GAY BLOG BR by SCRUFF

Uma das artistas travestis mais conhecidas do Brasil, Divina Valéria (78) tem passado por problemas de saúde desde o final do ano passado e chegou a ficar internada por conta de problemas na próstata. Com sonda desde 28 de dezembro, Divina conta que ficou sem trabalhar desde o início da pandemia e já tinha pedido ajuda através de suas redes sociais para a realização de exames urgentes.

No último 19 de janeiro, a artista fez um novo apelo: “Meus queridos amigos, infelizmente não tenho boas novidades a respeito de minha saúde. Comecei a sentir diariamente fortes dores. E semana passada positivei para covid, me impedindo de dois grandes projetos incríveis, que iriam me render bons frutos. Tenho enfrentado muitas filas no SUS para ser atendida. Quem puder me ajudar, com um PIX para conseguir chegar nesse valor de 12 mil, pois esse é o valor [da cirurgia]. Fui em 3 médicos particulares. Todos os exames fiz no particular, para ser mais rápido, com a ajuda de vários amigos que contribuíram um pouco, como mencionado anteriormente. Se alguém conhecer também algum urologista seria de grande ajuda. Estou residindo em São Paulo. Conto com a solidariedade de vocês, qualquer valor já é de grande ajuda”.

Aos médicos urologistas interessados em ajudar, basta entrar em contato através deu seu Instagram @divinavaleriaoficiall. A artista também deixou seu PIX para doações: 105.755.258-51 (Valter Fernandez Gonzalez).

Pioneirismo na arte travesti

Musa de Di Cavalcanti, Divina Valéria lançou, recentemente, sua biografia. A artista estreou como cantora na noite do Rio de Janeiro no ano de 1964, em plena época da ditadura militar.

Antes de completar vinte anos, já era uma das estrelas do aclamado espetáculo “Les Girls”, com o qual viajou por várias cidades brasileiras e também pelo Uruguai. Em 1970, chegou na França, onde rapidamente se tornou uma das principais atrações das emblemáticas casas noturnas Carrousel de Paris e Chez Madame Arthur.

Entre Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Montevidéu, Paris, Roma, Berlim e até no Japão, Valéria cantou muito, emocionou plateias, amou demais e viveu intensamente.

Vale dizer que ela foi uma das personagens que estrelou o longa-metragem “Divinas Divas”, dirigido pela Leandra Leal e que conta a história de várias travestis que fizeram história no Brasil.




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.