GAY BLOG BR by SCRUFF

Nascido em Santa Terezinha, interior da Bahia, Danilo Santana (PSOL), de 25 anos, disputa uma vaga como deputado federal no Estado pelo Coletivo Raízes. Cientistas Social e gay, ele conversou com o Gay Blog BR e falou sobre sua trajetória e propostas no especial “Eleições 2022“.

Danilo Santana, do Coletivo Raízes, disputa uma vaga de deputado federal pelo PSOL da BA (Foto: Divulgação)

Estudante no curso de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Danilo participa de coletivos e exerce o mandato parlamentar, sendo o vereador mais jovem da história de Santa Terezinha. Atualmente, ele é candidato a deputado federal pelo Coletivo Raízes, composto por cinco pessoas negras e que reafirma a necessidade de politicas de inclusão e combate as discriminações.

Como candidato do Coletivo Raízes, ele destaca algumas propostas do grupo, como a “ampliação do orçamento público para causas sociais, maior investimento em educação, cultura, juventudes, LGBT+ e comunidades tradicionais, através da implementação de políticas sociais e geração de emprego, renda e desenvolvimento sustentável”.

Além disso, Danilo pontua que reestabelecer a democracia e garantir direitos sociais no país é instrumento fundamental para que a população LGBTQ+ possa ser o centro de políticas inclusivas. “Por isso defendemos a construção de espaços deliberativos de representação interministerial com protagonismo de LGBT+ para que todas as políticas públicas contemplem as especificidades do público LGBT+, especialmente nas áreas de Saúde, Educação, Cultura, Justiça e orçamento”, acrescenta o candidato do coletivo.

Coletivo Vozes, candidatura coletiva na Bahia (Foto: Reprodução/ Instagram)

GAY BLOG BR: Qual a sua formação e trajetória profissional?

Danilo Santana: Sempre estudei em escola pública no município e ao concluir o nível médio fez o ENEM apliquei minha nota no SISU e fui aprovado para cursar Ciências Sociais na UFRB em Cachoeira no Recôncavo da Bahia, neste período participei de diversas atividades e ações a exemplo do projeto de pesquisa, projeto de extensão, movimento social e estive imerso em diversos eventos locais.

Conclui o curso de Ciências Sociais e submeti projeto de pesquisa para o Mestrado em Políticas Sociais na UFRB, organizei o movimento cultural de minhas cidade através de oficinas de elaboração de projetos culturais com uma equipe de técnicos do Recôncavo da Bahia. Realizei a mediação para a criação do coletivo Mafuá e depois Instituto Cultural Mafuá que promovia o diálogo sobre a cultura de paz, participação da juventude e organização social e cultural no interior da Bahia.

Sou estudante no curso de Direito da UFBA, participo de coletivos e exerço o mandato parlamentar, sendo o vereador mais jovem da história de Santa Terezinha, com uma atuação popular para provocar a construção de políticas sociais e culturais. Atualmente sou candidato a deputado federal pelo Coletivo Raízes, composto por cinco pessoas negras e que reafirma a necessidade de politicas de inclusão e combate as discriminações.

Resumidamente, sou Cientista Social-UFRB, ator amador, militante das causas sociais, membro do Fórum Estadual de Educação da Bahia-FEEBA; Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Territórios, Movimentos Sociais, Politica e Serviço Social (TEMPOSS); Presidente do Fórum Municipal de Educação de Santa Terezinha; Estudante do Mestrado em Política Social e Territórios; Presidente do PSOL em Santa Terezinha; Membro do Círculo Palmarino (Movimento Negro); Membro do Coletivo Raízes. Foi fundador do Instituto Cultural Mafuá; Coordenador dos Centros Comunitários Rurais; Presidente do Conselho municipal de Cultura; professor de Geografia na educação Básica; professor de oficina de iniciação ao teatro; Coordenador do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego-PRONATEC e Representante estudantil no Programa de Apoio ao Estudante em Santa Terezinha.

GB: O que motivou a se candidatar?

