9 games com a temática LGBTQ+ que você precisa jogar 🎮

POR GABRIEL MENEZES

Com o sucesso de Dream Daddy, game criado e lançado pela a equipe da famosa americana GameGrumps, o gênero dating-sim (simulador de encontros) tomou os holofotes de outros subgêneros de games preferidos dos youtubers e blogueiros nas semanas seguintes após o seu lançamento, no dia 20 de julho. Mas o que o pessoal simpatizante do gênero não sabe, é que existem diversos outros títulos na categoria para agradar todos os gostos— desde aos que preferem ter romances leves e descontraídos com daddies e boys magias como foco principal, até os que preferem enfrentar uma vida acadêmica, solucionar mistérios ou quem sabe até mesmo viver aventuras épica medievais junto de seu companheiro.

games menezes

Ter personagens LGBT em uma trama é cada vez mais comum nos títulos dos games atuais, alguns destes em posições de extrema importância na série, como exemplo a mascote da desenvolvedora de peso, Blizzard, com a personagem Tracer em Overwatch— e a Ellie, protagonista da série The Last of Us da Naughty Dog. No entanto, o foco principal destes jogos não é o romance entre as personagens, então vamos para a lista:


Coming Out on Top — Obscurasoft (2014)

COOT

Provavelmente o carro chefe dos dating-sim ocidentais, o projeto lançado no Kickstarter pela desenvolvedora indie, Obscura, conseguiu não só bater sua meta inicial de USD$ 5.000, como alcançou um valor surpreendente de USD$38.601, assim possibilitando a criadora de investir ainda mais no seu projeto, e evidenciando o tamanho interesse no público por uma versão “americanizada” do gênero.

No game, o usuário toma o papel de Mark, que começa o jogo se assumindo para seus colegas de quarto logo Penny e Ian no início do primeiro semestre da faculdade. A partir dali o jogador pode seguir seis rotas únicas entre o seu melhor amigo, um jogador de futebol americano, um guitarrista, um militar, um ursão chegado em couro, poesias e luta livre, ou até mesmo um de seus professores! Todas as rotas a se seguir são cheias de humor, drama e escolhas, que no final do jogo te dirá se você vai conseguir ficar junto do crush, e se ainda vai manter contato com seus colegas.

Além das rotas principais, a BFF do personagem, a Penny, desenvolve um aplicativo em homenagem ao nosso Grindr, possibilitando você a se engajar (sem compromisso) em mais 11 encontros igualmente hilários e bem sexys com outros rapazes sem muita importância na trama principal (recomenda-se muito os personagens Luke e Cesar 😉).

O jogo possui cenas picantes e te deixa até escolher se prefere os rapazes depilados ou peludinhos— mas faz uso de uma configuração especial para censurar as cenas caso você assim deseje quando for jogar. O jogo está na sua versão final, e não possui tradução para o português ainda, e você pode adquirir ele por USD$15.00 ná pagina da Obscurasoft.


Super Health Club — OONYX (2016)

health

Outro visual novel, desenhado por DongSaeng (bastante conhecido na comunidade yaoi, principalmente pela maravilhosa minissérie de tirinhas gays Gaysome, lançadas até 2013 no Tumblr), este dating-sim se destaca dos outros por ser completamente dublado em inglês (até mesmo nas horas críticas, se é que me entendem…), e por colocar o jogador no papel de chefe de uma academia. E claro, dentro dela, diversos garotões com personalidades diferentes para agradar a todos os que curtem músculos. (Fique de olhos bem abertos para não perder o Kouji de vista, o lutador queridinho dos jogadores!)

Apesar de ter uma temática mais moderna, o Super Health Club, os personagens seguem a fórmula tradicional dos animes para descrever os personagens, onde sempre tem o bad boy – que na verdade é um fofo- , o santinho – que na verdade é um diabinho… Jogadores que acompanham algum material oriental de publicação vão se sentir bastante à vontade interagindo com esses arquétipos no game.

O game é bastante extenso e muito bem produzido, dando total liberdade ao jogador ao planejar eventos na academia, montar horários dos alunos e dos professores, e até mesmo as finanças do negócio.

O artista não poupou detalhes e ilustrações para mostrar ao público exatamente o que pode acontecer dentro de uma sauna, portanto, tirem as crianças da sala ao jogar este aqui!

Iniciantes podem se sentir um pouco frustrados com a dificuldade deste game, uma vez que ele requer bastante paciência para poder destravar cenas especiais com os rapazes, mas para quem gosta de um bom desafio, vai adorar solucionar os dramas locais.

O game está disponível no site da OONYX, com algumas opções extras durante a compra. A versão mais barata sai por USD$25.49. O game ainda é atualizado com certa frequência, a última lançando algumas traduções, o que significa que a versão em português não deve demorar para chegar na loja.


