A página oficial da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo no Facebook publicou que a data do evento foi alterada novamente, desta vez para o dia 29 de Novembro de 2020. A razão é a crise causada pelo Covid-19, aliada as alterações dos feriados de julho e novembro. Já a para virtual programada para o dia 14/06 permanece inalterada.

As novas datas são:

23/11/2020 – Coletiva de Imprensa
27/11/2020 – Prêmio Cidadania em Respeito a Diversidade
28/11/2020 – Feira Cultural da Diversidade
29/11/2020 – 24ª Parada LGBT+ de SP.

“Como sabemos, a Parada LGBT de São Paulo, além de receber as pessoas da cidade de São Paulo, também recebe turistas do Brasil e do exterior, e preocupados com a segurança da nossa população diante da pandemia, orientamos a todas as pessoas que se for comprar passagens aéreas ou terrestres, organizar excussões e reservar hotéis, não faça nada neste momento, se programem a partir de setembro/2020, quando de fato teremos mais informações/orientações do Governo do Estado, da Prefeitura e dos órgãos de saúde a respeito da pandemia.”

Anteriormente, a data escolhida tinha sido 22 de novembro e, antes da pandemia, estava prevista para 14 de junho.

Foto: Reprodução

PARADA DO ORGULHO LGBT DE SÃO PAULO

De acordo com a SPTuris, que é a empresa estatal de turismo de São Paulo, a Parada LGBT é o evento que mais atrai turistas para a cidade, ficando atrás apenas do Carnaval do Rio de Janeiro quando se considera os turistas internacionais. Em 2011, a estimativa de participantes foi de 4 milhões de pessoas.

Assim como as edições que ocorrem em outros países e também em outros estados brasileiros, a ideia é se manifestar contra o preconceito e a discriminação, além de simbolizar a luta pelos direitos de toda a comunidade. Além disso, a maior parte do mundo comemora a parada no mês de junho como uma homenagem a rebelião de Stonewall, que ocorreu no dia 28 de junho de 1969 em Nova York, sendo o evento que levou ao movimento moderno de libertação gay e o início da luta pelos direitos LGBTs.

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".