Danilo: É tempo das minorias sociais levantarem as vozes e gritarem por representatividade nos espaços de decisão. É inaceitável não termos na atualidade parlamentares com a cara e a essência da maioria da população. Essa ausência de representantes jovens, negros, LGBT+, do interior e com compromisso coletivo me motiva a entrar com coragem na disputa eleitoral e reivindicar a ampliação de investimentos em politicas sociais de forma democrática, sustentável e inclusiva.

GB: Quais os desafios enfrentados ao ser um candidato abertamente LGBTQ+?

Danilo: Ser um sujeito assumidamente LGBT+ representa na atualidade uma barreira social com infinitas violências e violações. É bastante comum ver que boa parte dos eleitores não se sintam confortáveis em votar em um LGBT+ e reafirmar publicamente que escolheu um LGBT+ como representante. De violência simbólica a exclusão, um candidato LGBT+ é preterido dentro dos partidos, recebem menos apoio, e só encontram espaços de expressão nos grandes centros urbanos. A dinâmica do interior é extremamente violenta com os LGBT+, principalmente quando intersecciona raça, classe e território.

GB: Quais são as suas principais propostas? Há pautas exclusivamente para LGBTQ+?

Danilo: Sou candidato em coletivo, com outras quatro pessoas negras. A raça nos une e possibilita uma representação diversa em um estado majoritariamente negro. Defendemos a ampliação do orçamento público para causas sociais, maior investimento em educação, cultura, juventudes, LGBT+ e comunidades tradicionais, através da implementação de políticas sociais e geração de emprego, renda e desenvolvimento sustentável. Reestabelecer a democracia e garantir direitos sociais é instrumento fundamental para que LGBT+ possam ser o centro de políticas inclusivas. Por isso defendemos a construção de espaços deliberativos de representação interministerial com protagonismo de LGBT+ para que todas as políticas públicas contemplem as especificidades do público LGBT+, especialmente nas áreas de Saúde, Educação, Cultura, Justiça e orçamento. Além de propor o combate constante às violências contra LGBT+.

GB: Quais medidas você acredita serem necessárias para combater a LGBTfobia?

Danilo: A criação de redes de proteção socioassistencial é fundamental para que LGBTfobia seja combatida. É preciso investimentos e maior destinação de recursos em políticas públicas que garantam protagonismo ao público LGBT+. Criar delegacias especializadas com profissionais formados para o encaminhamento e acompanhamento de denúncias.

A atuação em redes digitais possibilita a ampliação da comunicação e disseminação de informações mais rápidas pela comunidade LGBT+ sobretudo pelo potencial democrático de articulação coletiva que as mídias digitais fornecem. Nesse sentido é fundamental utilizar e ocupar as redes de forma a viabilizar ações de combate as violências, através do fortalecimento de mecanismos de amparo, financiamento, projetos e iniciativas preventivas. Na atualidade as redes sociais e suas tecnologias representam a possibilidade concreta de ampliação das vozes historicamente subalternizadas. Por isso precisamos cada vez mais fortalecer lideranças LGBT+ e possibilitar que os mesmos ganhem espaço e protagonismo nas redes. Com o aumento das redes de influencia digital precisamos cada vez mais instrumentalizar para que o público LGBT+ esteja bem colocado nessa virada social.

GB: O que você pensa sobre o uso e políticas da PrEP?

Danilo: Considero fundamental ter PrEP como política pública fortalecida no âmbito do Sistema Único de Saúde, devendo ter a ampliação da discussão para espaços educativos visando a prevenção da juventude e a popularização de medidas de segurança em saúde.

GB: Como você avalia o governo de Bolsonaro?

Danilo: O governo inimigo do povo, que abriu as portas do país para que as diversas formas de violências e violações ganhassem espaço no país. É o pior governo desde a redemocratização. Bolsonaro é a representação do que não merece ter protagonismo na política brasileira. Um governo que não valoriza a educação, os povos tradicionais e o meio ambiente são um atraso ao desenvolvimento da nação. Precisamos de um país democrático e que respeite os mandamentos constitucionais.

Confira a lista de candidaturas LGBTQIA+ de 2022 neste link.

Lista de candidatos LGBTQ+ nas eleições 2022 | Deputados, Senadores, Governadores




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista gaúcho formado na Universidade Franciscana (UFN) e Especialista em Estudos de Gênero pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)