Festival Mix Brasil anuncia os curtas selecionados para a 26ª edição

26ª edição do Festival acontece entre 15 e 25 de novembro em São Paulo

festival mixbrasil mix brasil curtas 2018

O Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade anuncia os curtas selecionados para a 2 edição do festival, que acontece entre 15 e 25 de novembro:

COMPETITIVA BRASIL – CURTAS-METRAGENS
Apenas o Que Você Precisa Saber Sobre Mim (SC, dir. Maria Augusta V. Nunes)
Aqueles Dois (CE, dir. Émerson Maranhão)
BR_RIP (SP, dir. Carlos Eduardo Nogueira)
Do Lado Dillah (SP, dir. Washington Calegari)
Inconfissões (RJ, dir. Ana Galizia)
Kibe Lanches (PE, dir. Alexandre Figueirôa)
Majur (MT, dir. Rafael Irineu)
MC Jess (RJ, dir. Carla Villa-Lobos)
NEGRUM3 (SP, dir. Diego Paulino)
O Órfão (SP, dir. Carolina Markowicz)
Preciso Dizer que Te Amo (SP, dir. Ariel Nobre)
Reforma (PE, dir. Fábio Leal)
Riscados Pela Memória (DF, dir. Alex Vidigal)
Um Traço Teu (RJ, dir. Dani Nigri)
Vigia (RJ, dir. João Victor Borges)

Outros longas e curtas brasileiros farão parte da programação, nas mostras especiais e no recém-criado Panorama Brasil, a nova seção de longas-metragens nacionais do festival.

A lista completa dos filmes selecionados será anunciada nos próximos dias.

SOBRE O FESTIVAL

O Festival Mix Brasil de Cinema e Vídeo da Diversidade Sexual surgiu em 1993 através do convite realizado pelo New York Lesbian and Gay Experimental Film Festival que decidiu ampliar seus horizontes e convidar curadores estrangeiros para mostrar as diferentes formas de expressão da sexualidade em outros países. Esse festival, realizado em Nova Iorque, passou a se chamar “MIX New York”. André Fischer foi o responsável pela seleção da programação brasileira desse festival, com o nome Brazilian Sexualities. A partir dessa participação brasileira no festival de Nova Iorque, o Departamento de Cinema do Museu da Imagem e do Som decidiu fazer um convite para sediar uma edição brasileira do festival, que ganhou o nome “I Festival MiX Brasil”, sendo realizado a partir da seleção, realizada por André Fisher, de 76 trabalhos exibidos no Festival de Nova Iorque, editados em 12 programas de curtas. O festival brasileiro estreou dia 5 de outubro de 1993.

Desde a primeira edição foram editadas versões para a apresentação do festival em várias capitais brasileiras. A exibição do primeiro Festival MiX Brasil no Rio de Janeiro, marcada para acontecer na Casa Laura Alvim foi cancelada a 4 dias do evento por Beatriz Nogueira que decidiu que o Rio de Janeiro não estava preparado para esse evento. A apresentação no Rio de Janeiro foi improvisada na Torre de Babel a convite de Ringo Cardia. As edições do festival passaram a ser realizadas anualmente e são bem recebidas por vários segmentos da sociedade por encarar a diversidade sexual de forma aberta.

2 COMENTÁRIOS