DRAMAtical Murder — Nitro+CHIRAL (2012)

DRAMATICAL

Assim como Coming Out on Top é o queridinho do ocidente, DRAMAtical murder já é bastante conhecido pelo público fã de yaoi (principalmente as meninas!).  Não deixe que o lindo traço de mangá desta visual novel te engane— DMM (como é chamado pelos fãs) possui cenas explicitas de violência, sexo relacionamentos abusivos sem cerimônias.

Mas claro, nem tudo é escuridão no game. O personagem principal, Aoba Seragaki, procura viver uma vida tranquila na ilha-resort de Midorijima, e durante a trama ele vai conhecendo outros rapazes que vivem ali, e também os seus “poderes” e como ele pode usar isso para ajudar os outros, ou acabar com eles.

O game conta com 5 personagens distintos o qual você pode interagir durante a história, cada um com poderes e personalidades diferentes de Aoba, relacionando com ele de maneira única e depende de você decidir o destino de Aoba, dando a ele um bom companheiro, ou tentar a sorte com os personagens mais diabólicos da ilha.

O game é referência no oriente em seu gênero, gerando até uma versão light para o público mais jovem em 2014 para o PlayStation Vita, removendo as cenas de sexo, violências, e as telas de Game Over que foram julgadas muito gráficas. Um anime também foi lançado para a série no mesmo ano.

O game é vendido exclusivamente em japonês, porém os fãs não deixam a desejar, criando versões do game em inglês e em outras línguas para auxiliar no produto original.


Eldet — Marccus Ehren (Em desenvolvimento)

Eldet

Prometendo um mundo fantástico a ser explorado com bastante aventura e muita personalidade, Eldet faz questão de abraçar todos os tipos de pessoas em sua trama. O criador e ilustrador do game, Marccus, deixa claro todo o seu entusiasmo e preocupação com o game, ao dizer que o que mais inspira é poder criar um mundo inteiro como ele sempre quis: com muita diversidade!

Em Eldet, você controlará Kunal, um jovem mago que depois de estudar boa parte de sua juventude numa escola para bruxos, se dá conta que nunca de fato possuiu poderes mágicos! E então, começa a sua aventura para descobrir os segredos de uma antiga tumba e o que ela tem a ver com seu passado.

Apesar do personagem principal ser gay, durante a trama, você encontrará diversos personagens quais vão mudar o jeito do próprio Kunal. Como previamente dito, o autor já confirmou a existência de personagens lésbicas, transexuais e também outros espectros da sexualidade.

O game inteiro é produzido apenas por uma pessoa, e conseguiu arrecadar USD$30.835 de sua meta de USD$7.000 no Kickstarter. Devido a este fato, e também ao outro de que existem personagens extras a serem criados para o game, o desenvolvimento do game que estava previsto para o final deste ano foi adiado. Porém, o artista mantém sempre o blog do game, a página do kickstarter e o seu twitter bastante ativos, compartilhando com os fãs do projeto: ilustrações, trilha sonora, personagens e cenários. Para quem gosta de RPGs visuais, Eldet promete bastante!

https://www.kickstarter.com/projects/1094149316/eldet
https://eldet-development.tumblr.com/


Mass Effect & Dragon Age — Bioware (2007—)

DragonAge

Como falar sobre jogos de temática LGBT sem citar os dois grandes jogos da BioWare?! Dragon Age e Mass Effect são dois jogos distintos do mesmo estúdio, um situado num ambiente medieval, e o outro em um espaço futurista. Em ambos, você é permitido criar um personagem com bastante opções, sexo, e até mesmo sua raça— e acredite, tudo isso importa bastante nos dois universos de uma maneira ou outra!

Apesar do foco dos games não ser completamente LGBT em si, as relações que o seu personagem mantem com seus companheiros e amigos durante os jogos são de extrema importância, podendo causar efeitos na história de tal forma que, ao passar de um game para o outro no mesmo console, o seu personagem previamente criado no game anterior (situado em diferentes períodos variando de jogo em jogo) ainda continua influenciando e sendo mencionado nas futuras gerações. No decorrer da trama, você vai descobrindo aos poucos as preferências e características dos personagens, e suas decisões quando mal tomadas, podem levar até mesmo a morte precoce deles.

Com um destaque tão grande dado a esses laços, os games vem criando mais personagens icônicos a cada novo título lançado, como por exemplo no último título lançado na série Dragon Age, o Inquisition, onde fãs debatem qual o personagem mais agradável e popular de se manter por perto em suas aventuras: Sera, ou Dorian— Ambos personagens exclusivamente gays na história.

