Quer que desenhe? Artista ilustra diferenças entre gênero, identidade e orientação

Nimbus Aragón tem feito sucesso nas redes sociais com suas artes empoderantes e empoderadoras. Conheça um trabalho recente sobre sexualidade

gênero ilustração identidade sexualidade
https://www.instagram.com/nimbusdesenios/
https://www.instagram.com/nimbusdesenios/
https://www.instagram.com/nimbusdesenios/
https://www.instagram.com/nimbusdesenios/
https://www.instagram.com/nimbusdesenios/
https://www.instagram.com/nimbusdesenios/

Para conhecer mais ilustrações, apoiar ou até mesmo encomendar uma ilustração, não deixe de visitar https://www.instagram.com/nimbusdesenios/

Infográfico: as diferenças entre SEXO, GÊNERO e ORIENTAÇÃO

Organização Mundial da Saúde

A OMS define que a sexualidade “faz parte da personalidade de cada um, sendo uma necessidade básica e um aspecto do ser humano que não pode ser separado de outros aspectos da vida. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, portanto a saúde física e mental”.

Atualmente, ocorre por parte de alguns estudiosos, a tentativa de afastamento do conceito de sexualidade da noção de reprodução animal associada ao sexo. Enquanto que esta noção se prende com o nível físico do homem enquanto animal, a sexualidade tende a se referir ao plano psicológico do indivíduo. Além dos fatores biológicos (anatômicos, fisiológicos, etc.), a sexualidade de um indivíduo pode ser fortemente afetada pelo ambiente sócio-cultural e religioso em que este se insere. Um exemplo disto é que em algumas sociedades, na sua maioria orientais, promove-se a poligamia ou bigamia, ou seja, a possibilidade ou dever de ter múltiplos parceiros.

Em algumas partes do mundo a sexualidade explícita ainda é considerada como uma ameaça aos valores político-sociais ou religiosos. Falar sobre a sexualidade humana é buscar entender a gênese do ser humano em seu aspecto mais íntimo e privativo. É penetrar na esfera mais profunda de cada ser.

Este ato nos impulsiona a ter uma postura humilde e de respeitabilidade pelo outro, conciliando a nossa maneira de tratar a questão com uma análise crítica sobre a questão, buscando ampliar nosso entendimento sobre o que é ter comportamentos ‘aceitáveis’ ou ‘normais’ dentro da sexualidade.