Como trilha sonora para tempos difíceis, a cantora, compositora e atriz Clarice Falcão chora e dança ao mesmo tempo em “O After do Fim do Mundo”. A faixa conta com participação de Linn da Quebrada, está disponível em todas as plataformas de música digital e como um vídeo no YouTube.

“Desde a primeira vez que vi a Linn performando ao vivo eu sabia que queria trabalhar com ela. A Linn tem um poder, uma força e uma potência de um batalhão inteiro. Anos depois, quando eu terminei de compor esta música, eu tive certeza que esse era o momento dessa parceria. Afinal, se o mundo for acabar, eu quero estar do lado da Linn que eu não sou boba nem nada”, conta Clarice, animada.

Após chamar atenção como atriz, Clarice começou sua carreira musical em 2012 com um EP auto-intitulado. Com quatro canções cheias de humor em formato indie folk, o trabalho foi o ponto inicial para a construção de “Monomania”, debut cheio de hits lançado no ano seguinte. Uma coleção de amores obsessivos cantados de forma adorável, o álbum levou Falcão a ser indicada ao Grammy Latino de artista revelação.

Com seu conceito antecipado por um bem-recebido cover de “Survivor”, do Destiny’s Child, o eclético “Problema Meu” (2016) trazia uma compositora amadurecida. O disco falava sobre liberdade, empoderamento, feminismo e um olhar livre sobre o amor, bem diferente do seu trabalho de estreia. Deixando o indie folk de lado, o álbum produzido por Kassin passeia do carimbó ao synthpop.

Este último gênero, aliás, é marca de “Tem Conserto” (2019). Denso e dançante, o disco produzido por Lucas de Paiva traz uma voz nunca vista na música de Clarice. Abrindo-se de modo inédito para debater questões profundas e pessoais, como ansiedade e depressão, que a acompanham desde a adolescência, o álbum dialoga com as obsessões e liberdades dos outros trabalhos em um modo mais íntimo, sem perder o olhar de crônicas do cotidiano que a marcou. Essa estética evoluiu para o memorialista EP “Eu me Lembro” (2020) e mostra uma artista madura e ousada neste novo single.

“Eu achava que essa música merecia uma participação especial e queria que fosse alguém que entendesse que a gente está no fim do mundo. Estou muito feliz com essa parceria”, explica Falcão.

Linn da Quebrada faz de sua arte um ato político. Atriz, cantora, compositora e ativista, ela se tornou uma das artistas mais incensadas de sua geração com o álbum “Pajubá”, de 2017. Atualmente trabalhando em seu novo disco, Linn estava com o clima da música em seu processo criativo, inclusive partes de seus versos já estavam escritos.

“Eu conheci a Clarice em uma dessas festas do fim do mundo antes do mundo acabar. Quando ela mandou essa música, fiquei extasiada. A temática do fim do mundo me toca muito. Creio que toda criação precisa de uma destruição para se movimentar. Eu me senti no dever de participar pois eu proclamo o fim do mundo, desse velho mundo e seus problemas. Eu sempre cantei o fim do mundo em meu trabalho e estou muito feliz de participar nesta música”, conta Linn.

Com produção, mixagem e masterização de Lucas de Paiva (Alice Caymmi, Mahmundi) feita à distância durante a quarentena, “O After do Fim do Mundo” está disponível em todos os serviços de streaming de música.

Silva, Clarice Falcão e Duda Beat se apresentam na live “Heineken Home Sessions by Queremos”