No futuro espacial, Mass Effect dá um passo um pouco mais a frente, substituindo as raças fantásticas do mundo de Dragon Age por raças alienígenas e robôs com inteligências artificiais, nas quais além de provarem serem companheiros leais e exemplares no campo de batalha contra as tropas inimigas, podem ser amantes exímios fora das missões.

O último título de Dragon Age vem sido aclamado pela mídia desde 2014, vencendo 3 prêmios (Jogo do ano, melhor RPG e o GLAAD Media Award), e já esperamos a nova instalação de um novo título na série, enquanto Mass Effect lançou recentemente o Andromeda, todos os títulos disponíveis para PC e para consoles Next Gen.


Dream Daddy, o game de encontros entre pais gays (2017)

jyfbvoz0ig6cf3bitm1x

“Dream Daddy”, um game de encontros entre pais gays, tem feito sucesso na Steam, a principal plataforma de jogos para PC. O game já passou da marca de 150 mil jogadores e aparece na lista de mais vendidos no mundo todo, segundo o site de dados SteamSpy.

Em “Dream Daddy”, você cria e controla um pai que se muda com a filha Amanda para uma cidade costeira após sua antiga parceira (ou parceiro, você decide) morrer. Chegando lá, você descobre que todos no seu bairro são pais solteiros dispostos a sair para se divertir. E tá aí o objetivo do jogo: se encontrar e flertar com outros pais bonitões.

Mas “Dream Daddy” também tem alguns mini e micro-jogos divertidos. Um deles imita uma batalha dos games antigos da série “Pokémon”. A imagem fica em preto e branco, entra aquela trilha sonora de videogame dos anos 1980, e os dois pais “duelam” para ver quem tem a filha mais legal.

http://store.steampowered.com/app/654880/Dream_Daddy_A_Dad_Dating_Simulator/


– Menções Honrosas! –
Representatividade importa, principalmente quando introduzida de maneira sutil.


Stardew Valley

Stardew

Já pensou em mudar da cidade grande para poder curtir uma vida de fazendeiro? É assim que começa a saga de seu personagem nesse sucessor “espiritual” indie de Harvest Moon. Entre cuidar de sua fazenda, produzir seus doces e pratos artesanais, cuidar dos animais e da pequena cidade de Pelican, você pode se casar com qualquer um dos 12 candidatos (6 mulheres e 6 rapazes) que são essencialmente todos bissexuais.

Após o casamento, seu conjugue lhe ajudará nas tarefas diárias, e eventualmente lhe pedir para ter ou adotar um bebê! O segredo para conquistar o crush em Stardew Valley é pelo estomago… mantenha sua colheita sempre farta!


RuneScape

Runescape

Este MMORPG já tem jogadores há bastante tempo, mas sua história principal se manteve envolvida em um enorme mistério até o lançamento da missão grã-mestre “O Despertar do Mundo” dando início a 6º Era no game em 2013, trazendo assim os Deuses que previamente haviam sido exilados da terra de volta para ela, após anos de conflito.

Com os Deuses de volta, e tão perto dos jogadores, é possível se aliar a suas causas e descobrir suas motivações e passado, como por exemplo do deus da Justiça: Armadyl. No decorrer de sua vida repleta de guerras e sofrimento, ele se casou com o seu primeiro general, adotando um filho, e depois se casou com uma outra guerreira, confirmando a bissexualidade do deus da raça aviansie no game.

Existe também um metamorfo transexual, Angof. Previamente um elfo, que depois de adquirir suas habilidades após um desastre em seu mundo causado pela dependência de cristais mágicos, se adequou ao seu novo corpo como sempre desejou.


Magic: The Gathering

Além de ser o TCG (Trading Card Game) mais popular do mundo, Magic também possui uma história que envolve diversos planos e planeswalkers (uma espécie de viajantes do tempo) e personagens lendários de destaque e importância e cada um destes universos. Tanto as criaturas, locais, feitiços quanto estas lendas estão presentes nas estampas ilustradas em suas respectivas expansões. Em Destino Reescrito (segunda parte da história do plano Tarkir), somos apresentados a Alesha, a líder feroz dos guerreiros Mardu, uma transexual usando o mesmo nome de sua avó para pode se afirmar em sua verdadeira identidade e conquistar seu devido respeito dentre a horda.

Em outro plano, Theros, também conhecemos Quinaios e Tiro, campeões e líderes da polis de Meletis, inspirado na cidade de Athenas. Eles lutam com sabedoria e cautela, usando os conhecimentos dados pela deusa Efara para vencer suas batalhas.

Além das ilustrações, os efeitos que as cartas tem quando em jogo deixam transparecer a paciência e ferocidade dos personagens, dando ainda mais personalidade a eles.


MATÉRIA ESCRITA POR GABRIEL MENEZES.