A BBC publicou uma matéria sobre o casal heterossexual que tinha uma loja de materiais adultos destinados ao público gay de Los Angeles, o Circus of Books. Ao longo de muitos anos, Barry e Karen Mason esconderam isso de seus três filhos e, mesmo eventualmente ingressando na indústria pornô gay e conviverem diariamente com a comunidade LGBT+, eles tiveram dificuldades em aceitar que dois de seus três filhos são homossexuais.

Barry e Karen são pais de Micah, Rachel e Josh, sendo estes dois últimos, gays. Segundo Rachel, conversas sobre sexualidade não existiam dentro da casa dos Mason, que procuraram dar aos seus filhos uma criação mais religiosa e moralista. Graças a isso, a menina começou a sair pelas baladas de Los Angeles sem o conhecimento dos pais.

“Fui a clubes gays, show de drags e fiquei totalmente empolgada com tudo isso” diz ela, que eventualmente arrumou uma namorada e levou para o baile da escola na época do ensino médio.

Já Josh diz que “carregava nos ombros” as expectativas de sua mãe e, portanto, enfrentava uma própria luta em silêncio. Segundo ele, existia a possibilidade de ser expulso de casa e, portanto, ele comprou um post-it e escreveu “Sou gay”.

A Família Mason com os três filhos era, aparentemente, uma tradicional família religiosa de Los Angeles. (Foto:Reprodução) gay
A Família Mason com os três filhos era, aparentemente, uma tradicional família religiosa de Los Angeles. (Foto:Reprodução)

“Eu disse: Você tem certeza?” – Karen relembrando o caso a BBC – “Por que está fazendo isso? Deus deve estar me punindo! Eu não tinha problemas com pessoas gays, mas realmente não estava preparada para ter um filho gay”. 

No entanto, mesmo com a difícil aceitação dos pais, tanto Barry quanto Karen entraram para a organização PFLAG, sigla em inglês para pais e amigos de lésbicas e gays e, eventualmente, aprenderam a aceitar a homossexualidade de seus dois filhos.

Rachel está dirigindo um documentário que estreará no Netflix em 2020 contando a história de sua família. Foto: Reprodução
Rachel está dirigindo um documentário que estreará no Netflix em 2020 contando a história de sua família. Foto: Reprodução

“Eu precisava entender o que era ser mãe de alguém gay. Eu tinha que ficar bem com isso e (aceitar que) os pais geralmente têm expectativas por seus filhos que realmente refletem mais os pais do que os filhos. Quando se tratou do meu próprio filho, percebi que tinha algumas ideias sobre gays que precisavam mudar”

Atualmente, Barry e Karen se tornaram embaixadores da PFLAG e ajudam pais e mães que têm dificuldade em aceitar a orientação sexual de seus descendentes.

TRAJETÓRIA DA FAMÍLIA MASON

A filial em Silverlake. Foto: Reprodução
A filial em Silverlake. Foto: Reprodução

Ambos iniciaram sua carreira dentro do segmento pornô nos anos de 1970, quando o casal estava passando por dificuldades financeiras e Karen observou um anúncio de emprego nos classificados dos Los Angeles Times para distribuir a revista Hustler, que exibia mulheres nuas. Ambos foram bem sucedidos e se tornaram grandes empresários.

Em 1982, o dono da mais famosa livraria de pornô gay da região, a Book Circus, em West Hollywood, estava enfrentando dificuldades financeiras e a dupla, já consolidada dentro do mercado de entretenimento adulto, comprou a loja e a renomeou como Circus of Book. Lá não era apenas um ponto de venda para produtos eróticos, mas sim um ponto de encontro para a comunidade gay de Los Angeles.

Nessas circunstâncias, os três filhos do casal: Micah, Rachel e Josh, foram instruídos a não olhar os produtos quando visitassem a loja e nem que tocassem neles. Eles também eram proibidos de dizer aos amigos o nome do lugar. Segundo a mãe, Karen, a ideia era proteger as crianças.

No entanto, a filha Micah acabou sabendo ao descobrir uma fita VHS pornô dentro do porta-malas do carro, enquanto a Rachel soube pelos amigos, o que foi um grande “choque”, já que a mãe era religiosa e moralista, com a aparência de “família perfeita”.

“A ideia de que eles estivessem fazendo algo contracultural era o oposto de quem meus pais realmente eram, para mim” – diz Rachel, a BBC – “Nossa família era convencional em certa medida. Estávamos nos esforçando para ter a aparência de família perfeita” – acrescenta Josh, que aparentemente soube pela irmã.

Ao longo da carreira de ambos, Barry e Karen tiveram problemas com a justiça devido a oposição do presidente Ronald Reagan (exerceu mandato em 1981 a 1989) à indústria pornográfica (ainda mais o pornô gay). Na mesma época, a AIDS foi descoberta e especialmente em seu início (que era diretamente associada aos gays), ambos eram considerados “empregadores-modelo”, dando apoio integral a aqueles que eram diagnosticados com o vírus.

Atualmente, ambas as lojas não existem mais. A filial de Silverlake foi fechada em 2016 e a de West Hollywood foi encerrada em fevereiro de 2019.

Leia também: A pior doença causada pelo HIV não é a AIDS 

11 de outubro: ‘The Coming Out Day’ – ‘Dia de Sair do Armário’

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".