GAY BLOG BR by SCRUFF

This article is also available in: Español

Descrever a carreira de Rita Cadillac é uma epopeia que só Camões conseguiria fazer – ou não. Rita iniciou como dançarina de um casa noturna no Rio de Janeiro, se tornou chacrete (a mais famosa, inclusive) e em seguida alçou voos mais altos para outras áreas artísticas.

Rita Cadillac
Rita Cadillac – Reprodução

Gravou LPs no início dos anos 80, atuou em filmes diversos numa era não-digital, posou nua várias vezes para todas as publicações da época, ficou conhecida como a rainha dos detentos, fez novelas, foi tema de documentário, fez shows Brasil adentro, filmes eróticos, tentou uma carreira política, foi destaque do carnaval paulistano e por fim, encarou a difícil missão de viver Luz del Fuego no teatro, a pioneira do naturismo no Brasil.

Rita é uma figura multifacetada, não caiu no ostracismo e, pelo contrário, mantém uma sólida carreira há décadas. Admirada por gerações, desde homens vintages a crianças pré-geração millenial, passando por jovens rapazes que assistiam aos seus shows numa era pré-coronavírus, além da comunidade LGBTQ+ que a vê como uma musa.

Em entrevista exclusiva para o GAY BLOG BR, Rita Cadillac contou que o público pode se preparar para o lançamento de uma biografia e não poupou críticas à Parada Virtual do Orgulho LGBTQ+.

Reprodução

Sendo uma mulher bastante ativa, que sempre está trabalhando, como você está lidando com o isolamento social?

Bom, trabalho inexiste desde que iniciou a pandemia. Tinha agenda cheia desde março a meados de julho, mas tudo precisou ser cancelado até em razão da segurança de todos. Tenho levado meus dias de boa. Tenho lido bastante e, graças à tecnologia (este é o melhor lado dela), tenho conseguido conversar bastante com vários amigos que fiz ao longo de minha jornada. Além das Lives, que acontecem quase todos os dias, graças a Deus!

Eu noto que nas suas entrevistas as pessoas sempre fazem as mesmas perguntas: “como surgiu o nome Cadillac” ou “como você se tornou chacrete”. Não é cansativo responder sempre as mesmas perguntas em quase todas as entrevistas?

Isso não me chateia de forma alguma. Apesar de achar que poderiam explorar muito mais de minha história, entendo que saber como me tornei chacrete e como me tornei “Cadillac” é curiosidade de todos. Vou ficar mesmo triste quando pararem de me fazer perguntas, sejam essas, sejam de novos assuntos.

Rita Cadillac – Reprodução

Assim como a Gretchen, eu vejo a sua imagem muito ligada à causa LGBT. Você faz muitos shows em boates gays, participou algumas vezes da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, tem vários amigos gays. Por que você acha que os gays (a comunidade LGBT​Q+​ de modo geral) gosta tanto da Rita Cadillac?

Talvez seja por sempre ter respeitado e acolhido todos que se aproximaram de mim. Nunca tive preconceito de nenhuma espécie e, de verdade, acho o pessoal LGBTQIA+ super divertido, inteligentes e acolhedores.

Rita Cadillac – Reprodução

Você assistiu à Parada do Orgulho Virtual realizada no dia 14/06? O que achou?

Assisti boa parte, mas confesso que me decepcionei. Estava sem brilho, sem entusiasmo, sem sabor. Entendo a importância dos debates sobre os temas ligados à comunidade LGBT mas esse dia sempre foi dedicado ao brilho, a alegria….

Sem nenhuma dúvida, a ausência dos ícones Salete Campari, Silvetty Montilla, Nany People, Michelly Summer entre tantas outras que foram responsáveis pela Parada que temos hoje fez falta pela inteligência, bom humor e audácia.

Você completou 66 anos e está em excelente forma física, mas te assusta a ideia de envelhecer?

Jamais! A idade está principalmente na cabeça e a minha terá sempre 15 aninhos.

Recentemente você recebeu muitas críticas por ter recebido o auxílio emergencial de R$600 do Governo Federal. Você conseguiu fazer um pé de meia, ter um patrimônio com o cachê (que dizem que foi muito alto) dos filmes eróticos?

Este assunto já foi exaustivamente tratado e explicado. Quanto ao cachê milionário, se alguém o recebeu, não fui eu.

Rita Cadillac - Reprodução
Rita Cadillac – Reprodução

Falando em Política… O ator Mario Frias foi nomeado secretário especial da Cultura. Você acredita que ele fará uma boa gestão?

Desejo a ele sorte e que seja feliz.

E é verdade que você namorou o cantor Gonzaguinha? Foi um relacionamento legal? Ele parecia ser bastante tímido/reservado.

Sim, namorei o Gonzaguinha por alguns meses. Foi um relacionamento ótimo para os dois. Ele sempre foi reservado, mas nem por isso era fechado. Ríamos e conversávamos muito sempre.

Há pouco tempo, você esteve em cartaz no teatro fazendo Luz del Fuego, uma pioneira do naturismo brasileiro. Como você lidou com a nudez na peça? Você já esteve em um local naturista?

Nunca tive problemas com meu corpo, portanto, encenar pela primeira vez e ainda por cima completamente nua, não foi problema para mim. Encarei como apenas um personagem. E o mais engraçado é que, apesar de ter lidado bem com a nudez no palco, não me imagino em um ambiente naturista. Morreria de vergonha!

Rita Cadillac - Reprodução
Rita Cadillac – Reprodução

Ainda sobre nudez, quantas vezes você posou nua para revistas masculinas? Algum ensaio que tenha sido marcante ​pra você? ​Eu lembro de um seu em um cadillac rosa segurando um abacaxi e outro em um presídio desativado…

Foram inúmeras as vezes que posei. Já fui fotografada por todas as grandes revistas masculinas, incluindo a Playboy (se não me engano, umas duas ou três vezes). O ensaio mais marcante pra mim foi, sem dúvida, a capa para a revista “Homem” junto com o Chacrinha e outras chacretes.

Você já transitou por todas as áreas: fez novela, cinema, posou nua, lançou discos, foi tema de documentário, fez teatro recentemente… enfim. O que falta a Rita fazer?

Ainda tenho muita coisa pra fazer. Novas peças (amei atuar em teatro), séries e, quem sabe, ter um velho projeto para televisão finalmente realizado.

Você vai lançar uma biografia né? Já tem uma previsão de lançamento? Haverá na bio alguma passagem da sua vida que você não tenha revelado ainda em nenhuma entrevista e que o público irá se surpreender?

Minha biografia tinha data de lançamento marcada para 18 de junho, mas não pode ser feito por razões óbvias. A editora me disse, há poucos dias atrás, que pretende fazer o lançamento em dezembro, aproveitando o Natal. Tem muitas histórias que nunca contei sobre minha vida e que vocês poderão conhecer quando sair finalmente o livro.

Você também irá lançar um novo projeto musical, fale um pouco a respeito?

Sobre o projeto musical, vou deixar o suspense de presente para vocês.

Reprodução/Instagram

Para acompanhar Rita:

Twitter: twitter.com/rcadillacreal
Facebook: facebook.com/ritacadillacoficial
Instagram: instagram.com/ritacadillac




This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.