Matheus Ribeiro, que em 2019 apresentou o Jornal Nacional e ficou conhecido no Brasil por ter sido o primeiro jornalista abertamente gay a assumir a bancada do programa, usou o Stories do Instagram para esclarecer uma suposta foto onde apareceria nu.

- CURTA A PÁGINA DO FACEBOOK -

“Oi, gente, tudo bem? Acordei cedo, passei as pautas do jornal [da Record, onde está atualmente, conforme informado pelo gayblogbr], vi as coisas da empresa lá em Goiânia. Deitei aqui no sofá uma pouquinho para dar risada de uma coisa enquanto não vou para o almoço. Um perfil aqui no Instagram me publica uma foto do meu rosto colocado, transplantado, inserido no corpo de outra pessoa, outro cara. Que curiosamente não estava com todas as vestimentas (risos). Sim, era uma montagem de um nude meu… E por sorte a montagem ficou tão mal feita e foi tão inverossímil que não deu tempo de ninguém acreditar. Tirei foto e mandei logo pros advogados para ver que providências devem ser tomadas. Até pensei em mostrar para vocês, mas é tão ridículo que não vale a pena, nem vale a pena gastar o nosso tempo com isso. Beijos”, disse Ribeiro na manhã de sexta-feira, 07 de agosto.

Assista ao vídeo:

EQUIPE TENTOU BOICOTAR CONTRATAÇÃO

Matheus, assim que foi anunciado que migraria para Record, em abril desta ano, também foi alvo de um ataque motivado pela equipe da TV de Edir Macedo. “Nós, da Redação da Record Brasília, viemos por meio desta carta manifestar irrestrito apoio ao jornalista Luiz Carlos Braga, arbitrariamente desligado da emissora por ordens superiores. A diretoria desta casa optou por escantear uma carreira de três décadas e ilibada reputação, além de incontáveis prêmios, em prol de uma contratação cuja única relevância curricular é a sua orientação sexual”, dizia a carta. Continue lendo aqui.

Evangélica, mãe de jornalista gay rebate comentário homofóbico: ‘O amo e aceito!’

Google Notícias