acha mesmo que eu me sentiria ofendida com a sexualidade do meu filho, diante de todo o orgulho que ele sempre me deu? Eu o amo e o aceito, não o julgo!

E simplesmente por ser evangélica tenho um coração livre de preconceitos, as nossas relações com Deus são pessoais, cada um tem a sua. Portanto, posso orar pelos meus filhos e pedir as bençãos de Deus na vida deles, mas não posso julgá-los e muito menos condená-los! 

Acha que vou rechaçar meu filho e fazer com que ele tenha uma vida sob os olhos de reprovação da própria mãe, num aspecto que é pessoal? Ele não me prejudica em nada sendo gay, aliás quero que ele seja feliz e isso é algo que só diz respeito a ele e a quem se relaciona com ele. Pergunte as mães dos assassinos, traficantes, ladrões, dos presos, se elas deixaram de amar seus filhos.

Um filho é um presente de Deus e EU TENHO ORGULHO DOS MEUS! São homens de bem, honestos, trabalhadores, nunca prejudicaram ninguém, portanto a sexualidade deles é íntima e não me sinto no direito de apontar o dedo e ser preconceituosa e cruel.

Você tem filhos? Olhe para eles, se os tiver, e pense no que eu estou lhe dizendo. No mais, desejo que você seja muito feliz e que sua vida seja muito abençoada”, disse.

Evangélica, mãe de jornalista gay rebate comentário homofóbico: 'o amo e aceito!'
Foto: reprodução

Já o próprio jornalista resolveu publicar os prints desse diálogo eu seu Twitter, dizendo se sentir surpreendido e dizendo ser “impossível não se emocionar” ao ler o que ela escreveu.

Matheus Ribeiro e namorado
Matheus Ribeiro e namorado. Foto: Reprodução

SIM, É UMA NOTÍCIA IMPORTANTE

Como esclarece o sociólogo Fábio Mariano Borges, obviamente o apresentador não foi escolhido por ser gay, mas pela competência.

“Tivemos, talvez, no passado, outros apresentadores gays no JN, mas não foi noticiado, justamente porque as pessoas não eram livres pra expressar sua identidade gay. Era a época que pregavam ‘você pode tudo, desde que entre 4 paredes’. Ou seja, a esfera pública não aceitava, nem permitia a expressão gay como uma identidade, mas somente como objeto de riso, de estereótipo, mantendo os LGBTQs na injúria. Uma notícia como esta inspira: mostra que não há razão para se envergonhar de si mesmo e dos afetos. Uma notícia como esta dá visibilidade: faz com que a sociedade veja os LGBTQs não mais como ameaça. Uma notícia como esta gera representatividade: tira os gays da injúria e coloca a expressão do afeto e do amor entre pessoas do mesmo gênero, no mesmo patamar que os afetos heteronormativos. Há quem diga que é só marketing: que seja, pois se até hoje tivemos um marketing que excluía, é muito bem vindo o marketing que inclui. Uma notícia como esta convida para a empatia e aceitação”, conclui.

1 COMENTÁRIO