Juiz cancela peça de teatro que tem transexual interpretando Jesus; Sesc recorre

Magistrado de Jundiaí exaltou Jesus e disse que espetáculo atenta contra "a fé cristã". A apresentação da peça aconteceria na última sexta-feira

Uma liminar da Justiça cancelou a apresentação da peça de teatro com uma atriz transexual interpretando Jesus em “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que aconteceria nessa sexta-feira (15), no Sesc de Jundiaí (SP). O espetáculo retrata o líder da Igreja Católica como uma transexual e tem como protagonista a atriz e travesti santista Renata Carvalho.

Em publicação no Facebook, a organização da peça atribuiu o pedido de cancelamento a “congregações religiosas, políticos e TFP (Tradição, Família e Propriedade)”.

O processo foi iniciado pela advogada Virginia Bossonaro Rampin Paiva. Na petição, ela argumenta que a peça ”é atentatória à fé cristã na qual Jesus Cristo não é uma imagem ou um objeto de adoração apenas, mas o verdadeiro filho de Deus que se encarnou no século I, entregou livremente a sua vida em favor de toda a humanidade e que ressuscitou e está vivo em nosso meio”.

No documento, Virgínia diz ainda que o espetáculo ”certamente propõe uma rivalidade entre as pessoas e suas crenças, pois, ao sentirem ofendidas, poderão entrar num embate conhecido e muitas vezes visto e chamado como “guerra santa”, o que se pretende evitar”.

Ao decidir favoravelmente ao cancelamento da peça, o juiz Luiz Antonio de Campos Júnior, da 1ª Vara Cível de Jundiaí, disse que, ao retratar Jesus como travesti, a peça atenta à “dignidade da fé cristã” e “caracteriza-se ofensa a um sem número de pessoas”.

Segundo a sinopse divulgada pelo Sesc, “o espetáculo é uma mistura de monólogo e contação de histórias em um ritual que traz Jesus ao tempo presente, na pele de uma mulher transgênero. Histórias bíblicas conhecidas são recontadas em uma perspectiva contemporânea, propondo uma reflexão sobre a opressão e intolerância sofridas por transgêneros e minorias em geral”.

“Não se trata aqui de imposição a uma crença e nem tampouco a uma religiosidade. Cuida-se na verdade de impedir um ato desrespeitoso e de extremo mau gosto, que certamente maculará o sentimento do cidadão comum, avesso a esse estado de coisa”, defendeu o magistrado.

O juiz escreveu que não desconsiderou a liberdade de expressão, mas sustentou que não pode ser tolerado “desrespeito” a “uma figura venerada no mundo inteiro”, referindo-se a Jesus, a quem tratou de exaltar no texto de sua decisão como “o filho de Deus”, em letras maiúsculas, por mais de uma vez.

Renata Carvalho

Segundo matéria do jornal Folha de S. Paulo, a atriz Renata Carvalho, que interpreta Jesus Cristo, estava se maquiando quando recebeu a informação de que a peça havia sido cancelada, uma hora e meia antes da apresentação.

”Eu vivi como se estivesse em 1968. Não podemos nos calar. Hoje é uma travesti sendo calada. A travesti vai continuar lutando enquanto formos o país mais transfóbico do mundo, enquanto a vida média de uma mulher trans for 35 anos e enquanto a sociedade brasileira não tratar uma travesti com dignidade.”

Os espectadores que haviam comprado os ingressos permaneceram na porta do teatro em apoio aos artistas, conforme relato da Folha.

A atriz Renata Carvalho

No Facebook, a diretora do espetáculo, Natalia Mallo, se pronunciou: “Citando a autora da peça, Jo Clifford, isto prova a importância do trabalho e como ele se faz necessário hoje no Brasil: o país que mais assassina travestis e transexuais no mundo. A tristeza é grande, mas o desejo de continuar também”.

O Sesc Jundiaí informou ter entrado com recurso para derrubar a decisão de primeira instância.

O espetáculo tem previsão para este domingo (17), no Sesc de Santo André. Ainda estão previstas sessões no festival Porto Alegre em Cena (dias 21 e 22).

Com informações d’A Tribuna

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.