No mercado desde 2017, Gozo por Ventura surgiu com a proposta de atender a demanda de sungas cavadas para todos os corpos. Atualmente a marca atende os tamanhos que vão do 34 até 56.

sungas cavadas
Foto: divulgação

Outro pilar da empresa é usar matéria prima 100% brasileira e com responsabilidade socioambiental. No início da produção, as unidades eram confeccionadas individualmente e por encomenda. Posteriormente, a Gozo por Ventura se associou a uma rede de ONGs que assistia pessoas com transtornos psicossociais, promovendo a reinserção à vida social por meio do trabalho com costura.

Todo o conceito da marca surgiu com as ideias do designer Leandro Jammal. O empreendedor disse que tudo é fruto das aulas intensivas de costura e modelagem com uma drag queen e “inúmeras sessões de psicanálise”.

“Surgiu a ideia de maneira inicialmente despretensiosa, descobri que a moda praia e íntima são potentes ferramentas de inclusão, empoderamento e autoconhecimento e exploração. Todas as formas do corpo humano foram estudadas antropometricamente. Essa diversidade inspirou o surgimento de uma marca voltada para o público LGBT+, com foco na disseminação da valorização do próprio corpo e da autoaceitação”, conta Jammal.

COLEÇÕES

A cada estação do ano, um novo portfólio. Em novembro, a marca desenvolveu uma coleção que busca chamar a atenção para problemas sociais e ambientais relevantes na vida do brasileiro. Os temas que serviram de inspiração para a criação das três novas estampas foram: poluição dos mares, as condições de trabalho no Brasil e as incertezas da vida do jovem. Assim, foram produzidas nossas três novas sungas estampadas: Mar de plástico, Perdido na Vida e Carne do Trabalhador brasileiro. Dessa coleção com ares de militância, ainda teve parte dos lucros obtidos com a venda dessas sungas direcionados à ONGs que promovem mudanças nos cenários por elas abordados.

O e-commerce da marca está neste link.

Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação