O modelo baiano Paulo Roberto Souza Evangelista (23) foi convidado para interpretar o jogador Cristiano Ronaldo em um filme pornô gay. As informações vieram de uma matéria publicada no jornal Extra.

“Fiquei sem ação no momento, não aceitei participar. Não me imagino em uma sala cheia de câmeras e filmando enquanto faço sexo, eu não conseguiria.”

Já sobre a semelhança de ambos, Evangelista diz ficar muito contente e que seu objetivo é ficar, cada vez mais, parecido com o jogador.

“Quero ter o mesmo número de gomos no abdômen, medidas da cintura, tamanho de músculos nos braços que o dele, assim a semelhança só aumenta.”

Reprodução

Atualmente morando em Portugal, ele diz que é constantemente parado na rua com as pessoas confundindo-o com o jogador.

“Já é algo absolutamente normal pra mim. As pessoas me param para tirar foto e é essa atenção que me dá força para seguir com a dieta e exercícios pesados para ficar parecido com ele. Sigo os passos do jogador, me considero um metrossexual como ele. Muitos trabalhos começaram a surgir por conta dessa semelhança também”.

o modelo já posou de cuecas em fotos sensuais, mas deixou claro que é diferente de ter relações sexuais em frente às câmeras.

“Não tenho medo do que as pessoas iriam pensar, mas prefiro que isso (sexo) seja feito em quatro paredes, sem ninguém gravando”.

Divulgação
Divulgação

Divulgação

Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro é considerado um dos melhores e mais completos jogadores de futebol do mundo, sendo comparado a grandes nomes da história como Pelé, Garrincha e Maradona.

Em 2009 ele lançou a biografia “Sueños Cumplidos”, que em nosso idioma seria “Sonhos Realizados”, contando toda sua trajetória como jogador de futebol até chegar ao estrelato pelo Real Madrid.

Vale dizer que ele ganhou diversos prêmios como Melhor Jogador do Mundo em diversas ocasiões, incluindo pela FIFA e pela France Football.

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".