A quebra do padrão de masculinidade da LED na SPFW

Em seu terceiro desfile no TOP 5, a marca mineira aposta novamente em uma coleção-protesto, dessa vez inspirada no cabra macho” nordestino.

Em terras de Lampião, o conservadorismo e a resistência às diferenças fazem vítimas diariamente. A intolerância impera, provoca transtornos e leva à morte, e as tentativas de encarar a homossexualidade esbarram em uma muralha de ignorância que parece ser intransponível. E é inspirada nesse contexto, o conceito do “cabra macho” nordestino, que a LED apresenta seu terceiro desfile dia 23 de outubro, no São Paulo Fashion Week.

Célio Dias, da LED spfw
Célio Dias, da LED. Foto: reprodução

“Arretada” foi o nome dado pelo estilista e designer Célio Dias para o novo trabalho, que tece uma crítica ao modelo hegemônico da masculinidade, que carrega em seu estereótipo traços de força e virilidade mas também de violência e intolerância. “A matriz que estrutura a homofobia é a mesma que define socialmente masculinidades aceitáveis. É também a mesma que coloca mulheres em condições de vulnerabilidade, e que busca anular o diferente: por meio de chacotas, piadas e desqualificação,” afirma Célio dias, criador e estilista da LED. “Trazemos uma coleção ainda mais madura que a última, buscando expandir a discussão do gênero, colocando em xeque e avaliação, dessa vez, o padrão de masculinidade socialmente aceitável e o que ela carrega consigo muitas vezes, como o reforço à violência.”

Dentro desse conceito, a LED aposta pela primeira vez em ilustrações e traz a força e graciosidade dos veados em algumas de suas peças, hora em ilustrações e horas em bordados, ambas sendo trabalhos manuais já tão marcantes nas coleções da marca.

A escolha dos materiais, cores e acessórios se descola da variação climática para se basear em narrativas. Os moldes sempre muito amplos e carregados em volume procuram não demarcar os limites do corpo, e trazem uma mistura da sofisticação do linho com o shape confortável das ruas. A cartela de cores é inspirada no trabalho do artista Arthur Bispo do Rosário, com cores que variam dos terrosos e pastéis ate o verme lima e azul piscina, mas traz também uma pitada de vermelho para demarcar a vibração e força do nordeste. Nesse contexto, os crochês ganham ainda mais destaque dentro da nova coleção.

As collabs, que permeiam a trajetória da LED, seguem como um dos pontos-chave para o desenho da figura proposta por “Arretada”. Os acessórios, calçados e bolsas usados no desfile e na campanha foram desenvolvidos exclusivamente em parceria com outras promissoras marcas mineiras, como a Box 19, Diwo, Nuu Shoes e Moon. O destaque das parcerias de Arretada fica por conta da cápsula desenvolvida com a Patogê, trazendo o jeans para evidência na coleção.

Collabs e Apoio:
Bolsas: DIWO
Sapatos: Nuu Shoes
Acessórios: BOX19
Óculos: MOON
Jeans: PTGE + LED
Apoio: Vicunha

Coleção Anterior:

Calendário de desfiles São Paulo Fashion Week | SPFW N46 – 2018