De acordo com a coluna de Ancelmo Góis no blog do O Globo, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, inaugura hoje o projeto “Banheiro sem preconceito” nos prédios do governo.

Nas portas dos banheiros dos prédios, placas reforçarão que as pessoas podem usar o banheiro correspondente ao gênero com o qual se identifica. Alguns banheiros serão também identificados como “unissex”.

Vagner Benites / Ascom/Seplag
Foto: Vagner Benites / Ascom/Seplag
Foto: Vagner Benites / Ascom/Seplag

Na placa, o texto será: “Trans, cis, hétero, bi, gay, assexual, negro(a), branco(a), com deficiência, imigrante, gordo(a), magro(a), alto(a), baixo(a), pobre, rico(a). Este é banheiro é de todos(as)!”.

EDUARDO LEITE TOCANDO

Eduardo Leite foi eleito governador do Rio Grande do Sul com 53,2% dos votos válidos no estado. Atualmente com 34 anos, Leite faz muito sucesso não só pelo seu trabalho como político, mas também por ser um boy magia (não deixe de ver a surra de fotos dele).

Ele é formado em direito e se elegeu vereador aos 19 anos. Aos 27, tornou-se prefeito de Pelotas, eleito com a maior votação da história da cidade, com 110 mil votos. Na época, em 2012, ele já havia ganhado notoriedade e buzz na internet como “o prefeito mais gato do Brasil”.

FAKE NEWS

Durante a última eleição, opositores começaram a compartilhar uma foto de Eduardo sem camisa na praia ao lado de outro homem (bem bonito, também, inclusive!). Os posts insinuavam que o rapaz seria o namorado de Eduardo, quando na verdade se tratava de seu irmão caçula. A fake news foi desvendada após a foto original ser revelada.

Foto recortada x foto original: férias em família se tornou um boato

Eduardo, ainda fez um post para avisar sobre a mentirosa:

Post do Eduardo Leite no Facebook

SEXUALIDADE

Muitos se importam com a sexualidade alheia por não poderem e temerem olhar a própria, diz Ana Cassia Maturano, psicóloga clínica e psicopedagoga formada pela USP. “Há um quê de inveja, principalmente porque a sexualidade ainda gera certa estranheza quando sai do âmbito das ‘quatro paredes’. Inveja daquele que pode viver plenamente, mesmo que a duras penas, sua sexualidade. E ser feliz em como é”, completa

De acordo com o psicólogo e terapeuta sexual Oswaldo Martins Rodrigues Jr., diretor do Inpasex (Instituto Paulista de Sexualidade), esses desejos e emoções são reprimidos. “Para administrar melhor o sofrimento imposto por essa repressão, atacam as pessoas que representam esses desejos”. Com informações de UOL, GauchaZH e Gazeta do Povo.

Foto: Reprodução
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".